Aniversário da Leiturinha, os melhores descontos pra incentivar a leitura infantil. Vem pro Clube! Assine agora

A arquitetura e a infância – do quarto aos espaços urbanos

por | fev 16, 2016 | 0 Comentários

Já ouviu falar no método montessori? E o que acha de um ambiente todo planejado sob a perspectiva dos pequenos? Existem formas ótimas de organizar o quarto e o cantinho da leitura inspiradas nas teorias de Montessori! Esta é exatamente a história da mamãe e arquiteta Catharine que divide sua experiência na Folha Vitória. Compartilhamos suas dicas aqui para inspirar mais famílias na preparação de um cantinho bem aconchegante para os pequenos. Boa Leiturinha! 😉

‘Como toda arquiteta, logo que descobri a gravidez da Elis, me veio à cabeça o quarto!

Cor: se for menina, todo rosa, nunca! Se for menino, todo azul, jamais! Queria ser uma mãe descolada e não me prender a esses estereótipos. Sempre tive tendência a procurar outras alternativas para as coisas, pois elas estão aí nesse mundo amplo e diverso.

Pesquisas, inspirações, possibilidades e muita vontade de botar a mão na massa! Como moramos num apartamento alugado, não queria nada que tivesse alto custo ou que fosse muito fixo. Apenas cômoda e cabideiro, ao invés de um armário embutido; prateleiras; cama auxiliar; adesivos, almofadas e móbile no estilo “faça você mesmo”, poltrona de amamentar e, lógico, um berço. Tudo muito lindo, moderno e funcional… Para mim.

Confesso que por pensar muito nas dificuldades e adaptações dos primeiros meses, foquei principalmente em criar um espaço de acordo com o meu ponto de vista e isso deu bastante certo nos primeiros meses da maternidade.

Com Elis já ameaçando dar seus primeiros passinhos, a observei se esforçando sem sucesso, ao tentar pegar os livrinhos das prateleiras e me dei conta de que eles estavam na altura errada – era a altura que tinha pensado para o meu mundo, não o dela.

Outro fator importante que me fez enxergar que o quarto já não estava mais adaptado ao seu mundo foi quando percebemos que ela se movimentava demais enquanto dormia. Batia com força nas barreiras do berço e acordava com muita frequência.

Quarto com inspiração Montessoriana Foto|Amazing Interior Design

Quarto com inspiração Montessoriana
Foto: Reprodução

Inspirados pelo método Montessori, a colocamos para dormir num colchão grande e baixinho no chão, com proteções nas laterais para que ela não se machucasse. Foi a descoberta da pólvora para a gente! As noites ficaram muito mais tranquilas, ela começou a ser mais ativa dentro do cômodo, a interagir mais com o ambiente e com seus brinquedos e até a pedir para deitar na caminha com a gente ao lado.

Com o tempo e com a vivência tão intensa da maternidade, juntando o fato de que já estava começando a sentir falta de voltar a produzir, retomei as minhas pesquisas e, conhecendo mais de perto alguns métodos alternativos de ensino e como eles possuem seu conceito de forma intimamente atrelada à arquitetura, me apaixonei profundamente pelo assunto e todo o amor que sempre tive guardado em mim por projetar espaços significativos e que contribuíssem com a formação infantil, voltou a aflorar, agora com mais força e desejo de novas perspectivas.

“Acredito que a maior e melhor relação nossa com o entorno urbano é premissa para se produzir espaços públicos melhores no futuro.”

Passei a maior parte da minha vida como arquiteta trabalhando com projetos escolares, mas foi com a maternidade que comecei a enxergar mais profundamente e a ter maior interesse pela relevância da relação entre o comportamento infantil e o espaço projetado. E isso vai além das quatro paredes do quarto e da brinquedoteca ou do prédio escolar. Isso pode e deve avançar pela nossa rua, nosso bairro, nossa cidade.

“Minha formação é em arquitetura e urbanismo e esse último sempre teve um lugar cativo em meu coração e nos meus estudos.”

Minha formação é em arquitetura e urbanismo e esse último sempre teve um lugar cativo em meu coração e nos meus estudos. Parece estranho agora relacionar o mundo infantil com a cidade, mas isso é totalmente possível e desejável.

