O contato com a literatura traz diversos benefícios desde o início da vida. Por esse motivo, tornar o acesso aos livros cada vez mais amplo, é fundamental para que esses benefícios possam chegar a todas as crianças. Por isso o tema literatura infantil e inclusão deve ser sempre debatido! 

Iguais, porém diferentes. Cada criança se desenvolve à sua maneira!

As crianças se desenvolvem de formas diferentes umas das outras sendo influenciadas não só por fatores biológicos, mas por vários outros, como o ambiente em que vivem e os estímulos que recebem, por exemplo. Interpretar dessa forma os acontecimentos que precedem a compreensão do mundo e o aprendizado de significados, rompe com a ideia de que a criança se desenvolve a partir de acumulações sucessivas naturais ao curso do desenvolvimento humano. 

Ao contrário dessa concepção, entende-se que é do lançar da criança no mundo que ela se desenvolve. Por isso, podemos afirmar que mesmo com a ausência de alguma deficiência, todas as crianças se desenvolvem de acordo com suas próprias habilidades, dentro do seu próprio contexto. Sendo mais específico, o estudioso do desenvolvimento infantil, Vygotsky, pontuou a respeito do desenvolvimento de crianças com alguma deficiência: “uma criança cujo desenvolvimento está complicado pela deficiência não é simplesmente uma criança menos desenvolvida que as outras, mas uma criança que se desenvolve de outra maneira”. 

Literatura infantil e inclusão: O papel da literatura no desenvolvimento das crianças

É através da experiência da leitura e pelo intermédio e contato com os diferentes tipos de livros que as crianças com deficiência têm a oportunidade de acessar diferentes leituras do mundo e aprender diferentes conceitos. Quanto mais frequente e maior o acesso à literatura, mais variadas serão as informações que elas captam, sendo mais rico seu aprendizado. Por isso a adaptação dos livros é uma das maneiras de que crianças com deficiências específicas possam ter contato não só com a leitura, mas com a aquisição de conceitos e de novas estruturas linguísticas.

Assim,  todos os benefícios da leitura na infância, nas diversas áreas do desenvolvimento, como a cognição, linguagem, desenvolvimento motor, autocuidados e socialização, podem ser também apreendidos por uma criança com alguma deficiência.

Para além das influências que a leitura exerce no desenvolvimento saudável na infância, reafirmamos a importância do ato de ler como forma de construção do sujeito perante ao mundo. A literatura tem grande influência na forma com que o sujeito percebe o mundo em sua extensão para além do que está ao alcance da sua percepção

A produção literária a favor de um mundo mais inclusivo

A Fundação Dorina Nowill para Cegos é uma organização sem fins lucrativos e de caráter filantrópico. A instituição existe há mais de 70 anos e dedica-se à inclusão de pessoas com deficiência, com ênfase na visual. A Fundação destina-se a produzir e distribuir de formas gratuitas livros em braille, falados e digitais acessíveis, diretamente para o público-alvo e também para mais de 3.000 bibliotecas e organizações de todo o Brasil. Também são oferecidos serviços especializados de forma gratuita para pessoas com deficiência visual, com foco nas áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade.

Livros em braille 

Braile ou braille é um sistema de escrita tátil utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão. É tradicionalmente escrito em papel relevo. A Fundação Dorina conta com uma das maiores gráficas braille do mundo, com capacidade de produzir até 450 mil páginas por dia. Além dos livros, a fundação imprime cardápios, catálogos, cartões de visita, entre outros, em formato acessível. Além da escrita em braille, existe o tinta-braille, que une o recurso da escrita em relevo ao formato fonte ampliada, descrito em sequência.

Livros em fonte ampliada

O formato Fonte Ampliada consiste na diagramação, adaptação e impressão de conteúdo em letras grandes e com alto contraste para que pessoas que possuem algum grau de visão, ou seja, aqueles que se incluem na categoria de baixa visão, possam ter acesso tanto aos conteúdos, quanto às ilustrações que devem ser impressas em cores fortes, contrastantes e tamanho ampliado. 

Livros em áudio e LIBRAS

A Fundação Dorina também é referência na produção de áudio-books em formato MP3 e WAV.  Nesta opção, os livros são gravados em formato de áudio para serem ouvidos para pessoas que preferem esse tipo de leitura. Nesta modalidade, também é importante mencionar o programa DOSVOX. É “um sistema de computação destinado a atender aos deficientes visuais. O sistema operacional DOSVOX permite que pessoas cegas utilizem um microcomputador comum (PC) para desempenhar uma série de tarefas, adquirindo assim um nível alto de independência no estudo e no trabalho”. O Sistema também é voltado para o desenvolvimento de leituras, dando ao deficiente a capacidade fazer uma leitura de forma autônoma, sem necessitar da mediação. Dentro desse formato, também são oferecidos serviços de tradução em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e legendagem para a inclusão de surdos e pessoas com alterações de audição, voz e linguagem.

Livros em formato digital

O ePub é o uma tecnologia inovadora no mundo dos livros digitais e é a ferramenta adotada pelo Ministério da Educação como um dos formatos do livro do Programa Nacional do Livro Didático, o PNLD. Nesta modalidade, são apresentadas opções de layout de navegação o que torna o formato acessível e de fácil uso. Neste formato, também podem ser incluídos os Audiolivros com vozes sintetizadas, ainda, nesta modalidade estão incluídas o livros na tecnologia DAISY (Dorina Daisy Reader), “um aplicativo aberto e gratuito para a leitura de livros digitais no formato Daisy. Desenvolvido visando a integração total com os arquivos nesse formato, produzidos em qualquer parte do mundo, possuindo versões em português, inglês e espanhol”. 

A literatura é um direito de todos!

Desde muito cedo é preciso falar sobre individualidades com os pequenos. Por isso, frequentar a escola e outros lugares que privilegiam os contatos sociais são de grande importância desde os primeiros anos de vida. Nesse contexto, os pequenos não só aprendem a socializar com afins, mas também a compartilhar um espaço comum entre indivíduos com características distintas. No entanto, não basta apenas saber conviver, algumas características necessitam de uma maior empatia. Isso significa que, desde muito cedo, precisamos ensinar aos pequenos sobre a sensibilidade de olhar para o outro, exercitando o senso de solidariedade e apoio, e sobre o respeito às diferenças, e os livros têm um papel imprescindível neste exercício.

Pensar a literatura, é pensar em um direito universal, seja para crianças com ou sem deficiência. Trata-se de um dever social. Nas palavras de Antônio Cândido “Vista deste modo, a literatura aparece claramente como manifestação universal de todos os homens em todos os tempos. Não há povo e não há homem que possa viver sem ela, isto é, sem a possibilidade de entrar em contato com alguma espécie de fabulação”.

Leia também: 

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha, é formada em Psicologia e mãe do Caetano. Leitora compulsiva, é apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!