Quais as diferenças entre o livro imagem e o livro ilustrado?

Se você já teve a experiência de ler um livro imagem deve saber das várias camadas e dos vários textos que nele se encontram. Diferentemente do livro ilustrado (em que texto e imagem têm o mesmo peso, se complementam e dialogam entre si), o livro imagem não tem texto escrito e a narrativa fica toda por conta do movimento provocado pelas imagens. A ilustração no livro imagem é quem conduz o leitor à viagem literária, sendo possível fazer diversas leituras de uma mesma história.    

Ler um livro imagem é saborear a possibilidade de mil e uma histórias em um livro só

Se o texto é o que comunica algo, que produz sentido, não podemos dizer que o livro imagem é um livro sem texto. Neste gênero literário o texto ganha contornos, curvas, cores e se torna cenário e palco. Como no cinema, ao lermos um livro imagem, o movimento da história fica evidente em um virar de página, pela sequência dos acontecimentos. Mas, como o autor não traduz sua história em palavra escrita, este tipo de livro permite uma liberdade ainda maior por parte dos leitores. Além disso, o livro imagem possibilita infinitas leituras e versões da mesma história, interessando a adultos e crianças, que podem estar em pé de igualdade no momento da mediação da leitura, debatendo e trocando suas ideias e suposições sobre o livro.

As muitas camadas de um livro

De frente de trás, de trás pra frente: os mil e um textos do livro imagem

Para além da narrativa, o livro imagem apresenta uma linguagem artística bastante sofisticada para os pequenos. Normalmente, cada página é uma obra de arte à parte, em que o autor imprimiu seus traços, cada um com sua técnica e personalidade, permitindo uma incrível experiência estética e artística.

Além disso, o livro imagem dialoga com o livro enquanto objeto. Em muitos casos, é preciso considerar aspectos do livro enquanto objeto para captar os muitos sentidos da história. Um exemplo disso é o livro A Onda, de Suzy Lee (publicado no Brasil originalmente pela Cosac Naify e, atualmente, pela Editora Cia das Letrinhas) em que o vinco que divide as páginas exerce uma função importante para a compreensão da história. Outro exemplo é o livro Zoom (publicado pela Editora Brinque-Book), selecionado pela Equipe de Curadoria da Leiturinha, em que o autor, Istvan Banyai, escolheu intercalar as páginas ilustradas com páginas pretas, enquadrando a leitura e transmitindo a ideia de cenas, como no cinema.

Zoom – Um livro imagem que coloca em cheque nosso ponto de vista!

Zoom

Publicado em 18 países, Zoom é um best-seller mundial! A obra é frequentemente usada em salas de aula, por incitar assuntos relacionados à arte e à filosofia, e também por profissionais da área audiovisual, por trazer elementos importantes utilizados no cinema e nas animações. Lançado em 1995, este foi o primeiro livro infantil de Istvan Banyai: ilustrador, designer e cartunista húngaro, mundialmente premiado. O livro, que pode ser lido de frente para trás ou de trás para frente, gera incômodo, estranhamento e surpresa a cada virar de páginas! Uma ótima dica Leiturinha para quem quer degustar uma boa obra literária, saindo um pouco da leitura convencional!

Como ler um livro sem palavras?

O fato do texto escrito não existir, tira do adulto o papel central de mediador da leitura, possibilitando que uma criança – ainda mesmo antes do processo de alfabetização – e um adulto façam suas leituras independentes, trocando ideias e suposições, e debatendo sobre a obra. Confira 4 dicas para ler um livro imagem com seu pequeno!

Profile photo of Sarah Helena

Mãe da Cecília, formada em Psicologia, especialista em Filosofia, sempre trabalhou com famílias, especialmente com os pequenos. Por esse amor ao universo afetivo infantil, hoje, na Leiturinha, ela colabora fortalecendo o vínculo das famílias leitoras através da experiência da literatura.