Eu não estou de brincadeira não, viu? Brincar é coisa muita séria! Por isso, não pode ser considerado apenas um momento de descontração. Ali, a criança se desenvolve, aprende a conviver socialmente, se arrisca a conhecer o novo, explora sua criatividade, trabalha sua sensibilidade e comunicação e conhece o mundo a sua volta. É… Entender a importância do brincar é essencial para que possamos permitir que nossos pequenos tenham tempo para serem crianças. Afinal, cabe a nós adultos, proporcionar estes momentos. Aliás, compreender a importância do brincar também é fundamental para que nos tornemos adultos mais leves, otimistas e empáticos!

Brincadeira é coisa séria!

Enquanto brinca livremente a criança cria, organiza seu mundo, aprende coisas novas e memoriza o que já aprendeu, elabora e ressignifica experiências já vividas. Através do faz de conta, a criança pode se ver desempenhando vários papéis, brinca de ser… enquanto constrói quem ela é. Brincar é coisa séria, principalmente para as crianças, e deve ser tratada como tal. Ter tempo para brincar e até mesmo para “não fazer nada” é um direito das crianças que deve sempre ser resguardado.

Além disso, brincar pode ajudar a desenvolver habilidades psicomotoras e cognitivas, e ajudar na socialização das crianças. Alguns jogos e brincadeiras ajudam a melhorar sua sensibilidade, seu pensamento estratégico e criativo, sendo que, a medida em que amadurece, suas brincadeiras evoluem também. Brincar pode aliviar tensões e ser uma maneira de a criança se comunicar, entender o mundo a sua volta e a si mesma, melhorando os vínculos familiares e sociais.

Sem brinquedo, mas com muita criatividade!

Brincar sem brinquedos prontos e comprados, favorece a imaginação e a potência de criação. Quando a criança consegue utilizar dos elementos que dispõe a sua volta e usar de suas habilidades, criatividade e inteligência para resolver os problemas por si só – como, por exemplo, conseguir brincar de carrinho, sem ter um carrinho pronto à disposição, faz com que a criança sinta-se capaz de fazer as coisas por ela mesma. Isso reflete positivamente em sua vida adulta, em sua percepção sobre si mesmo e sobre suas potencialidades.  

Brincar com liberdade, exercendo um olhar lúdico sobre o mundo, é uma capacidade sem limite de idade, porém, com a saída da infância, tendemos a deixar que a lógica se sobreponha à fantasia, ao devaneio, e que os muitos compromissos tomem lugar às horas vagas. Apesar disso, nós, mães e pais, temos muitos motivos para reavivar nossa criança interna e exercer novamente o brincar, seja com nossos filhos, em nosso ambiente de trabalho ou no dia a dia, agindo com mais leveza, sem procurar o porquê de tudo, deixando a criatividade fluir mais solta.

Com a palavra, os donos da brincadeira!

A Leiturinha quis ouvir o que os pequenos e pequenas têm a dizer sobre suas brincadeiras favoritas e sobre o que é mais importante na hora de brincar! Por isso, lançamos essas questões em nossa página e pedimos que mamães e papais compartilhassem conosco as respostas de seus pequenos. Aqui vão alguns dos depoimentos que recebemos:

Brincadeira preferida: “bicá binquedo”(brincar com brinquedos)
Por quê? “É igal” (é legal)
O que é mais importante na hora da brincadeira? “bincar o são e puiá” (brincar no chão e pular). Maya, 2 anos e 8 meses

Eu amo brincar na escola de reloginho e de bandeirinha estourada. O que é mais importante na hora de brincar é escolher a brincadeira que combina comigo e ter muita energia porque com pouca energia as brincadeiras são menos interessantes. Theo, 10 anos

Brincadeira preferida: gosta de brincar de resgate, caça fantasmas, mundo dos dinossauros e polícia. João Pedro, 5 anos

Brincadeira preferida: brincar de fazer vídeos porque eu quero ser uma YouTuber. O que é mais importante na hora da brincadeira? Imaginação. Andressa, 7 anos

Brincadeira preferida: gosta de brincar de motorista. Por quê? Muita gente para transportar. Lorenzo, 4 anos

Brincadeira preferida: brincar de escolinha. Por quê? Gosto de escrever.
O que é mais importante na hora da brincadeira? Se divertir. Nicole, 7 anos

Leia mais:

Profile photo of Sarah Helena

Mãe da Cecília, psicóloga, especialista em Filosofia, sempre trabalhou com famílias, especialmente com os pequenos. Por esse amor ao universo afetivo infantil, hoje, na Leiturinha, ela colabora fortalecendo o vínculo das famílias leitoras através da experiência da literatura.