Aniversário da Leiturinha, os melhores descontos pra incentivar a leitura infantil. Vem pro Clube! Assine agora

A chegada do irmão mais novo muda a vida do seu pequeno

por | jul 12, 2017 | 6 Comentários

Tem um bebezinho chegando por aí… <3 A deliciosa novidade na família traz também mil e um planos! Este é um momento mágico que pede planejamentos desde os preparativos para recebê-lo, até os sonhos que envolvem a vida de todo mundo: mamãe, papai, avós, titios, padrinhos… e, é claro, irmãos! A chegada de um irmão mais novo muda os hábitos e a rotina da casa e isso demanda uma adaptação, que pode ser tranquila ou um pouco mais turbulenta. A forma como o primogênito vai reagir à nova situação depende muito de como os pais vão lidar e abordar esse assunto com ele.

Como contar para o pequeno?

É importante que a chegada de um irmão mais novo seja trabalhada desde o início da gravidez. Dessa maneira, o pequeno tem mais tempo para entender e assimilar a novidade. Além disso, participar de todo o processo aumenta o vínculo entre os irmãos. Portanto, é interessante que o primogênito participe de momentos importantes como a escolha do nome, a organização do quarto ou o exame de ultrassom, por exemplo.

De acordo com Fernanda Veiga, pedagoga integrante da Equipe de Curadoria da Leiturinha, os pais devem ter cuidado no momento de dar a notícia para seu pequeno, “a hora da refeição é sempre uma boa ocasião para reunir e conversar em família. Este é um momento em que o pequeno sente-se cuidado pelos pais” afirma. Outra dica é utilizar a literatura infantil como aliada, pois “de maneira lúdica, consegue introduzir qualquer tipo de assunto, deixando aberto o momento para um bom diálogo”, ressalta Fernanda.

Dividindo a atenção com o irmão mais novo

Quando, enfim, o caçula chega e passa a fazer parte do dia a dia da casa, a rotina da família vira de cabeça para baixo! Um bebê sempre demanda muita atenção e cuidado e, claro, seu pequeno logo vai perceber isso. Segundo Fernanda Veiga, “é comum que a chegada de um irmão mude o comportamento do primogênito, porque ele ainda não consegue compreender muito bem e sente que vai perder a sua atenção”. O medo de ficar de lado, pode fazer com que o filho mais velho tenha algumas atitudes para chamar a atenção dos pais, como birras e comportamentos que não condizem com sua idade. Portanto, é muito importante que os pais mostrem que ele não irá perder o seu lugar na vida deles.

O ideal é reservar alguns momentos para passar com o filho mais velho, de preferência, fazendo programas que ele estava habituado a fazer antes, pode ser andar de bicicleta, ir ao cinema ou ao parque da cidade. No início, enquanto o caçula não pode sair de casa, os pais podem se revezar. Outro ponto importante é, mesmo com as alterações na rotina, estar presente em momentos importantes do cotidiano do pequeno, como a ida e chegada da escola, as refeições e a hora de ajudar a fazer as lições de casa, por exemplo. Isso fará com que ele entenda que os pais continuarão a cuidar dele como antes e que ele não perderá o seu lugar. Logo, seu filho irá perceber que ter um irmãozinho, não significa menos atenção e, sim, ter alguém para dividir, brincar e contar por toda a vida!

Coleção Conversando sobre a Chegada do Irmão

Como preparar o filho para chegada do irmão? Essa coleção de livros infantis é ideal para as famílias que estão passando por essa situação! São dois livros que abordam esta temática de forma muito delicada e com linguagem acessível aos pequenos, facilitando sua identificação com a história.

Para saber mais ou adquirir essa coleção de livros, acesse a Loja Leiturinha!

Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
E-book exclusivo Leiturinha
Relacionados
Como acolher as crianças refugiadas?

Como acolher as crianças refugiadas?

Em todo o mundo, estima-se que existam mais de 100 milhões de refugiados. Tratam-se de pessoas forçadas a deixar suas casas devido às guerras e conflitos armados, perseguições e abusos de direitos humanos, conforme explica a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR)....

Tudo o que você precisa saber sobre o autismo infantil

Tudo o que você precisa saber sobre o autismo infantil

Leia mais: 👉 Autismo: o que é e quais são os sinais do TEA? 👉 4 mitos sobre o autismo que precisam ser desfeitos 👉 O que as famílias de crianças atípicas não aguentam mais ouvir O que é autismo? De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o Transtorno...

Por que existe o Dia da Criança Africana?

Por que existe o Dia da Criança Africana?

O Dia da Criança Africana, comemorado no dia 16 de junho, foi instituído após uma manifestação estudantil em Joanesburgo, na África do Sul, que resultou em centenas de vítimas. Embora a data exista em memória deste acontecimento, também deve ser vista como um momento...

Como acolher as crianças refugiadas?