Acredito que a maior e melhor relação nossa com o entorno urbano é premissa para se produzir espaços públicos melhores no futuro. Já é provado que crianças que crescem e se desenvolvem tendo contato com a natureza, serão adultos mais predispostos a valorizá-la e preservá-la e isso pode muito bem se enquadrar às nossas cidades.

“Elas (as crianças) são o nosso futuro e é importante que pensemos em cuidar delas…”

Quem sabe nossas crianças, tendo maior contato com o verde e com os espaços públicos (e não falo da área de lazer do nosso condomínio), não serão adultos que produzirão espaços de convívio mais saudáveis e acessíveis a todos?

A acessibilidade, como a utilizamos com maior frequência, trata de pessoas com deficiência e idosos primordialmente, mas por que não também de crianças? Elas são o nosso futuro e é importante que pensemos em cuidar delas e dar a elas voz: espaços de liberdade criativa e de movimento corporal com segurança.

Vamos conversar mais sobre isso? Ótima semana!

Catharine’

Categorias:
Atividades
Escrito por Blog Leiturinha
A equipe do Blog Leiturinha é formada por especialistas em educação, literatura infantil, parentalidade e desenvolvimento infantil.
E-book exclusivo Leiturinha
Relacionados
Por que visitar museus com as crianças?

Por que visitar museus com as crianças?

Você já pensou em visitar museus com as crianças? Para muitos adultos, essa atividade pode parecer cansativa e até pouco proveitosa para os pequenos e pequenas. Porém, conhecer um museu pode ser uma experiência incrível para toda família! Afinal, museus são espaços...

Filme Red: vamos falar sobre os desafios de crescer?

Filme Red: vamos falar sobre os desafios de crescer?

Muitas vezes, os filmes infantis costumam tratar de questões bastante interessantes para as crianças e também para os adultos, sobretudo seus pais, mães e pessoas responsáveis. Mas, e quando falamos de pré-adolescentes? O filme Red: Crescer é uma Fera é uma nova...

Conheça a história do Tangram e imprima o seu!

Conheça a história do Tangram e imprima o seu!

Jogos, enigmas, quebra-cabeças e outras atividades lúdicas são muito importantes para o desenvolvimento cognitivo, emocional e social dos seres humanos. E não é de hoje que essas brincadeiras são utilizadas para enriquecer o conhecimento: o Tangram, por exemplo, é um...

Por que visitar museus com as crianças?

Por que visitar museus com as crianças?

Você já pensou em visitar museus com as crianças? Para muitos adultos, essa atividade pode parecer cansativa e até pouco proveitosa para os pequenos e pequenas. Porém, conhecer um museu pode ser uma experiência incrível para toda família! Afinal, museus são espaços...

Filme Red: vamos falar sobre os desafios de crescer?

Filme Red: vamos falar sobre os desafios de crescer?

Muitas vezes, os filmes infantis costumam tratar de questões bastante interessantes para as crianças e também para os adultos, sobretudo seus pais, mães e pessoas responsáveis. Mas, e quando falamos de pré-adolescentes? O filme Red: Crescer é uma Fera é uma nova...

Conheça a história do Tangram e imprima o seu!

Conheça a história do Tangram e imprima o seu!

Jogos, enigmas, quebra-cabeças e outras atividades lúdicas são muito importantes para o desenvolvimento cognitivo, emocional e social dos seres humanos. E não é de hoje que essas brincadeiras são utilizadas para enriquecer o conhecimento: o Tangram, por exemplo, é um...

Por que assistir ao filme Os Caras Malvados com as crianças?

Por que assistir ao filme Os Caras Malvados com as crianças?

A série de livros infantojuvenis Os Caras Malvados fez um enorme sucesso em todo o mundo. E, agora, é a vez dessa saga incrível tomar conta das telonas! O filme Os Caras Malvados (2022) conta a história de um grupo de vilões, que planeja deixar a vida de golpes e...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

E-book gratuito! Vamos falar de conscientização ambiental com as crianças?

Descubra a importância do tema e o papel da literatura nessa jornada!

Boa leitura!