As creches auxiliam no desenvolvimento da linguagem?

por | mar 4, 2020 | 0 Comentários

Os primeiros aninhos do bebê estão passando. Eis que chega uma grande dúvida para algumas famílias: será que já é hora de colocar o pequeno na creche? O desenvolvimento da linguagem na creche pode ser um dos motivos a levarem você a matricular seu pequeno.

Em que contexto os pequenos estão inseridos?

Atualmente, tenho visto muitas crianças com atraso no desenvolvimento da fala porque acabam ficando muito sozinhas. Por isso, falta estímulo e em alguns casos passam muito tempo na televisão. Então, neste caso, a creche é uma oportunidade muito bacana para que esse pequeno possa sair. Com isso, socializar, se divertir e criar uma conexão com outros adultos e crianças. 

Qual o benefício da creche?

No geral, a creche é um lugar muito rico e que pode ajudar muito o desenvolvimento da linguagem da criança. Isso, porque é um local cheio de profissionais qualificados para estimular, ensinar e mediar esse desenvolvimento. O aprendizado infantil é muito baseado por modelo. A criança que vai para a escola pode aprender muito com as outras nesse ambiente tão rico. 

Existem casos contraditórios

Muita gente nunca pensou nisso, mas existem muitos pequenos que têm um certo atraso no desenvolvimento da linguagem. Com 2 anos, por exemplo, ainda falam muito pouco ou quase nada. Nesses casos, começar a frequentar uma creche pode ser uma experiência um pouco traumática para o pequeno. Isso porque essa criança vai acabar não conseguindo se comunicar direito com os novos amiguinhos. Além de que as pessoas podem não conseguir interpretar o que ela está querendo dizer, gerando um pouco de nervosismo e ansiedade. Depende muito de criança para criança. 

Nesses casos, é recomendado que seja feita uma avaliação com uma fonoaudióloga antes de matricular o pequeno na creche. Assim, é possível saber se já está na hora mesmo ou se é melhor esperar. Às vezes, até mesmo fazer um pouquinho de terapia para o pequeno avançar na linguagem primeiro seja prioridade. 

Leia mais:

Escrito por Flávia Puccini
Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. * Flávia é nossa autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Leiturinha.
Relacionados
Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

“Rabo de peixe, cara de gente!” Makolelê é um gorila que todos os dias vai até Marina, uma sereia, para zombar dela. Um dia, Marina resolve falar como se sente quando ouve essas provocações. Essa é uma história sobre empatia, amizade e respeito construído entre seres...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *