A partir da vigésima semana – ou quinto mês – de gestação, o bebê passa a ouvir e ser estimulado pelos sons de fora da barriga; a mãe pode começar a estreitar os laços e despertar na criança o prazer de escutar sua voz. Existem diversas formas de incentivar o bebê antes do nascimento, mas ler para o bebe na barriga, provavelmente, a ferramenta que mais aproxima pais e filhos.

A voz dos pais

No período intrauterino, o bebê já reage à voz dos pais e isso deve ser aproveitado para intensificar a união – principalmente com o pai, já que não tem uma ligação física literal com o filho. O importante é a cadência da voz durante a leitura, que acalma ao mesmo tempo que estimula; além disso, as tensões que a mãe eventualmente sofre durante a gestação podem ser passadas para o neném, e ler ajuda a tranquilizá-lo.

O diferencial aqui é o tema das histórias. Enquanto que numa conversa regular nem sempre falamos sobre assuntos indicados para as crianças, ao utilizarmos um livro para bebê, damos a possibilidade da familiarização com uma leitura que já é pensada para eles, com uma temática mais leve e amena.

Criar um hábito

No útero, o bebê é apenas ouvinte, mas sabe-se que acostumar a criança a ouvir os pais lendo – e reservar um tempo do dia para isso – é fundamental desde a gestação. É semelhante à música: não importa o entendimento da história, o essencial é criar um ritual.

Assim, depois do nascimento, a criança sente a necessidade de continuar o hábito; ela própria pode manusear o livro, que serve para despertar a imaginação e a curiosidade, não auxiliar na alfabetização. É importante deixar que o filho segure o livro enquanto os pais leem, e a história infantil ilustrada é um gênero bastante apropriado, pois o bebê também recebe agora o estímulo visual.

Como encontrar

A cada fase de sua vida, há um livro que é ideal para o bebê – antes e depois de nascer. A fim de tornar mais fácil a escolha dos pais, já que a vida fica um tanto quanto agitada principalmente no último trimestre de gestação e nos primeiros meses do pós-parto, existem ferramentas muito práticas para a seleção e entrega de livrinhos infantis.

Apesar de serem muito comuns as reuniões de futuros pais para leituras coletivas, o ideal ainda é ter uma coleção própria em casa, para os momentos em que é difícil sair. Pensando nisso, foram criadas maneiras de descomplicar o processo de escolha, para evitar perder um tempo que, nesse período, é precioso; o clube do livro é um exemplo, pois conta com categorias específicas de acordo com a faixa etária dos bebês e entrega em domicílio.