A Casa do Topo do Edifício: um Original Leiturinha sobre conexões humanas

por | out 30, 2020 | 0 Comentários

Nós somos seres ligados à casa. No ventre materno, temos nosso primeiro e doce lar. Depois disso, passamos a morar nos braços de nosso pais ou cuidadores e, sem dúvidas, no colo afetuoso de avós e familiares próximos. Crescemos, mas nosso anseio fundamental não muda: acolhimento! É aí que entra a relevância da casa, apartamento, seja lá qual for o formato do seu lar. É sobre isso que trata o nosso livro Original Leiturinha: “A Casa do Topo do Edifício”, feito especialmente para nossos assinantes!

A casa reflete quem somos

Quantas de nossas canções falam sobre casa, sobre lar? Na própria MPB, temos com esse tema músicas que marcaram gerações – como A Casa, de Vinícius de Moraes, e Casinha Branca, de Gilson Vieira (regravada por artistas como Roberta Campos). Isso porque o lugar em que moramos fala muito de nós mesmos.

No livro Original Leiturinha, “A Casa do Topo do Edifício”, essa relação é explorada por meio de um enredo singelo e ilustrações de grande sensibilidade. Já de início, o leitor irá se deparar com uma rua tranquila, lar de uma vizinhança amigável e alegre. Mas nesse lugar, no fim da rua, vive um homem solitário, cuja casa é cinza ­– assim como ele. E assim somos apresentados, pouco a pouco, a uma poética relação entre personagens e espaço físico, que se refletem um no outro.

Toda essa dinâmica acontece a partir de um evento que altera a rotina dos moradores desse lugar tranquilo: um edifício começa a ser construído lá ao final da rua, onde vive o homem cinza! Conhecemos, então, novos moradores e seus apartamentos. Dentre eles, o apartamento rosa de Rosália e Cínzia, duas irmãs de meia-idade que trazem consigo toda sua mobília rosada! A cor do espaço físico reflete a personalidade doce de uma das moradoras, que nesse quesito é totalmente diferente de sua irmã mal-humorada.  

 A casa fala de nossas conexões

Na obra, o espaço físico como construção de afetividade pode ser visto de forma ainda mais profunda e poética quando uma sensível pintora se muda para o edifício. Com seu olhar astuto, ela nota as sutis mudanças pelas quais passam o homem cinza e a nova moradora mal-humorada.

“A Casa no Topo do Edifício” fala do poder da verdadeira conexão humana. Essa conexão que surge, muitas vezes, quando menos esperamos. É isso que vemos acontecer com essas personagens que, pouco a pouco, vão mudando de cor ao interagirem um com o outro. O que era cinza ganha vida, ganha cor.

Em um mundo pós-moderno no qual podemos estar conectados a uma multidão nas redes, ao mesmo tempo em que nos sentimos sozinhos, esta leitura nos faz perceber o impacto de olhar nos olhos, rir com alguém e se deixar conhecer. É nesse momento que a construção do espaço físico é ressignificada. Passamos a adotar plantas dentro do apartamento por causa de alguém que entrou em nossas vidas. Mudamos as cores de um cômodo para a casa refletir o gosto de ambos. Trocamos a poltrona de lugar e abrimos espaço para mais um. E assim nossa vida – e nossa casa – se constrói. Com lugar de sobra para a identidade e a afetividade.

Tarefa de casa

Desfrute a leitura de “A casa do Topo do Edifício”, inspire-se e – por que não? – convide seu pequeno para redecorar algum objeto ou parte da casa com você! O resultado será incrível, pois irá refletir um pouquinho de vocês e dessa relação afetiva que é para a vida inteira!

Faça parte da nossa família de leitores! Acesse o Clube Leiturinha.

Escrito por Jéssica Oliveira
Linguista apaixonada pelo poder da palavra, pela educação em linguagens e pela excelência na produção de livros. É mestre em Estudos da Linguagem, pós-graduanda em Produção Editorial e formada em Letras – português e literaturas. Ama o universo da literatura infanto-juvenil e acredita que ele nos acompanha desde a barriga até nossos cabelos brancos. Atua como curadora na Leiturinha.
Relacionados
5 brincadeiras para estimular a criatividade das crianças

5 brincadeiras para estimular a criatividade das crianças

As crianças são os seres mais criativos do mundo! E são muitas as brincadeiras para estimular a criatividade das crianças. No entanto, muitos de nós vão perdendo essa habilidade ao longo dos anos, sobretudo quando crescemos e deixamos de acreditar na importância da...

Como cuidar da saúde mental das crianças?

Como cuidar da saúde mental das crianças?

O termo saúde mental tem se tornado cada vez mais popular. Hoje, felizmente, fala-se muito sobre o bem-estar emocional de jovens, adultos e idosos. No entanto, esse é um tema que deve ser essencial durante toda a vida, sobretudo na infância. Afinal, os pequenos e...

5 brincadeiras para estimular a criatividade das crianças

5 brincadeiras para estimular a criatividade das crianças

As crianças são os seres mais criativos do mundo! E são muitas as brincadeiras para estimular a criatividade das crianças. No entanto, muitos de nós vão perdendo essa habilidade ao longo dos anos, sobretudo quando crescemos e deixamos de acreditar na importância da...

Como cuidar da saúde mental das crianças?

Como cuidar da saúde mental das crianças?

O termo saúde mental tem se tornado cada vez mais popular. Hoje, felizmente, fala-se muito sobre o bem-estar emocional de jovens, adultos e idosos. No entanto, esse é um tema que deve ser essencial durante toda a vida, sobretudo na infância. Afinal, os pequenos e...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *