Como falar sobre algo tantas vezes já falado, discutido, pensado e abordado? Gestação, gravidez, maternidade… o momento de maior plenitude da mulher. É mesmo? Sempre?

O período de preparação para a chegada de um novo integrante na família é idealizado, muitas vezes, como um período de grande riqueza e harmonia, no qual tornar-se mãe dá à mulher um status de divindade e beleza. Porém devemos levar em conta que cada gravidez é única, e recebe influências de diversos fatores internos e externos à mulher, que passa por transformações nas mais diferentes áreas. É um momento de sentimentos, emoções e expectativas intensas, que repercutem no estado psicológico da mãe durante toda a gravidez, parto e pós parto.

É uma fase de transição, onde ela deixa seu lugar de filha para assumir a posição de mãe. Surgem angústias e incertezas diante deste desafio e da capacidade de ser uma “boa mãe”. Entenda como pode acontecer a depressão na gravidez e após o nascimento do bebê.

Baby blues: como a mamãe de um bebê tão lindo e saudável pode se sentir triste?

E então, nasce o bebê… Que medo de errar! Que desespero! O choro vem fácil, a culpa e o olhar crítico das pessoas condenam. Ninguém entende como “a mãe de um bebê tão lindo” pode se sentir triste…

Casos assim caracterizam um quadro conhecido como baby blues. A mulher apresenta humor deprimido, pode ficar mais irritada, insegura, com a autoestima prejudicada.

Fatores que podem contribuir para o quadro  

A questão é que a vida muda completamente. Quase não existe mais tempo para nada… nem para descansar, nem para o parceiro, nem para as amigas, nem para o trabalho ou para si mesma. Tudo (e tudo mesmo!) gira em torno do filho: responsabilidades, cobranças, expectativas e planos que assustam e trazem dúvidas para a mulher, especialmente sobre sua capacidade de cuidar da criança. Essa angústia torna-se ameaçadora e impede que a mãe se dedique ao filho, por ter certeza de que “não dará conta”.

Além de tudo isso, existem os hormônios que estão todos desregulados e precisam de tempo para se ajustarem.

Quanto tempo duram os sintomas do baby blues?

O baby blues normalmente dura alguns dias após o parto, durante a fase de adaptação à nova situação vivida. Após esse tempo é esperado que o quadro desapareça e que a mulher possa, aos poucos, ganhar autonomia e segurança nos cuidados com o bebê.

Se os sintomas não regredirem é importante ficar atento, pois podem indicar uma depressão pós parto.

O que é a depressão pós parto?

Esse quadro se assemelha ao baby blues, porém seus sintomas são mais intensos e duradouros, e necessitam de tratamento especializado.

Os dois quadros podem aparecer na primeira gestação ou em gestações posteriores, pois cada bebê é único e a mulher constrói, com cada um deles, uma relação que também é única. E é nessa relação (e de nenhuma outra maneira) que a mulher pode conhecer e compreender o seu filho, através de uma comunicação baseada nas experiências vividas e trocadas entre mãe e filho.

Profile photo of Flávia Carnielli

Mãe da Maria Clara, mestre em psicologia clínica, especialista em psicologia perinatal e formada em psicoterapia infantil. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento aqui no Blog, à convite da Leiturinha.