Qual o limite da vaidade?

Apesar da crescente discussão sobre os padrões de beleza e questões estéticas atualmente, cada vez mais cedo encontramos crianças pequenas preocupadas com a aparência. Meninas e meninos que querem o corte de cabelo da moda, pedem para usar maquiagem e procuram roupas e acessórios de marcas conhecidas.

É claro que ensinar as crianças a cuidarem de si e a se gostarem é importante, uma vez que estimulamos sua autoestima, a autoconfiança e a vontade de se sentirem bem consigo mesmas. No entanto, é preciso estar atento para que essa não se torne a principal preocupação dos pequenos.

Quando deixa de ser só uma brincadeira?

Na maioria das vezes, o interesse das crianças pelo assunto não passa de uma brincadeira. Para elas, colorir as unhas ou o rosto é tão legal quanto fazer um desenho no papel e, por esse motivo, provavelmente a intenção delas não é realçar a beleza, mas sim se divertir.

Brincar de ser grande, com as roupas da mãe ou do pai, seus sapatos e acessórios, faz parte da descoberta do mundo, do desenvolvimento da imaginação, da criatividade, do crescimento emocional e do pensamento lúdico. Porém, quando a vaidade deixa de ser brincadeira, e se transforma em motivo para agradar as pessoas e chamar sua atenção, é preciso ficar atento.

Em alguns casos a brincadeira que deveria ser eventual se torna corriqueira e a criança já não quer mais sair de casa sem estar perfeitamente arrumada e passa grande tempo em frente ao espelho. Isso prejudica o seu dia a dia e pode levar essa criança a agir de maneiras muito diferentes daquilo o que se espera para sua idade.

Ela deixa de brincar, de ser espontânea e já não se sente mais à vontade consigo mesma, agindo sempre da maneira como acredita agradar mais aos outros. Além disso, futuramente, a criança pode se tornar refém de padrões de beleza que, na grande maioria das vezes, não condizem com a realidade da maioria das pessoas.

Como lidar com a vaidade infantil?

Em primeiro lugar lembre-se sempre de que nós adultos somos os maiores modelos das crianças. Os valores que os pais transmitem aos filhos são parte importante na base que irá formar a personalidade deles.

Além disso, precisamos sempre estimular a criança a aproveitar todas as fases de seu desenvolvimento de forma natural. Criança precisa ser criança e o brincar é essencial na vida de todas elas.

Quando os cuidados com a própria aparência limitam o dia a dia da criança, ou se tornam prioritários para ela, muitas vezes, é importante buscar ajuda profissional, na tentativa de identificar os fatores que podem lhe causar ansiedade e ajudá-la a lidar com a sua insegurança.

O diálogo entre pais e filhos é fundamental sempre. É importante conversar com a criança e explicar que cuidar de si mesma é legal, mas que a aparência não é tudo e que a felicidade está muito além dos contornos do espelho.

Leia também:

Profile photo of Flávia Carnielli

Mãe da Maria Clara, mestre em psicologia clínica, especialista em psicologia perinatal e formada em psicoterapia infantil. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento aqui no Blog, à convite da Leiturinha.