Cantigas Populares: um patrimônio cultural da humanidade

As cantigas populares são como histórias cantadas que praticamente todo mundo conhece por ter aprendido em algum momento da vida. Um simples trecho é o suficiente para resgatar memórias profundamente significativas da infância: Marcha soldado, Alecrim dourado, Se essa rua fosse minha… e por aí vai! São canções simples, normalmente rimadas, de autoria anônima, usadas para embalar o sono dos pequeninos ou as brincadeiras dos mais velhos.

Conhecer e ter acesso às cantigas, além de divertido, é um direito de toda criança, pois elas dizem respeito ao imaginário coletivo e social que influenciou e ainda influencia nosso modo de ver e de estar no mundo. Suas letras são carregadas de sentidos e significados, valores morais e elementos específicos da cultura popular. Além disso, estudos ligados à educação infantil têm mostrado o quanto seu uso contribui para o desenvolvimento dos pequenos.

5 benefícios das cantigas populares para os pequenos

São muitos os benefícios das cantigas populares para os pequenos. Confira 5 deles aqui:

1. Aquisição da linguagem: cantar para bebês com frequência contribui para melhora do vocabulário e até da dicção. As rimas e cadências são ótimas para estimular o aprendizado das primeiras palavras por meio da repetição.

2. Desenvolvimento cognitivo e afetivo: as cantigas estimulam a memória dos pequenos, suas habilidades de comunicação e de compreensão de mundo. Através das cantigas populares é possível estreitar relacionamentos com quem ainda não se conhece e criar momentos de afeto com amigos e familiares. As cantigas ajudam na compreensão da rotina, uma vez que são usadas em determinados momentos como rituais, como a hora do banho, a hora do lanche, a hora de dormir, dando a sensação de conforto e confiança aos pequenos.

3. Desenvolvimento motor e físico: as cantigas populares normalmente são acompanhadas de movimentos corporais, danças e palmas, conferindo ritmo, fortalecendo o tônus muscular e transmitindo a noção de tempo e espaço para os pequenos.

4. Sentimento de pertencimento e vivência comunitária: cantigas são ótimas atividades para se fazer em grupo. Quando em roda, contribuem para o sentimento de pertencimento e entrosamento. Quando brincadeiras de palmas, são ótimos jogos de equipe e de socialização.

5. Noções morais e éticas: é comum que as letras das cantigas transmitam uma lição ou ensinamento moral. Muitos professores e educadores utilizam as cantigas com fins didáticos, para trabalhar seus elementos de forma lúdica e acessível aos pequenos.

O Sabiá e a Menina: uma cantiga que virou livro

O-Sabiá-e-a-Menina

Por sua riqueza e efetividade, muitas vezes as cantigas se tornam livros, filmes e desenhos animados, povoando assim a imaginação dos pequenos. O livro O Sabiá e a Menina, da psicanalista Beth Timponi, ilustrado por Maurizio Manzo, é um ótimo exemplo de como uma música pode inspirar novas histórias e por isso foi escolhido pela Equipe de Curadoria da Leiturinha para compor a biblioteca dos pequenos leitores. Baseada na música de  Hervé Cordovil e Mário Vieira, “Sabiá lá na gaiola”, o livro conta a história de uma menina que chora a perda de seu sabiá que fugiu de sua gaiola para ganhar o mundo. Com a liberdade, vem também a responsabilidade e novos problemas a enfrentar, mas o passarinho ensina que uma vida de verdade tem que ser livre e significativa.

Se você tem um pequeno em casa, certamente já brincou de roda. Se não, que tal resgatar uma cantiga de quando era criança e ensinar a ele? As cantigas são brincadeiras perfeitas para se fazer em família, dentro de casa, a qualquer momento. Confira três cantigas famosas para vocês se inspirarem e curtirem juntos:

Alecrim Dourado

Alecrim, alecrim dourado
Que nasceu no campo
Sem ser semeado

Alecrim, alecrim dourado
Que nasceu no campo
Sem ser semeado

Foi meu amor
Que me disse assim
Que a flor do campo é o alecrim

Foi meu amor
Que me disse assim
Que a flor do campo é o alecrim

Sabiá lá na gaiola

Sabiá lá na gaiola
fez um buraquinho
Voou, voou, voou, voou

E a menina que gostava
Tanto do bichinho
Chorou, chorou, chorou, chorou

Sabiá fugiu pro terreiro
Foi cantar no abacateiro
E a menina vive a chamar

Vem cá sabiá, vem cá
Sabiá lá na gaiola…

A menina diz soluçando
Sabiá, estou te esperando
Sabiá responde de lá
Não chores que eu vou voltar

Peixe Vivo

Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria
Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria

Como poderei viver
Como poderei viver
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia

Os pastores desta aldeia
Fazem prece noite e dia
Os pastores desta aldeia
Fazem prece noite e dia

Por me verem assim chorando
Por me verem assim chorando
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia

Você se lembra de alguma outra cantiga que marcou sua infância? Compartilhe aqui com a gente!

Leia também: 

Profile photo of Sarah Helena

Mãe da Cecília, formada em Psicologia, especialista em Filosofia, sempre trabalhou com famílias, especialmente com os pequenos. Por esse amor ao universo afetivo infantil, hoje, na Leiturinha, ela colabora fortalecendo o vínculo das famílias leitoras através da experiência da literatura.