O desenvolvimento da fala do seu bebê

Dos 9 aos 18 meses de idade, geralmente, os bebês começam a criar um repertório de sons que se desenvolve até cerca dos quatro anos, até que eles consigam pronunciar sons mais difíceis como o r, rr, l, s e lh. A ordem pode variar um pouco de criança para criança, mas inicialmente os bebês começam pronunciando algumas sílabas, depois já é possível reconhecer o idioma em que estão falando – se a família se comunica em português, ele vai emitir sons em português -, e começam a relacionar gestos com a fala, além de atenderem a pedidos como “manda um beijo” ou “dá tchau”.

Depois, geralmente com 12 meses, chega o tão esperado momento em que os bebês começam a falar palavras como “mamã”, “papa”, “dá”, “qué” e onomatopeias como “auau” e “miau”. O processo de desenvolvimento da fala é longo e complexo, envolvendo o cérebro e músculos, por isso nessa fase a criança consegue se comunicar, mas ainda emite os sons de maneira incorreta.

Mas como, então, ensinar os pequenos a falarem corretamente?

Toda criança aprende por modelo. Por esse motivo é importante que os pais não fiquem repetindo e incentivando a fala errada. Por exemplo: se o bebê fala “miau”, os pais devem incentivar e indicar a maneira correta de falar e ensinar falando “o gato, muito bem!”. Pode ser bonitinho ou engraçado, mas se os pais ficarem sempre copiando a criança e reafirmando, ela vai achar que esse é o modelo correto.

Dependendo da idade, o bebê ainda não tem capacidade para emitir alguns sons, então é importante que os pais não chamem atenção para o erro e nem cobrem que o bebê fale corretamente e, sim, mostrem o modelo para que a criança faça certinho quando tiver capacidade para falar aquele som. A interpretação e comunicação dos pais também faz toda a diferença.

Confira algumas dicas que vão ajudar pais e mães a estimularem os pequenos neste momento:

1. Utilização saudável de celulares e tablets: Procure sempre garantir que o conteúdo e tempo sejam adequados para o desenvolvimento do seu pequeno. Existem alternativas interessantes para introduzir a tecnologia no aprendizado e nos momentos de diversão dos pequenos, combinada com atividades ao ar livre, contato com outras crianças, entre outros estímulos como uma boa conversa e uma leitura compartilhada.

2. Converse bastante com seu bebê: sempre que estiver fazendo alguma atividade com a criança converse com ela. Explique o que está fazendo e o que vai fazer para que seu bebê escute e tenha um modelo.

3. Responda corretamente: quando a criança está aprendendo a falar ela emite alguns sons e pronuncia palavras incorretamente. Por exemplo, se o bebê falar “balulo”, responda calmamente, separando as sílabas de maneira clara, “que ba-ru-lho é esse?”.

4. Leia e cante: ao ler e cantar para o pequeno, mesmo que ele não entenda exatamente o que está sendo dito, vai incentivar e fazer com que ele se interesse pelos diferentes sons e diferentes entonações da história.

5. Incentive: durante uma fase, a criança começa a saber e apontar para aquilo que deseja. Não responda imediatamente, incentive e encoraje o bebê a falar aquilo que quer e não somente apontar.

É comum que aconteçam atrasos e trocas na fala, pergunte sempre e tire dúvidas com seu pediatra e fonoaudiólogo que podem ajudar neste momento.

Leia também:

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento no Blog, à convite da Leiturinha.