Ter uma bebê recém-nascido em um momento como esse que estamos vivendo não é fácil, já não seria fácil normalmente. Aparecem ainda mais dúvidas, medos e incertezas na cabeça das mães o tempo todo.Mas e a amamentação na quarentena? Devo ou não devo amamentar? O que será que é mais seguro para meu pequeno?

O que dizem os Órgãos de Saúde?

A orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que as mães continuem normalmente com o aleitamento materno. É recomendado que as mães que forem diagnosticadas com coronavírus amamentem de máscara. Caso não se sintam confortáveis para fazer dessa forma, podem retirar o leite da mama e dar para o bebê pela mamadeira.

Mesmo com tantas incertezas em relação ao coronavírus, sabemos o quanto o leite materno é importante para a imunidade do pequeno. Além de deixá-lo mais fortinho nesse período e todos os outros benefícios

Como funciona a conexão mamãe e bebê?

No mamilo da mãe, existem neurotransmissores. Eles captam pela saliva do bebê, se ele está doente ou não. Essa informação então passa para o cérebro. O corpo da mãe, então, entende o que é necessário para ajudar na recuperação e passa mais anticorpos para o bebê. Por isso, o leite fica mais denso e escuro. Ele está cheio de anticorpos para que o pequeno possa se recuperar mais facilmente! 

Se não sentir confortável, não tem problema

É claro que sabemos que muitas mães não vão se sentir confortáveis para continuar amamentando, principalmente aquelas que forem diagnosticadas com Coronavírus. Não há necessidade de se culparem por isso. O ideal nesses casos é ordenhar o leite e oferecer (ou pedir para que o pai ou avós ofereçam) para o pequeno. Dessa forma ele vai continuar se alimentando de leite materno, além de ajudar com que a produção não caia.

Se precisar de ajuda não hesite, muitos profissionais qualificados têm feito atendimento domiciliar. Mas certifique-se de que estão usando todos os equipamentos de proteção necessários para isso. 

Leia mais:

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. * Flávia é nossa autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Leiturinha.