O assunto não é fácil, mas inevitável. Seja a morte de uma pessoa ou de um animal de estimação, os pequenos acabam passando por esse momento e junto com isso vêm as perguntas e questionamentos. Mas, afinal, como falar sobre morte com as crianças?

Antes de mais nada é importante falar que não existe uma idade certa para se tratar o assunto. Às vezes a criança acaba passando por uma perda muito cedo e, naturalmente, fala sobre o assunto. À medida que vai crescendo, ela vai compreendendo melhor o significado da morte.

Até lá, você pode falar sobre o assunto de diversas formas. Até os 7 anos a criança cria fantasias e isso ajuda a elaborar seu mundo interno. Por isso, para falar sobre a morte os pais podem contar histórias, por exemplo, ou usar metáforas, como dizer para uma criança pequena que a pessoa virou uma estrela no céu. Segundo Mônica Pessanha, psicopedagoga e psicanalista de crianças e adolescentes, isso pode aliviar a saudade, já que ao olhar para o céu estrelado ela imagina que uma daquelas estrelas é seu ente querido.

O que não dá é para velar o assunto dentro de casa, pois em algum momento elas vão querer saber, explica a psicanalista. “A vida também é feita de despedidas e a criança é capaz de entender isso. Quanto mais informações ela receber menos doloroso será o luto”, completa.

Mas o que é o luto?

O luto é um processo sentimental que acontece em decorrência de uma angústia de perda. Esse processo acontece por meio de fases explicadas pela psicanalista da seguinte forma:

Negação

A criança pode não acreditar que a pessoa faleceu, isso gera um desconforto enorme em relação a percepção da realidade.

Raiva

A criança pode apresentar um comportamento agressivo na escola ou com amigos e família.

Negociação

Nessa fase a criança tende a fazer promessas para rever o parente. Isso ajuda a acalmar o sentimento de perda, mas, ao mesmo tempo, leva à próxima fase que é…

Tristeza

Quando perde alguém a criança sente uma tristeza, nesse caso é algo mais profundo, nessa etapa a perda e o fim são encarados.

Aceitação

Apesar de ser extremamente dolorido vermos nossos pequenos tristes, é essa tristeza natural do luto que o ajudará a passar pela fase da aceitação da perda e aprende a lidar com aquele sentimento.

É comum especialmente entre as crianças que o primeiro ano do luto venha carregado de dificuldades em transformar o sentimento em palavras, por isso, às vezes isso pode vir junto com um comportamento agressivo. Pais e cuidadores precisam estar atento aos sinais de tristeza, quanto mais cedo a criança receber apoio e suporte, mais forte ele ficará.

Dica Leiturinha

A literatura infantil também pode ser uma grande aliada nos momentos difíceis. Para auxiliar os pequenos e a família a lidar com assuntos complexos como a morte, a Equipe de Curadoria da Leiturinha preparou uma dica de leitura. Confira:

dica leiturinha menina nina ziraldo.png

Menina Nina – Duas Razões para não Chorar

Autor: Ziraldo
Editora: Melhoramentos

Preparem os lenços, pois este livro é pra lá de emocionante! Ziraldo apresenta a relação de Nina com sua avó Vivi. No desenrolar da história, nos deparamos com o fim da vida e, com toda sensibilidade e respeito que cabem aos autores que tocam nesse assunto tão delicado, de forma magistral, ele fecha com dois motivos que vão te fazer repensar suas lágrimas.

Menina Nina faz parte da Coleção Ziraldo História de Criança. Para conhecê-la, acesse as Coleções Leiturinha.

Leia mais: 

Profile photo of Ariane Donegati

Jornalista e entusiasta do desenvolvimento infantil, acredita que brincar é sinônimo de aprendizado e felicidade para as crianças.