Que PlayKids traz o melhor conteúdo infantil, selecionado por uma equipe especializada, você já sabe. Mas a novidade é que neste ano, pela primeira vez, participamos do 30º Festival Internacional de Curtas, o Kinoforum, premiando um conteúdo. 

O selecionado foi Vivi Lobo e o Quarto Mágico, dirigido por Edu Camargo e Isabelle Santos, uma história que nasceu no Paraná e está ganhando o mundo. Na história, a menina Vivi enfrenta desafios típicos da infância, como os apelidos maldosos vindo de seus colegas de escola, a dificuldade em fazer amigos e a solidão. Seus refúgios são os livros e sua gata, Matilde. Em seu quarto, Vivi esquece dos problemas e embarca em um mundo de imaginação ao lado de mulheres incríveis (como uma pintora muito famosa e uma jogadora de futebol que nos enche de orgulho!).

Após a premiação, que aconteceu no dia 30 de agosto, batemos um papo com os produtores sobre a emoção do prêmio, suas visões sobre conteúdo infantil e claro, os sonhos pro futuro. E trouxemos este bate-papo delicioso direto do Festival aqui para o Blog! 

PlayKids: Na sua opinião, qual a importância de iniciativas como o Prêmio PlayKids para a produção audiovisual infantil?

Produção do Curta: É muito importante para nós, novos produtores independentes de conteúdo audiovisual infantil, contarmos com iniciativas como o Prêmio Playkids, porque isso mostra que mercado de distribuição está interessado em produções nacionais de curtas-metragens independentes e valorizando novos talentos. Estar na programação do Kinoforum já era uma grande vitória. Sermos contemplados com o prêmio então, foi algo incrível.

PlayKids: Para vocês, qual o maior desafio de produzir conteúdos para crianças?

Produção do Curta: O maior desafio foi colocar uma extensa pesquisa de público consumidor em prática e ver se de fato ela funcionaria. Vivi Lobo e o Quarto Mágico é fruto da pesquisa acadêmica empreendida por Isabelle que gerou um livro ilustrado infantil homônimo, voltado para um público entre 8 e 9 anos, de onde nos baseamos para construir o roteiro do curta. 

Havia muita preocupação com a obra ser relevante e adequada às crianças. Era importante e desafiador entender a melhor forma de comunicar temáticas sensíveis e delicadas, sem subestimar a capacidade intelectual e inventiva das crianças e suas vivências.  

PlayKids: Quais são as referências de vocês? Em quem se espelham para fazer conteúdo infantil de qualidade?

Produção do Curta: Nosso curta possui muitas referências, as quais surgem de diversas fontes, mas também ultrapassando as fronteiras do audiovisual. Por nascer de uma pesquisa acadêmica, o projeto foi inteiramente construído em cima de autores e obras que pensam a infância, as questões de gênero e do feminino. 

Um exemplo é o nome da personagem, Virginia (Vivi) Lobo, uma homenagem e brincadeira com o nome da importante escritora inglesa, Virginia Woolf. Em 1929, ela escreveu o livro ‘’Um teto todo seu’’ em que defendeu a escrita feita por mulheres e um espaço para que possam exercer o exercício criativo, e estimular sua capacidade inventiva, intelectual e de protagonismo. Isto é, ela cita um espaço que além de tudo seja material, um quarto. Nos espelhamos, de maneira geral, em conteúdos infantis engajados que trazem diversidade em seus personagens e histórias.

PlayKids: O filme está com uma carreira bem interessante, passando por Curitiba, Rio e São Paulo, foi premiado em Florianópolis. Vocês esperavam por isso? O que mudou depois de tanta repercussão?