Como acolher as crianças refugiadas?

Em todo o mundo, estima-se que existam mais de 100 milhões de refugiados. Tratam-se de pessoas forçadas a deixar suas casas devido às guerras e conflitos armados, perseguições e abusos de direitos humanos, conforme explica a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR)....

Tudo o que você precisa saber sobre o autismo infantil

Tudo o que você precisa saber sobre o autismo infantil

Leia mais: 👉 Autismo: o que é e quais são os sinais do TEA? 👉 4 mitos sobre o autismo que precisam ser desfeitos 👉 O que as famílias de crianças atípicas não aguentam mais ouvir O que é autismo? De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o Transtorno...

Por que existe o Dia da Criança Africana?

Por que existe o Dia da Criança Africana?

O Dia da Criança Africana, comemorado no dia 16 de junho, foi instituído após uma manifestação estudantil em Joanesburgo, na África do Sul, que resultou em centenas de vítimas. Embora a data exista em memória deste acontecimento, também deve ser vista como um momento...

Por que ensinar as crianças a amar os animais?

Por que ensinar as crianças a amar os animais?

O convívio com os animais pode ser muito benéfico para as crianças, já que essa relação trabalha as habilidades sociais e emocionais dos pequenos e pequenas, por exemplo. Além disso, saber mais sobre outras espécies é fundamental para a educação ambiental. Pensando em...

6 Comentários

  1. Patricia Rimes Sarrat

    Concordo com você, esse é um momento delicado, mas mágico também ! No meu caso, minha filha mais velha ficou muito curiosa para saber o que o bebe fazia na barriga… E sua curiosidade e criatividade me fizeram escrever um livro sobre o assunto : “O que faz o bebe na barriga?” Acho legal transformar o mistério em brincadeira. Uma outra dica é oferecer um presente no dia do primeiro encontro na maternidade, nunca é demais 🙂
    Parabéns pelo blog !

    Responder
  2. Barbara

    Muito legal!
    Meu filho (4 anos) não quer irmão, mas nós já estamos encomendando um bebê. Será muito bom receber e ler esse livro para ele, assim irá nos ajudar a passar por esse momento de forma mais tranquila.
    Estamos adorando receber A Leiturinha!

    Responder
  3. Carolina

    Meu pai quer ter um novo bebé mas eu não tenho 9 anos e acho que vou perder minha atenção pq minha mãe teve outra filha e ela não deixa eu ficar com minha mãe, com meu pai sempre estive segura q não ia perder a atenção mas agora tenho certeza q vou ser esquecida. Meu pai e minha mãe só separados e lá na casa do meu pai meu quarto é cheio de ferramentas dele e nunca quizeram mudar e agora por causa desse irmão ou irmã novo eles querem mudar eu espero q seja menino dai não vou perder tanto a atenção o q estou pensando e bobo

    Se alguém tiver alguma dica pra mim melhorar me fale por favor

    Responder
  4. Marly de Oliveira Rodrigues

    meu neto 3 anos desarruma toda a casa gaveta dele em um mint… ao ser contrariado se joga n chao chora mt grita e tosse e faz vomito pq ?ja estou assustada esausta

    Responder
  5. Gabryelle Rosado

    Olá Marli,
    Essas birras do seu neto são comuns para fase de desenvolvimento que ele está.
    Eles ainda não sabem lidar com a raiva e a frustração. Outro fator importante é que ainda não sabem dizer o que sentem e acabam demonstrando com esses “atos de ira”.
    Eles têm muita dificuldade com mudanças, então avise antes o que irão fazer, por aqui exemplo, dizer para criança umas três vezes antes de que está chegando a hora do banho “depois de terminar tal coisa iremos para o banho”…
    Não mudar a regra quando ele fizer birra. Você pode dizer que entende que ele ficou chateado e ajudá-lo a se acalmar. Deixo meu filho chorar e espernear em um local que não tenha nada que ele possa se machucar, quando ele está ficando cansado, nós conversamos, fico assoprando a sua testa, falamos como nos sentimos e arrumamos juntos a bagunça.
    A criança está mais assustada com toda essa situação. É bem difícil sabermos lidar com a tempestade de sentimentos que temos, ele precisa de você para ensina-lo a lidar com isso.

    Responder
  6. nalda

    to assim, meu primeiro 2 anos e outro 3 meses, meu Deus nos primeiros dias achei q ia morrer só chorava de tão cansada emocionalmente e fisicamente, hoje tá mais ou menos, meu filho já tinha deixado a fralda hoje voltou fazer tudo no chão , na cama, todo lugar, tem dias só jesus mesmo, socorro. o pior q não tenho ajuda de ninguém aqui só nós tres mesmo.

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

E-book gratuito! Vamos falar de conscientização ambiental com as crianças?

Descubra a importância do tema e o papel da literatura nessa jornada!

Boa leitura!