Em tempos de constantes mudanças, rapidez e evolução tecnológica intensa, fica difícil escaparmos da ansiedade. Isso inclui também as crianças, que, assim como nós, são bombardeadas de novidades e informações todos os dias. Assim, a ansiedade passa a fazer parte da nossa cultura e cabe a nós, dar uma pausa na correria, respirar fundo, refletir sobre nós mesmos, ou, simplesmente, tirar um tempo para não fazer nada. Desacelerando, ouvimos mais a nós mesmos e aos nossos filhos, conseguindo, assim, ajudá-los a lidar melhor com esse sentimento.

O que deixa uma criança ansiosa?

Começar a ir à escola, um dia de prova, estar em um lugar novo, estar longe dos pais, esperar por algo importante… São muitos os motivos que levam uma criança a sentir-se ansiosa. A ansiedade é algo natural, faz parte do desenvolvimento e do desenrolar da vida… Basta lembrar dos frios na barriga, ou de quando éramos crianças e os caminhos nas viagens pareciam não ter fim! Afinal, estar diante do novo ou do inesperado desperta o sentimento de ansiedade em todos nós, e, assim como outros sentimentos, este também tem sua função e importância.

No entanto, diferente de quando somos adultos e falamos sobre este sentimento, identificando suas causas, as crianças ainda estão vivendo o processo de aprender a dar nomes e entender os sentimentos. Portanto, a ansiedade pode ser vivida como algo confuso por elas, sendo até mesmo interpretada como medo ou raiva. Assim, cabe aos pais e às outras pessoas mais experientes ajudar as crianças a compreender melhor este sentimento tão intenso.

Como lidar com isso?

O estresse e as diversas atividades do dia a dia, muitas vezes, geram empecilhos para que se tenha tempo para a família ou para si mesmo. Portanto, quando se trata da ansiedade dos filhos, é importante que, em primeiro lugar, os pais olhem para si mesmos, observando seu próprio comportamento. Outro ponto fundamental é levar a sério os sentimentos dos pequenos, ouvindo-os e tentando ajudá-los a compreender o que estão sentindo. Além de ter o cuidado para não pressionar os filhos diante de algo que os façam sentir ansiosos. Por exemplo, se seu filho fica muito ansioso em lugares fechados, não o force a frequentar tais lugares, deixe que ele explore e enfrente esse desafio no seu tempo, sempre conversando e ajudando-o a lidar com seus sentimentos.

Quando procurar ajuda profissional?

Antes de mais nada, é importante entender que alguns sintomas relacionados à ansiedade são naturais na infância, uma vez que as crianças vivem o novo o tempo todo. Porém, quando a ansiedade torna-se algo disfuncional, ou seja, quando impede a criança de realizar tarefas simples do dia a dia, como sair de casa, realizar atividades, participar de algo, estar em determinados lugares ou separar-se de seus pais, é hora de procurar ajuda profissional. Sempre com o cuidado de não rotular a criança a partir de um diagnóstico. Os diagnósticos relacionados aos transtornos de ansiedade podem ajudar nos casos mais graves, principalmente naqueles em que se tem que entrar com intervenção medicamentosa. Mas, em geral, a ajuda de um psicólogo basta, já que na terapia as causas da ansiedade são abordadas e a criança recebe ajuda para enfrentar suas dificuldades e medos, sempre no seu tempo.  

Dica Leiturinha:

O menino que tinha medo de errar

O menino que tinha medo de errar

Autora: Andrea Viviana Taubman
Ilustradora: Camila Carrosine
Editora: Zit

Este é um livro que aborda o tema da ansiedade relacionada ao medo de errar e mostra os esforços de um garoto muito criativo para superar esse sentimento paralisante e ir em direção ao novo. Pedro é um menino que vive preocupado, com medo de errar. Ele prefere ficar em casa sozinho, sem brincar com os amigos na rua, pelo terrível medo que tem de errar nessas brincadeiras. Mas durante uma noite, ele sonha com uma fada que irá mudar sua perspectiva diante do que assombra os seus dias. O menino que tinha medo de errar fez parte da seleção de livros que compõem o Kit Leiturinha. Confira dois depoimentos que recebemos de mães de pequenos leitores que receberam o livrinho e contaram sua experiência:


Oi pessoal da Leiturinha, quero agradecer muito pela escolha do livro do meu filho: O menino que tinha medo de errar. Ele tem pânico de escuro, a psicóloga disse pra não insistir e deixar ele no tempo dele. Mas o livro o ajudou bastante, na primeira noite que li o livro pra ele, conseguimos apagar a luz da sala, ficou só o abajur ligado. Parece pouco, mas para nós foi uma conquista. Muito obrigada mesmo, vocês são muito especiais para nós.

O envio do último kit (O Menino que tinha medo de errar) foi uma entrega muito especial. O livro chegou com um tema para a fase que a minha filha tem passado. A fase da auto cobrança, medo de novos desafios, principalmente escolar, e o livro e a dica contribuiu muito para isto. Quando recebemos o kit, por coincidência, foi exatamente o que tanto queríamos. Deixo aqui os meus parabéns e o meu Muito Obrigada! Ass: Luana.

E você? Acha que rotinas aceleradas tornam os pequenos mais ansiosos? Como você lida com isso em seu dia a dia? Compartilhe com a gente suas experiências!

Leia mais:

Profile photo of Sarah Helena

Mãe da Cecília, psicóloga, especialista em Filosofia, sempre trabalhou com famílias, especialmente com os pequenos. Por esse amor ao universo afetivo infantil, hoje, na Leiturinha, ela colabora fortalecendo o vínculo das famílias leitoras através da experiência da literatura.