Produção do Curta: Não esperávamos chegar em tantos lugares e a tantas pessoas tão rapidamente. Nem o tamanho do retorno positivo por parte do público, dos festivais e das crianças. Todo o trabalho foi feito com propósito, muito amor e dedicação. Contudo, como nunca havíamos produzido animação antes, nem conteúdo infantil, estávamos cautelosos, entendendo o segmento, sem muitas expectativas sobre a carreira do curta-metragem. O filme teve sua primeira exibição em festivais em abril deste ano. Esses meses de circulação têm sido de extrema alegria e importância para a gente. Estamos muito felizes em poder chegar a diversas crianças de todo o Brasil, de diversos recortes, em especial da rede pública de ensino. Nos deixa extremamente realizados nos conectar com o público infantil e levar discussões importantes e sensíveis para dentro e fora das escolas. Estar, agora, no App da Playkids com certeza vai ajudar a obra a chegar ainda mais longe.

PlayKids: De certa forma, o curta aborda as dificuldades da infância diante de bullying, amadurecimento, fala de autoconhecimento e sororidade. Vocês acreditam no papel do conteúdo infantil para a educação? Essa missão estava clara na mente de vocês ao iniciar o projeto?

Produção do Curta: Totalmente. Acreditamos que os processos de aprendizagem, formação de valores e de identidade acontecem de vários jeitos, por diversos meios, de forma indissociável. Quando crianças, aprendemos todos os dias, com a família, com os brinquedos, com os amigos, e também com os produtos de comunicação. Entender isso foi uma das principais motivações de todo o projeto existir, desde o livro infantil, até o curta-metragem. A Vivi Lobo foi criada através de investigação sobre protagonismo feminino nos produtos de comunicação voltados à infância, a fim de que essa temática pudesse ser difundida cada vez mais entre as crianças. E a partir disso, construímos uma obra audiovisual que buscasse estimular nas crianças o desejo, a autonomia e o pensamento crítico, os/as encorajando a serem o que quiserem ser. 

PlayKids: Quais foram as maiores dificuldades para a produção?

Produção do Curta: Uma das grandes dificuldades foi conciliar o curto prazo de produção da parte artística ao número reduzido de integrantes na equipe. Por sermos uma equipe muito enxuta, tivemos que lidar com algumas situações adversas para que o filme fosse concluído em tempo hábil. Além disso, o curta foi viabilizado por Lei de Incentivo municipal, então tivemos que seguir o calendário de entregas previsto em edital.

Aprendemos que o processo de animação é bem complexo e muito diferente de uma produção live-action. Entender a dinâmica de trabalho de um filme animado, suas complexidades e especificidades foi bem desafiador para nós. Tivemos a grande sorte de contar com a equipe da Dogzilla Studio, uma produtora de animação do Paraná que acolheu esse projeto com muito amor e co-produziu o filme com a gente. 

PlayKids: Agora que Vivi está voando alto, quais os próximos passos? Já há um novo projeto sendo trabalhado? Conte-me as novidades!

Produção do Curta: Em 2019, começamos a desenvolver o projeto de série da Vivi Lobo. Até o momento, desenvolvemos uma proposta de treze episódios, treze novas viagens da Vivi para o quarto mágico de outras meninas fantásticas. Cada episódio é inspirado em uma mulher incrível e o cenário é inspirado nos quartos onde elas moraram de verdade. Imagine uma menina que sempre encontrou portas fechadas, mas um dia, ela encontrou uma porta mágica. Imagine as aventuras que ela pode viver. Inclusive a mais importante de todas: aceitar a si mesma. 

Estamos também trabalhando na viabilização do livro infantil ilustrado da Vivi Lobo, buscando editoras e mecanismos de incentivo à cultura para publicar a obra. Em breve mais novidades sobre isso. E futuramente temos o objetivo de licenciar produtos da Vivi Lobo. Já pensou em uma linha de material escolar da Vivi que coisa mais linda? Ou produtos pet inspirados na Matilde, a gata voadora?

Leia mais:

Profile photo of João Godoy

João Godoy é editor de conteúdo da PlayKids. Roteirista e produtor criativo, é um dos criadores dos personagens da série animada O Pequeno Mundo de Dante.