Ler: ato de viajar pelas frases, linhas, páginas e palavras de uma história. Conhecer o mundo sem sair do lugar. Estimular a criatividade, a imaginação e o contato com a Língua Portuguesa, ou seja lá qual for seu idioma. Ler instrui, abre portas e liberta! Uma vez introduzido, o hábito da leitura se torna hobbie e o gosto por livros vira paixão! Sabendo disso e se preocupando em levar o amor pelas histórias a pequenos e pequenas pelo Brasil, um grupo de apaixonados por livros decidiu se juntar e somar forças. Foi assim que surgiu a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC), que hoje já conta com bibliotecas espalhadas por nove estados brasileiros.

1 biblioteca incentiva muita gente, 115 bibliotecas incentivam muito mais!

Em 2009, dentro de uma ação de apoio e incentivo à leitura, algumas bibliotecas comunitárias passaram a atuar em rede pelo país. A partir daí, motivadas por questões sociais, culturais e políticas, as bibliotecas se organizaram e desenvolveram espaços de leitura, criados e mantidos por organizações sociais e culturais em comunidades e regiões metropolitanas carentes de livros. Assim, em 2015, nasceu a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC), que hoje já conta com 115 bibliotecas nos estados do Pará, Maranhão, Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com ações de incentivo à leitura, formação de leitores e de políticas públicas do livro e leitura.

A literatura transformando a vida dos pequenos e a realidade do mundo!

A RNBC acredita que o fomento da leitura e a promoção do acesso ao livro e à cultura literária na primeira infância é primordial para potencializar o pleno desenvolvimento e raciocínio das crianças. Mas também sabe que nem todos os pequenos têm os livros à sua disposição e, por isso, trabalha constantemente para interferir nessa realidade e levar o acesso à literatura ao máximo de crianças possível! “A infância é uma fase oportuna para estimular a leitura e a formação de leitores.  Muitas vezes o que ocorre é o fato de que as crianças não têm oportunidades no ambiente familiar ou escolar, de vivenciar uma aproximação com a literatura e até mesmo de não ter o acesso ao livro, principalmente em famílias de baixa renda. Outro ponto é que não se cria vínculo com a leitura obrigando uma criança a ler. Formamos um leitor quando este vivencia o acesso à leitura na escola, na família, nas bibliotecas e na liberdade de folhear os livros, de ter o aconchego de compartilhar a leitura, de ter algum leitor os encantando com uma história”, afirmou Luzia De Seta, integrante da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC), que atua para promoção da leitura no país e formação de leitores.

Assim, as bibliotecas da Rede Nacional se tornam espaços de luta e acolhimento para que pequenos e pequenas possam experimentar a leitura de forma atrativa, com afeto e com mediadores de literatura que as façam se deliciar com os livros. “Formar um leitor na infância e democratizar o acesso à leitura e aos livros é potencializar o desenvolvimento humano e crítico delas, abrindo brechas de transformações em suas vidas”, complementa Luzia.

Para conhecer, se juntar ou colaborar com essa ideia, acesse o portal da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC).

Conheça outro projeto social de incentivo à leitura

Com o objetivo de levar a leitura a pequenos e pequenas carentes de incentivo e contato com livros, surgiu o Amigos da Leiturinha, projeto social que tem como intuito realizar a captação, seleção e doação de livros infantis às instituições que atendem crianças. Dentre as ações já realizadas pelo Projeto, em 2017, foram distribuídos 10.000 livros em comunidades do Piauí ao Ceará, onde a estrada não chega. Isso foi o resultado de uma parceria com o Instituto Cultural Saber e Ler, em uma ação de incentivo à leitura pelo sertão do Brasil, chamada Rallyteca.

Créditos foto de capa: Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC)

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.