Regra geral, os pais sempre desejam que seus filhos desenvolvam talentos que os guiem pela vida e façam com que tenham sucesso. Mas como saber, desde cedo, quais as aptidões de cada criança, de forma a poder aconselhá-la da melhor maneira possível?

Segundo Juliana Palombo, psicóloga e sócia da Palombo RH Consultoria em Recursos Humanos, a manifestação do talento é consequência das relações com o ambiente e dos aspectos culturais a que cada um é submetido, levando em conta também fatores biológicos e psicológicos.

Por isso, não é possível determinar uma idade exata para que as crianças demonstrem aptidão para algo em específico – existindo a possibilidade, inclusive, que alguns dons se manifestem tardiamente, já na fase adulta.

Quando somos crianças, no entanto, os talentos se apresentam com mais facilidade, pois esta é a fase em que o caráter está sendo moldado – fator que, em conjunto com as oportunidades que surgem e as motivações apresentadas por cada um, é peça-chave para o desenvolvimento de aptidões.

Apesar de não existir uma idade-padrão, é certo que todas as pessoas têm habilidades que podem, sim, ser estimuladas logo na infância. Mas apesar de os pais incentivarem o que consideram correto (e desejam para os filhos), nem sempre o resultado é eficaz.

“E isso acontece justamente devido às variáveis que determinaram as aptidões de cada um”, explica a psicóloga.

O que os pais precisam ter em mente é que eles podem (e devem) estimular seus filhos para os mais diversos tipos de talento – esportes, artes, ciências exatas, comunicação, entre outros.

Uma vez que a criança tenha todas as suas competências estimuladas, ela poderá se desenvolver de forma mais harmônica, evitando que apareça qualquer tipo de bloqueio de capacidades.

“Um grande erro é uma pessoa frustrada em algum objetivo buscar a autorrealização em terceiros, por exemplo, uma mãe que queria ter sido bailarina levar sua filha a um processo exaustivo para que se torne uma dançarina, não dando opção para que ela tome outra decisão”, comenta Juliana.

Como pais, a escolha de qual habilidade incentivar é totalmente particular, mas o importante é dar à criança a oportunidade de experimentar o máximo de opções possíveis.

Assim, ela estará segura para buscar um espaço que seja o mais adequado possível para as suas inclinações. “Uma criança bem direcionada torna-se um adulto mais seguro”, lembra a psicóloga.

Mas o que é o talento?

Outro fator muito importante para a evolução dos filhos é que os pais compreendam bem o conceito de talento para que possam passar a mensagem correta às crianças.

Os adultos precisam questionar o que entendem como talento, o que estão apresentando aos seus pequenos e quais são suas expectativas em relação a eles. Só assim será possível direcionar as crianças da maneira correta.

Além disso, é preciso estar atenta aos excessos. A atual geração Z tem a característica de fazer muitas atividades, sem se aprofundar em nenhuma delas. Nesse caso, a única solução é um trabalho focado e direcionado para o autoconhecimento.

Sendo assim, quando a criança demonstra dom para algo em específico, o ideal é que os pais a incentivem, direcionem e apresentem os prós e contras, permitindo que ela fortaleça suas próprias escolhas.

Por Disney Babble.