O uso de maquiagem na infância divide opiniões entre mães, pais e especialistas. Afinal, os cosméticos fazem mal à saúde e ao desenvolvimento dos pequenos? Existe maquiagem para criança? Até onde pode-se considerar que é apenas uma brincadeira? Qual a melhor maneira de lidar com a situação? Para esclarecer alguns pontos sobre esse assunto, conversamos com Sarah Helena, psicóloga e curadora na Leiturinha, que ressaltou, principalmente, o papel dos pais no momento de mediar e dosar esse uso.

É apenas uma brincadeira?

sarah

Sarah Helena é mãe da pequena Cecília, psicóloga e curadora na Leiturinha

Como já pontuamos diversas vezes aqui no Blog da Leiturinha, o diálogo é sempre o melhor caminho para entender e lidar com os diferentes momentos pelos quais as crianças passam durante a vida. Em relação ao uso de maquiagem, não seria diferente, “é importante compreender sobre os motivos da criança querer usar e o que isso significa para ela”, afirma a psicóloga Sarah Helena. Durante a infância, principalmente quando são mais novinhos, os pequenos tendem a imitar os comportamentos dos pais, isso é algo natural. No entanto, ainda que os cosméticos sejam próprios para o uso infantil, é preciso estar atento para saber os limites entre a brincadeira saudável e indícios de uma adultização precoce, por exemplo. Sarah aponta que “se maquiar pode ser apenas uma experiência divertida, que mostra identificação com figuras que admira, um modo de se fantasiar, brincar de faz de conta e de explorar o mundo de forma lúdica.”

Por outro lado, se não for bem dosado, seu uso pode prejudicar o desenvolvimento da criança, “pois para se manter maquiada e bem arrumada, ela deixa de brincar e de fazer atividades que envolvam o corpo em movimento. Isso mostra que a maquiagem deixou de ser um brinquedo esporádico e se tornou algo sério para ela.”. Por esse motivo, a mediação dos pais é fundamental para que a brincadeira de se maquiar não ultrapasse os limites da infância, deixando de ser algo saudável para a vida da criança. “É necessário  que o adulto tente compreender o que ela pensa sobre aquilo e o porquê deseja brincar de se maquiar e não de outra coisa. Além disso, o tema do uso de maquiagem na infância, para além de casos individuais, também nos leva a refletir sobre o fenômeno da adultização das crianças, visto que elas são pessoas em processo de formação, e não estão preparadas ainda para lidar com a grande pressão social que existe em relação ao ideal de beleza ainda presente na sociedade.”, ressalta Sarah Helena.

Qual a melhor maneira de lidar com isso?

Se você está passando por isso em casa, lembre-se: converse, converse e converse. É por meio do diálogo que você vai conseguir compreender melhor o que se passa com a criança e guiá-la para uma relação mais consciente com a maquiagem. A psicóloga Sarah ressaltou quatro pontos importantes que os pais podem se atentar no momento de mediar e auxiliar os pequenos em relação aos produtos de beleza:

  • É importante que os adultos não encorajem o uso de produtos de beleza em crianças e que sempre verbalizem o quanto elas já são bonitas.

  • Não exponham os filhos diante de propagandas ou programas de tv que tenham forte apelo a um padrão de beleza ou ao consumo de produtos de beleza, e, quando forem expostas, é legal conversar sobre o que eles entenderam sobre aquele conteúdo. Neste momento, coloque também seu ponto de vista.

  • Quando e se a criança quiser usar maquiagem, esteja atento aos motivos que as levam a esse desejo e mediem o uso, caso forem permiti-lo.
  • O uso de maquiagem é uma questão cultural. Cada família terá seu posicionamento e suas opiniões, que sempre devem ser respeitadas. Não há, portanto, uma maneira que seja correta ou errada de lidar com os filhos em relação a isso. Mas cabe sempre o bom senso e o diálogo para uma relação mais próxima com eles, de um modo geral, e não somente em relação a este tema.

