Basta começar a navegar pela internet, que o tempo voa, e quando percebemos já estamos vendo um conteúdo que não tem relação alguma com o propósito que motivou a busca. Um link leva a outro e a outro e a outro, até que divagamos em uma imensidão aparentemente desconexa.

Selecionar os sites, as newsletters e as notificações que chegam até nós torna-se então crucial quando o assunto é otimização de tempo e relevância informativa. Para que não nos percamos em assuntos não importantes, e consigamos lidar de forma mais positiva com o FOMO (Fear of missing out), sigla em inglês que representa o medo de perder algo importante nesse excesso de informação e durante o tempo desconectado. 

Curadoria na internet: se é importante para os adultos, imagina para as crianças?

Curadoria torna-se então, prioritária. Transferindo isso para a perspectiva da criança, o assunto ganha ainda mais foco. Se para nós, adultos, essa seleção é crucial, imagina para crianças, que ainda estão em desenvolvimento, e, portanto, não aptas a lidar com diversas temáticas e ameaças. 

Segundo dados da TIC Kids Online Brasil 2017, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), 85% das crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos têm acesso à internet. Isso mostra com clareza a imensidão do cenário. E intensifica que ações que ensinem esses jovens a usufruir dessas possibilidades de maneira saudável e segura.

Esteja próximo do seu filho

Para isso, acredito que uma forma interessante seja orientar seu filho sobre como utilizar a rede da melhor forma possível, conversar, dialogar e criar uma relação de confiança, para que seu filho te reporte qualquer contato com conteúdos e pessoas estranhas. Mais do que controle, é necessário orientação, pois frequentemente seu pequeno usará a internet em outros contextos que não estarão sobre sua vigília. Assim, é crucial uma relação forte o suficiente, para que seu filho esteja sempre interessado em compartilhar sua rotina virtual.

Escolham juntos o que acessar

Outra possibilidade é selecionar, junto ao seu filho, sites e aplicativos que conjuguem com os valores e interesses da sua família. A “guarda-compartilhada” com aplicativos que te transmitem confiança é uma boa estratégia para o letramento digital da sua criança ou adolescente. 

A tecnologia faz parte do nosso cotidiano, então é natural que as crianças iniciem seu contato com a internet cada vez mais cedo. Por isso, informe-se sobre aplicativos educacionais que, de fato, tenham conteúdo seguro e adequado para a faixa etária do seu pequeno. Converse sobre as possibilidades e ameaças da internet. 

Instigue que seu filho use a internet de forma saudável, que evite brigas, e que não use a internet para provocar outras crianças e reporte caso se sinta insultado.

Conheça os jogos e redes sociais favoritas do seu filho. Acompanhe e oriente. 

Façam atividades juntos, crie momentos para que a internet conecte a sua família e inspire-os a desfrutar mais momentos juntos. 

E divirta-se!

Leia também:

Profile photo of Nathalia Pontes

Mestranda em Psicologia da Educação, Psicopedagoga e Escritora, acredita que aprender é uma combinação entre autoconhecimento, troca e curiosidade pelo novo. É apaixonada por educação, desenhos, viagens e literatura.