Já dizia Jean Piaget, “As crianças são pequenos cientistas”!

Algumas folhas e pétalas, um punhado de terra, um pouco de água, baldinhos, panelinhas, peneira, uma colher e muita imaginação! Se brincar de faz de conta é parte da infância de toda criança, brincar de comidinha é uma das líderes entre os faz de conta! Afinal, quem não se recorda de revirar as gavetas e armários da cozinha de casa em busca dos melhores instrumentos para preparar aquele bolo de barro ou aquela sopa de flores no quintal?

Brincar de comidinha e seus significados mais profundos

A brincadeira de fazer comidinha é uma prática comum entre crianças de diferentes lugares, culturas e gerações, sendo um dos primeiros caminhos em que os pequenos entram no mundo da brincadeira simbólica. É também por meio das comidinhas de faz de conta, que, muitas vezes, a criança estreita seu contato com a natureza. Afinal, são nos ambientes naturais que é possível encontrar os melhores e mais variados ingredientes, como gravetos, sementes, folhas, flores, terra, barro e pedrinhas.

Nesses momentos, dar asas à imaginação e entrar na brincadeira junto dos pequenos, é uma oportunidade de aprendizado também, além de estreitar ainda mais os vínculos afetivos. Experimentar diferentes ingredientes, inventar receitas, misturar texturas e cores é uma ótima maneira de dialogar sobre questões como o nutrir, o servir, o partilhar e o cuidar.

Comer é muito mais do que nutrir-se de alimento. É um momento de cuidado e carinho para com quem amamos. É um ritual sagrado, que vai desde o preparo, até o servir e o comer junto. O ato de reunir pessoas ao redor de uma mesa para compartilhar momentos e alimentos, é algo realmente especial. Nesse sentido, a comida se torna também um agregador nos lares.

E é nesse contexto que a brincadeira de fazer comidinha ganha seu espaço. Ela surge a partir de um movimento natural, que vem da curiosidade e da observação, sendo uma dessas brincadeiras que não têm data para começar ou terminar, nem idade pra acontecer. Uma dessas lembranças deliciosas e com gosto de infância que, inconscientemente, passam de geração em geração.

Tal como os ingredientes na cozinha se transformam em uma boa refeição, ou como em um laboratório científico, os pequenos podem experimentar o mundo e seu poder criativo por meio das descobertas que as misturas dos elementos da natureza proporcionam. Descobrir que ao se misturar um pouco de água com terra se obtém barro, e que, com um pouco mais de água, muda-se ainda mais seu aspecto e consistência, é muito mais do que mágico – é incrivelmente científico! O quintal de casa ou o jardim da praça podem sim ser laboratórios completos para o aprendizado dos pequenos!

As comidinhas colaborando com o desenvolvimento infantil

Como já falamos ali em cima, ainda que só de faz de conta, o ato de cozinhar é um ato de amor e carinho. Mas para além disso, brincar de comidinha é uma maneira de colaborar para uma relação mais saudável com a comida. Uma forma de estreitar o vínculo dos pequenos com os alimentos, fazendo com que eles compreendam e se aproximem de todo o processo que envolve o preparo e a partilha das refeições. É nesse momento que se estabelece uma relação mais equilibrada e harmoniosa com a comida.

Mãos na massa e “bom apetite”!

Então, sabendo de tudo isso, que tal juntar os potinhos, panelas e colheres e correr para o jardim para explorar a natureza e brincar de comidinha com seu pequeno? Participe junto, incentive e aproveite esses deliciosos momentos para relembrar sua infância e trocar aprendizados, muito carinho e amor! <3

Leia também:

Profile photo of Ana Clara Oliveira

Jornalista e autora no Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.