Com a palavra, as mães!

Antes de produzir a matéria, a Leiturinha postou o tema em sua página para ouvir a opinião do público em relação ao uso de maquiagem na infância. Confira alguns depoimentos que recebemos:

Penso que às vezes a criança só externa o que vivencia, vendo as mulheres se maquiar e os tantos elogios, é óbvio que pensa: Quero ficar bonita assim! Portanto, acredito que tem que haver explicações que há tempo para todas as coisas, e que no tempo de ser criança, a gente brinca na lama, brinca de boneca, corre descalço e faz coisas de criança. Sobre permitir o uso para que se sintam bem, com autoestima elevada, acredito que elas sentem-se assim quando encontram amor, compreensão, limite, companheirismo em um lar estruturado. É complexo! Mas podemos correr o risco de, precocemente, inseri-las em um contexto que as impedem de descobrir tantas coisas boas de uma infância simples e feliz! (Monique Araujo)

Sou maquiadora e sinceramente sou contra o uso de maquiagem na infância, tudo tem seu tempo, haja ressalva se precisar para o uso lúdico, como balé ou teatro. (Jessica Cariaga) 

Materia-maquiagem-Blog (1)

Não gosto de ideias fundamentalistas. Sou contra a adultização das crianças, mas não vejo problema em matar a curiosidade delas quando pedem para passar um batom ou blush, porque vêem nós mães usando, é só uma forma de experimentar o mundo do adulto, como uma brincadeira, para mim não passa disso. (Adriana Novaes Nascimento)

Completamente desnecessário… Maquiagem, esmalte… Isso não é para criança… Cada etapa da vida tem seu encanto, as crianças estão atropelando etapas! Eu discordo totalmente, tenho uma filha de 8 anos e não permitimos aqui em casa maquiagem e esmalte. Escolho as roupas de acordo com a idade dela e não imitando roupas de adultos. A infância deve ser preservada e vivida de acordo. (Carla Cristina Gonçalves)

Apesar de ser maquiadora, não concordo com criança usar maquiagem tão cedo. Tudo tem o seu momento. Tenho uma neta de 3 anos que ama brincar de passar batom e pintar as unhas. Mas a mãe dela evita ao máximo. E eu apoio, é claro. (Nazaré Cavalcanti)

A questão seria proibir?!? Pois creio que a maior parte das meninas adquirem gosto por maquiagem ao ver a mamãe usar. A minha de 3 anos não pode ver um batom. Por mais que eu esconda, ela pede sempre. (Luana Guimarães Dias)

Pois é, lá em casa só dá isso: posso passar batom, passar rimel, posso usar sombra? Aí cansa, viu… E não adianta fazer discurso, dizer que ela só tem seis anos, que é criança. Por isso, comprei maquiagem e permito que ela brinque à vontade em casa. Eu chamo a brincadeira de “brincar de maquiagem”, aí ela pode criar, por minhas roupas, meus sapatos e bijuterias. Às vezes, sobra para o pai e para o irmão. Mas quando vamos sair, eventualmente, faço uma leve maquiagem, quase imperceptível. E vamos tocando a vida. Proibir é bobagem. Enfim, aqui em casa é o que funciona. (Nice Alves)

A gente deve respeitar a vontade da criança! Eu sou contra a mãe/pai ficar incentivando o uso, pois é sexualizar a criança! Mas eu, que nem uso ou tenho maquiagem em casa, tive que ajudar e mostrar para minha filha, porque na escola as amiguinhas têm e ela ganhou de presente de aniversário na escola também! Então ela teve a curiosidade e eu tive que ensinar sobre. Respeitei ela! (Cinthyan Reis)

E aí na sua casa, as crianças gostam de usar os produtos de beleza? Como você lida com essa questão? Compartilha aqui com a gente!

Leia mais:

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.