Ensinar um segundo idioma aos pequenos é uma preocupação de muitos pais nos dias de hoje. Isso porque dominar mais de uma língua é algo que impacta positivamente no futuro das crianças, seja na vida pessoal ou profissional. Assim, as famílias investem em aulas de inglês e até em escolas bilíngues para que os filhos tenham contato desde muito cedo com outros idiomas – seja inglês, espanhol, francês ou qualquer outro. Nesse sentido, uma opção que também tem ganhado popularidade nos últimos anos é o ensino de uma segunda língua em casa, com dinâmicas e métodos que tornem as crianças bilíngues ainda dentro do ambiente familiar.

Essas metodologias vêm sendo adotadas tanto por casais com nacionalidades diferentes, ou que moram em um país diferente do de origem, quanto em famílias onde ambos têm a mesma língua materna e moram no país natal, mas um dos dois domina outro idioma. Para entender melhor como as famílias podem investir no ensino de uma segunda língua tornando as crianças bilíngues a partir da rotina familiar, nós trouxemos aqui dois métodos bastante populares e eficazes: o Minority language at home (MLH) e o One parent, one language (OPOL). Entenda melhor a diferença entre esses métodos e como cada um deles funciona:

One parent, one language (OPOL)

Também chamado de One person, one language (Uma pessoa, uma língua), este método funciona, principalmente, com casais de nacionalidades diferentes, onde cada um possui uma língua materna. Mas hoje já é comum também encontrar famílias com uma mesma nacionalidade que optam por este sistema, pois um dos pais domina um segundo idioma. Como o próprio nome diz, neste método cada um opta por falar em apenas um idioma com a criança (geralmente, a língua materna). Assim, o filho convive, em sua rotina familiar, com as duas línguas desde o nascimento, se desenvolvendo nos dois idiomas.

Minority language at home (MLH)

Este é método é bastante eficaz, sendo o mais comum em famílias que querem criar crianças bilíngues, principalmente quando estas moram em um país com língua diferente da língua materna. Minority language at home significa Língua Minoritária em Casa. Isso quer dizer que neste sistema, os pais optam por falar o idioma materno em casa e na rotina familiar e a criança aprende o idioma do país de residência na escola e outros ambientes sociais fora e casa.

Essa, muitas vezes, é a única opção para famílias que saem de seu país natal mas não querem deixar de comunicar com os filhos em sua língua materna. Este é um método eficaz porque a criança tem contato com a língua minoritária desde o nascimento até sair da casa dos pais.

Leia também:

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e autora no Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.