Você já ouviu falar em inteligência emocional? É a capacidade de entender suas próprias emoções, nomeando-as e conseguindo lidar com elas sem passar por grandes sofrimentos. Falando assim, pode até parecer simples, mas essa não é uma tarefa tão fácil… E, embora, algumas pessoas possam pensar que a inteligência emocional seja algo nato, essa é uma habilidade que, na maioria das vezes, desenvolvemos ao longo da vida, e todo mundo pode desenvolvê-la. Aliás, como com outras habilidades e hábitos, quanto antes começamos a desenvolver a inteligência emocional, melhor. Portanto, é muito importante que isso esteja entre as preocupações de mães e pais, caso queiram que seus pequenos consigam lidar melhor com seus sentimentos e frustrações ao longo da vida. Mas como desenvolver a inteligência emocional nas crianças?

5 dicas para desenvolver a inteligência emocional do seu pequeno

1. Esteja aberto(a) para ouvir

Para compreender o que se está sentindo, é muito importante expressar as emoções. Por isso, é fundamental que você esteja aberta(o) para ouvir o que seu pequeno tem a dizer. Incentive ele a falar sobre o que está sentindo quando estiver bem e quando estiver mal também. Claro, sem pressionar. Apenas se mostre disponível para quando seu filho estiver preparado e quiser conversar.

2. Elogie antes de criticar

Reforçar a autoestima dos pequenos é fundamental para que eles se sintam seguros. Por isso, busque ressaltar as qualidades do seu filho, ao invés de apontar apenas pontos negativos. Isso fará com que você e seu pequeno estabeleçam uma relação mais próxima e de confiança, fazendo com que ele se sinta confortável para dividir suas angústias e questões com você.

3. Não exagere nas cobranças

Que os pais e mães fazem de tudo pela felicidade dos pequenos, não há dúvida. No entanto, algumas vezes, o cuidado e preocupação exagerados podem gerar cobranças e exigências excessivas e isso pode influenciar na construção da autoestima das crianças, fazendo com que elas se sintam inseguras para expressar seus sentimentos.

4. Fale sobre suas fraquezas

Converse com seu filho sobre suas falhas, dificuldades e erros. Isso é importante para que você se torne um referencial possível e humanizado para seu pequeno, fazendo com que ele se sinta mais confortável para se abrir e reconhecer suas próprias emoções.

5. Conheça o seu pequeno

Saiba do que seu pequeno gosta, do que ele não gosta, o que o incomoda e o que o faz bem. Se interesse pela sua vida e estreite os vínculos de afeto com ele. Isso é fundamental para que vocês estabeleçam uma relação próxima e saudável, propiciando o diálogo e a divisão de problemas, frustrações e, claro, alegrias também!

Confira: 7 desenhos que ajudam as crianças a lidar com as emoções

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e autora no Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.