Seu pequeno já se queixou de dores atrás das coxas, joelhos e panturrilhas sem motivos aparentes? As temidas e famosas dores de crescimento nas crianças chegam e provocam aquela choradeira… Mas, afinal, o que são essas dores e como tratá-las? 

O que são as dores de crescimento nas crianças?

O termo dor de crescimento existe desde 1823 e se refere a uma entidade clínica benigna, que não tem nenhuma relação com a fase de crescimento ósseo. Também é conhecida como Dor Óssea Recorrente Benigna e pode ser encontrada em cerca de 10% a 20% das crianças. Consiste em episódios passageiros e benignos de dor nos membros inferiores e a sua causa é desconhecida. 

Como se comporta a dor de crescimento?

As dores de crescimento nas crianças acontecem na faixa etária entre dois e 14 anos, aparecendo preferencialmente no final do dia e à noite, ou mais raramente durante a madrugada. Trata-se de uma dor muscular e não articular. Geralmente nos membros inferiores, é normalmente bilateral, na face anterior da coxa, panturrilhas e atrás dos joelhos. Essas dores podem estar relacionadas a atividades físicas e estresse muscular. 

As principais características são que na manhã seguinte a criança já acorda sem a dor e raramente as dores aparecem em dias seguidos. É comum terem um intervalo de dias e, às vezes, até mesmo de uma semana inteira sem dores.

O exame físico da criança apresenta-se normal e não existe nenhum exame laboratorial ou de imagem que apresente alguma alteração, portanto é um diagnóstico essencialmente clínico.

E o mais importante: as dores de crescimento desaparecem espontaneamente na época da puberdade, e não causam nenhuma sequela, deformidade ou problemas ortopédicos.

Quais as dores que preocupam e devem ser investigadas?

– Dores que permanecem no dia seguinte, ao acordar, mesmo após o repouso do sono, ou que pioram com a atividade física.

– Dores com localização precisa em um único ponto e que são persistentes, com inchaço nas articulações e/ou sinais inflamatórios, como calor e/ou vermelhidão no local.

Estes casos precisam de exame clínico com a complementação de exames laboratoriais para chegar a um diagnóstico.

Existe tratamento para as dores de crescimento nas crianças?

Durante as crises, a grande maioria das crianças sente melhora e alívio das dores com massagens nas pernas, usando produtos em creme ou gel de origem fitoterápica. Raramente há a necessidade de medicar com analgésicos ou anti-inflamatórios. A massagem manual e suave, com os pais prestando apoio psicológico e afetivo, é bastante resolutiva. 

Trabalhar o alongamento da musculatura afetada de forma adequada para a idade e evitar atividades de impacto também contribuem com a diminuição da frequência e da intensidade das dores.

É muito importante que a família compreenda que trata-se de uma entidade benigna e que desaparecerá espontaneamente no final da infância. Pois o grau de ansiedade dos familiares pode contribuir para piorar o estresse da criança.

Leia também: 

Profile photo of Elisabeth Amstalden

Médica Pediatra e Sanitarista, com formação em Terapia Comunitária, Psicanálise e PNL. Muito feliz pelo convite do Blog Leiturinha, a fim de esclarecer sobre alguns assuntos do mundo da infância.