As crianças também mentem. Como lidar com isso?

por | set 5, 2017 | 1 Comentário

Meu filho está mentindo, como devo lidar? Você já passou por alguma situação que te levou a esta pergunta? A mentira é uma questão delicada e conversar sobre isso com seu pequeno, desde cedo, é importante para que ele desenvolva senso crítico e discernimento em relação a mentira e as consequências que ela pode trazer.

A mentira na infância  

Durante seu desenvolvimento, a criança tende a confundir realidade e fantasia. Nessa fase, os pequenos podem contar histórias que não são totalmente verdadeiras, sem nem se dar conta disso. “Com o início da capacidade simbólica, que se dá a partir dos 2 anos, aproximadamente, e movidos por fortes emoções, algumas crianças já podem dizer algo que não é verdade para, muitas vezes, se livrar de algo que considere negativo ou para conseguir o que querem. Mas isso não significa que entendem o que é verdade ou mentira. Esse entendimento, com toda complexidade que esse tema implica, exige uma capacidade de elaboração que a criança só adquire bem mais tarde”, explica Sarah Helena, psicóloga e curadora da Leiturinha.

Mesmo que ainda não haja a intenção de mentir, é fundamental que o diálogo aconteça desde cedo, respeitando a faixa etária e o amadurecimento da criança, para que os pais conversem e esclareçam que mentir é algo que não deve ser feito e que pode, inclusive, gerar consequências à outras pessoas.

Conforme vão crescendo, os pequenos adquirem noção do que é verdade e o que é mentira. “À medida que a criança aprimora seu pensamento cognitivo, sua habilidade de nomear sentimentos, de se colocar no lugar do outro, de pensar de forma estratégica, ela pode entender, cada vez melhor, o que é verdade e mentira, assim como suas consequências, para além do mero castigo imediato.”, afirma Sarah Helena. No entanto, mesmo com a consciência de que não é certo, os pequenos ainda podem optar por omitir a verdade e até mesmo mentir, seja para evitar uma bronca ou uma situação desagradável, chamar a atenção, isentar-se da culpa ou ganhar recompensas, por exemplo. Nesse momento, a intervenção dos pais é fundamental para que o pequeno compreenda que a mentira não é o melhor caminho.  

Como os pais podem lidar com a mentira dos filhos?

A psicóloga Sarah dá um conselho que pode ajudar mães e pais a lidarem com as mentiras dos filhos:

Entender que mentir faz parte do desenvolvimento das crianças, pode ajudar os pais a lidar com as primeiras mentiras de forma mais suave. Quando elas aparecerem, tente questionar o pequeno, deixando que ele mesmo caia na incoerência – se ele comeu um batom, e diz que não comeu, você pode perguntar ‘então, por que sua boca está suja?’ ou, ‘o que é isso na sua boca?’. Em seguida, explique que ele pode sempre contar tudo para você e que mentir não é algo bom, que pode magoar os outros e gerar problemas. Quando as mentiras já forem mais elaboradas, vale a pena um bate-papo com o pequeno, de modo que ele entenda as consequências de uma mentira. Acima de tudo, a melhor forma de lidar com as mentiras dos filhos é a construção de uma relação de confiança com ele, desde sempre. Querer saber sempre a verdade dos filhos significa ouvi-los quando eles quiserem falar, ser paciente, estar disponível, ser companheiro, e, quando precisar punir ou deixar de castigo, que não seja de forma violenta.

Dica Leiturinha:

A Semente da Verdade

A semente da verdade

Editora: Melhoramentos
Texto: Patrícia Engel Secco
Ilustrações: Edu A. Engel
Onde encontrar: Leiturinha Digital

Thai é um menino que ama jardinagem. Certo dia, o Imperador resolveu escolher seu sucessor entre as crianças de seu reino, e, para isso, entregou a cada uma delas, uma semente. Thai viu aí uma grande oportunidade, já que estava acostumado a cultivar lindas flores e plantas… Mas, por mais que se esforçasse, sua semente não brotava… E agora? O que Thai vai fazer? Este é um ótimo conto do folclore oriental que fala sobre ética e verdade.

E você, já passou por alguma situação em que percebeu que seu filho estava mentindo? Como lidou com essa questão? Conta aqui para a gente!

Leia mais:

Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

“Rabo de peixe, cara de gente!” Makolelê é um gorila que todos os dias vai até Marina, uma sereia, para zombar dela. Um dia, Marina resolve falar como se sente quando ouve essas provocações. Essa é uma história sobre empatia, amizade e respeito construído entre seres...

1 Comentário

  1. Avatar

    Muitíssimo importante estes esclarecimentos. Excelente. PARABÉNS.
    Penso, se descobrir que a criança mentiu, nunca prometa surrá-lo. Porque se assim agir e não cumprir será uma mentira. Tente ser amigo para que ele possa confiar em você.
    Acredito que violência gera violência. E muitas vezes eu para conseguir a verdade dos filhos eu dizia, se disser a verdade nada acontece. Mas se mentir pode ir pro castigo ou apanhar. É melhor você contar do que saber pelos outros. E quantas vezes ele vinham correndo dizer uma besteira antes que alguém viesse. E ele próprio repetia: “Eu vou lhe contar uma coisa, você não me castiga.” Eu respondia não. Mas de souber pelos outros posso castigar. É assim fui adiquirindo a confiança.

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *