Inteligência Artificial (A.I.), Computação Afetiva, Criptomoedas… Vários são os termos que, embora pareçam futuristas, já são realidade em diversas empresas e ramos. A educação dos pequenos não fica de fora desta evolução. E não é pra menos, a compreensão da tecnologia já vem praticamente anexa ao DNA da Geração Alpha. Isso torna tudo muito mais natural e prático à ela.

A Inteligência Artificial atuando no combate ao bullying 

Do mesmo modo, temos diversos casos do uso de Inteligência Artificial para combater bullying e monitorar pensamentos suicidas. Por exemplo, o caso Instagram que evidenciou que 42% dos casos de bullying, em 2007, ocorreram pela plataforma. Assim, a empresa decidiu aplicar a Inteligência Artificial para detectar e deletar os casos deste crime em comentários. 

A Escola Bosque, situada no município de São Paulo, também recorreu à Inteligência Artificial para conscientizar os alunos sobre bullying. Desta forma, os alunos utilizam um chatbot – que é uma espécie de assistente virtual criado para interagir com as pessoas por meio de mensagens pré-programadas – para tirar suas dúvidas sobre o tema. 

Já o Facebook usa A.I. para identificar usuários que podem cometer suicídio usando algoritmos que identificam padrões de palavras e outras combinações de dados. Assim, identificadas as pessoas, a rede envia contacta a equipe de Operações Comunitárias, que dispara um alarme caso alguém esteja em risco. E, em casos graves, o Facebook pode entrar em contato com autoridades locais. O Google, por sua vez, informa o telefone de uma instituição de prevenção, caso alguém use o buscador para procurar conteúdo relacionado à suicídio.

Como a Inteligência Artificial e Computação Afetiva podem auxiliar o desempenho escolar do seu pequeno?

A Inteligência Artificial combinada com Computação Afetiva pode, também, ser a diferença na vida de alunos. Já existem aplicativos que, junto ao chatbot, mostram exatamente qual dúvida o aluno teve durante a execução de um exercício de física, por exemplo. Quando utilizada na escola, a inteligência pode ajudar o aluno a melhorar o seu humor, ambientar o aprendizado e identificar dúvidas de maneira personalizada

E a PlayKids em meio a tudo isso?

A PlayKids, por sua vez, recentemente lançou uma nova versão do PlayKids Explorer, acompanhada de um assistente virtual, o Kode. Assim, estamos sempre em busca das possibilidades de inovações e avanços no mercado educacional, para sua melhor atuação.

A exigência que o homem desenvolve perante esses softwares é diretamente relacionada ao nível de eficiência da máquina. Ou seja, quanto mais aplicável, quanto mais dores esse software resolve, mais essencial ele se torna, impulsionando o ciclo da evolução. E consequentemente, ajudando e facilitando a vida de mais e mais pessoas.

Leia mais:

Profile photo of Nathalia Pontes

Mestranda em Psicologia da Educação, Psicopedagoga e Escritora, acredita que aprender é uma combinação entre autoconhecimento, troca e curiosidade pelo novo. É apaixonada por educação, desenhos, viagens e literatura.