felicidade:
substantivo feminino
qualidade ou estado de feliz; estado de uma consciência plenamente satisfeita; satisfação, contentamento, bem-estar.

“A felicidade dos meus filhos”. Essa é a resposta de quase todas as mães quando questionadas sobre seu maior desejo. Se por um lado, precisamos – para ontem – de um mundo melhor para vivermos, do outro, também precisamos urgentemente de pessoas melhores para a construção desse mundo melhor. Assim, pensar na felicidade de nossos pequenos e pequenas envolve uma gama de questões, que vão desde a realização profissional, até uma relação mais empática com as pessoas que os cercam. Mas, afinal, entre as tarefas e dúvidas diárias, como criar crianças felizes?

Pensando em ajudar mães e pais a criar filhos mais realizados e felizes, nós já publicamos aqui 10 coisas que você pode fazer por sua filha e 10 lições para criar meninos melhores para o mundo. Mas a grande verdade é que, assim como o amor, a felicidade é contagiante. Por isso, não há nada melhor para criar filhos felizes do que ser feliz!

Mãe, o que faz você feliz?

Muito se fala sobre o quanto mães realizadas e bem-sucedidas contribuem para filhos mais felizes e satisfeitos. Mas o que faz uma mãe feliz pode, não necessariamente, fazer as outras também. Então, o que significa ser bem-sucedida? Trabalhar fora, dedicar 100% do tempo aos cuidados com o filho, ir à academia, viajar a passeio ou a trabalho, cozinhar para a família, reunir os filhos para assistir um filme, colocar os pequenos para dormir, cantar, andar de bicicleta, ler junto com as crianças, sair para dançar… Muitas coisas podem trazer prazer à uma mulher, tornando sua vida mais plena e satisfatória e, consequentemente, tornando-a uma mãe mais feliz. Isso, sem dúvidas, influencia na rotina com os pequenos. Uma vez que ela é uma pessoa completa e realizada consigo mesma, essa mãe consegue impactar mais positivamente a vida dos filhos, estimulando sua autoestima, o amor e respeito ao próximo, a empatia e um desenvolvimento mais pleno.

Portanto, muito mais do que simples escolhas, as decisões das mães influenciam diretamente em seu bem-estar e em sua realização enquanto pessoa e enquanto mulher. O papel de mãe, ainda que importantíssimo para a mulher, não precisa limitá-la. Afinal, antes de ser mãe, ela é filha, é profissional, é namorada, esposa, neta e os outros tantos papéis que possa exercer ou já ter exercido durante a vida.

Por isso, antes de apontar ou julgar as decisões de uma mãe, como algo melhor ou pior para seu filho, reflita sobre o bem-estar e a felicidade dessa mãe também. Tenha respeito e, mais do que isso, tenha empatia, pois, embora isso possa não fazer sentido para o seu contexto, pode ser algo que fará a diferença na vida dessa mulher e, consequentemente, de seu pequeno também. Por mamães cada vez mais felizes, por crianças e um mundo melhor!

Leia também:

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e autora no Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.