Antes do previsto, nasce um bebê abaixo do peso. Ele não vai para casa como os outros pois não está preparado ainda, precisa aprender a sugar, deglutir e até respirar. Durante esse período de adaptação, os bebês ficam na UTI Neonatal. Lá, os recém chegados ao mundo recebem cuidados especiais ao mesmo tempo em que conhecem os cheiros, os toques, os sons e objetos estranhos. O cuidado técnico é grande, ainda assim o ambiente é invasivo. Para amenizar as adversidades desse espaço, foi idealizado um método que conjuga qualidade e humanização: o método canguru.

Mas afinal, o que é o método canguru?

Conhecido como pele a pele, o método canguru consiste essencialmente em colocar o bebê prematuro junto ao peito dos pais ou de outros familiares na posição vertical, sempre de forma orientada e segura. 

O contato pele a pele se inicia de forma gradual e crescente. Para dar início ao método é preciso que haja um consenso entre a família e a equipe técnica. Além de também ser necessário considerar as condições clínica do bebê, como estar com um peso mínimo de 1250g e com a nutrição enteral plena (por sonda)

O método é organizado em três etapas. A primeira começa no pré-natal, quando a gestação é identificada como de risco. A segunda etapa se inicia quando há a necessidade de internação do bebê, e a terceira começa quando se tem alta hospitalar. Lembrando que após a saída do hospital, os cuidados não acabam. É necessário haver um criterioso acompanhamento ambulatorial do bebê e sua família.

E quais são os benefícios desse método?

Além de benefícios para o recém-nascido, o método canguru também tem impactos positivos para o sistema de saúde, familiares e para a equipe técnica. Confira alguns:

  1. Reduz o tempo de separação entre a mãe e o recém-nascido.
  2. Favorece o vínculo entre mãe e bebê.
  3. Permite um controle térmico adequado.
  4. Reduz risco de infecção hospitalar.
  5. Reduz o estresse e a dor do bebê recém-nascido.
  6. Aumenta as taxas de aleitamento materno
  7. Melhora a qualidade do desenvolvimento neurocomportamental e psico-afetivo do recém-nascido.
  8. Propicia um relacionamento melhor entre a família e a equipe técnica do hospital..
  9. Possibilita a maior confiança  dos pais no cuidado do seu filho, inclusive após ter alta hospitalar.
  10. Reduz o número de internações posteriores.
  11. Favorece a estimulação adequada ao recém-nascido. 

Os pais na UTI Neonatal 

O ambiente hospitalar produz a sensação de que nada podemos fazer para contribuir com o cuidado de quem está internado. No entanto, estamos enganados. O afeto, a presença, o toque e a voz dos familiares têm muito impacto na saúde dos pacientes. Com os recém-nascidos, isso não é diferente. A função do método canguru é garantir o papel dos pais como moduladores do bem-estar dos recém-nascidos que necessitam de cuidados especiais antes de irem para casa. Essa iniciativa é um empoderamento de famílias. 

Leia mais:

Profile photo of Juliana Freitas

Formada em Psicologia, é apaixonada pela ciência e pelas artes literárias. Estuda o encontro entre a criança e o livro, a criança e o psicólogo e a criança e o mundo.