A vida da mulher após a maternidade

Pense em uma mudança grande na sua vida. Pensou? Agora multiplica essa mudança várias vezes… É isso o que acontece na maternidade. Depois de ser mãe, a mulher, que antes tinha sua vida toda planejada, organizada e sabia o que iria fazer durante todo o dia, se vê diante de uma série de transformações e incertezas.

É necessário, então, um período de adaptação, para que essa mulher possa se redescobrir e alinhar todos os papéis que desempenha (mãe, esposa, profissional, filha, mulher e por aí vai). No entanto, o que acontece muitas vezes é que, com todas as atenções voltadas para o bebê que acabou de chegar, a mulher sente-se deixada de lado e tem dificuldades de olhar para si.

Mulher ou mãe? Por que não as duas coisas?

Sair para um café, bater papo com as amigas, fazer as unhas, voltar para a ginástica, passear com o companheiro… Tudo isso se torna muito distante, quase não faz mais parte da vida. Mas espera aí! Será que não dá pra conciliar todos esses papéis?

Dá sim! Claro que dá! Mas essa nem sempre é uma tarefa fácil. A mulher normalmente precisa de um pouco de tempo (às vezes também de um puxão de orelha) para conseguir voltar seu olhar novamente para si mesma. Ela precisa de um ambiente favorável, onde se sinta segura para pedir ajuda quando necessário, para falar de seus sentimentos, para expressar suas opiniões, desejos e vontades.

A importância do autocuidado

É preciso que a mãe entenda que faz parte da maternidade falhar, se frustrar e ser imperfeita. A criança não precisa de uma mãe impecável, mas sim de uma mãe real, suficientemente boa, que cuida, acolhe e ama, mas também que se ama, se cuida, se coloca em primeiro lugar algumas vezes e tem prazer ao fazer isso.

Afinal, cuidar de si também é fundamental para ser feliz, e ser feliz, por sua vez, é fundamental para que ela esteja disponível emocionalmente para cuidar dos filhos. Por isso, mães, arrumem um tempinho para vocês mesmas, para fazerem o que quiserem… Vale sair para um café com os amigos, ir para a academia, fazer as unhas, sair para namorar, trabalhar ou ainda, vale um tempo para não fazer nada! O importante é se sentir bem, cuidada e feliz consigo mesma!

Leia também:

Profile photo of Flávia Carnielli

Mãe da Maria Clara, mestre em psicologia clínica, especialista em psicologia perinatal e formada em psicoterapia infantil. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento aqui no Blog, à convite da Leiturinha.