Como fica a vida a dois depois dos filhos?

por | dez 20, 2019 | 0 Comentários

E nós?

Não, eu não vou entrar no reafirmar das necessidades da equidade no casamento e na paternidade/maternidade. Não vou dizer sobre o status social que a maternidade nos designa. Não estou aqui, mais uma vez, para dizer sobre a importância e o peso disso. Mas quero falar sobre a importância de nos resgatarmos enquanto indivíduos depois dos nossos filhos. 

É muito, muito fácil dizer que a rotina pesa, que faltam braços para nos segurarem e nos acolherem, é isso mesmo. Mas, em que momento nos deixamos ser invadidas pelo status quo da maternidade e todas obrigações, deveres e comportamentos que ele nos condena? Escolhendo ou não, feliz ou ainda assimilando, nós, mulheres, não podemos nos perder das nossas essências. 

Durante a gestação, trabalhamos, nos relacionamos, isso tudo encantadas com o estado que nos encontramos. No meu caso, a maternidade veio com muitos sentimentos conflitantes, ela bateu em mim em diferentes momentos, de diferentes formas e mexeu com algo muito profundamente: meu casamento.

A vida a dois depois dos filhos 

Está tudo bem. Às vezes, está tudo tão bem que resolvemos até dar um upgrade nos nossos planos, e resolvemos ter um filho. Eis então que chega um “terceiro” no nosso relacionamento, e mesmo esse terceiro sendo tão esperado e querido, ele é um novo membro no relacionamento. 

Pois então que algumas coisas mudam, dentre elas a intimidade do casal. Afinal, olhar para nossa individualidade já fica complicado quando nos tornamos pais, imagina se atentar à individualidade a dois.

Fazendo um esforço…

Cuidar do relacionamento é tarefa dos dois. Para isso, é necessário sim um esforço. É muito difícil que o relacionamento, principalmente a sexualidade, se mantenha da mesma forma depois que os filhos nascem. Por isso, esse papo de reinventar tem que acontecer mesmo. 

Foque em resgatar a admiração e o motivo que fizeram vocês se apaixonarem. Mas antes, tente se apaixonar por você mesma. Para isso, invista no que te faz bem, esteticamente, emocionalmente, intelectualmente. E racionalize o tempo todo o objetivo que vocês tem juntos. Afinal, no final de tudo, o propósito de continuar juntos é o que mantém o bem-estar na relação. 

Leia também: 

Categorias:
0 - 3 | 10+ | 4 - 6 | 7 - 10 | Casamento | Família | Idade
Escrito por Caroline Lara
Líder da Equipe de Curadoria da Leiturinha, é formada em Psicologia e mãe do Caetano. Leitora compulsiva, é apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!
Relacionados
Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

“Rabo de peixe, cara de gente!” Makolelê é um gorila que todos os dias vai até Marina, uma sereia, para zombar dela. Um dia, Marina resolve falar como se sente quando ouve essas provocações. Essa é uma história sobre empatia, amizade e respeito construído entre seres...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *