Como os pequenos percebem a passagem do tempo?

Ainda nos primeiros anos de vida, os pequenos passam a construir a noção de passado, presente e futuro (ontem, hoje e amanhã). A partir do quarto ano, a criança já é capaz de reconhecer dias da semana e os períodos do dia também vão ficando cada vez mais claros. Mais tarde, já conseguem identificar o mês e até o ano.  Enquanto a percepção temporal não está definitivamente constituída, as lembranças ainda ocupam lugares incertos na memória dos pequenos.

É a partir do estímulo e do reconhecimento da passagem do tempo, que as memórias vão se organizando na cabeça dos pequenos. E que memórias, não é? Afinal, a infância é marcada por acontecimentos tão especiais! Quando sentimos cheiros, vemos plantas, degustamos sabores, logo, somos transportados para lugares ou nos lembramos de pessoas que tiveram grande importância na construção da nossa individualidade.

O Caminhão: o tempo e a infância retratados em um livro sensível e encantador

A Equipe de Curadoria da Leiturinha participou da 15ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) e, durante uma palestra, conheceu a história da infância da autora e ilustradora Lúcia Hiratsuka. E essa não era qualquer história, não… Aliás, de tão especial que era, ela se transformou em um livro da própria autora! Sem hesitar, O Caminhão, da Cortez Editora, ganhou nossos corações e não poderia deixar de conquistar os corações dos nossos pequenos leitores também.

Leiturinha na FLIP

As curadoras da Leiturinha, Cynthia Spaggiari (à esquerda) e Caroline Lara (à direita), com a autora Lúcia Hiratsuka, na 15ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP)

Amanhã vira hoje.
E hoje chega com nuvens escuras.
Se chover, o caminho vira lama. O caminhão pode atolar.
Uma gota, duas, três… grossas gotas tocam no telhado.
O caminho todo embaçado. Por onde anda o caminhão?

O-caminhao

Trata-se de uma viagem no tempo descrita com a sensibilidade da autora. A espera e a ansiedade da infância se misturam com a expectativa: O que será que o caminhão traz? De onde ele vem? Enquanto o leitor saboreia a sutileza das ilustrações de Lúcia, também é envolto pela vontade de descobrir o que aquele caminhão traz. E nós temos que contar a vocês: ele traz histórias. Assim como a Leiturinha, o caminhão leva histórias diferentes a quem o espera.

É de obras como O Caminhão que uma biblioteca deve estar repleta. Elas tocam o lado humano mais sensível – as memórias e os sentimentos, e deixam uma marca na lembrança da infância de cada um que as leem.  

Ah! Durante sua palestra na FLIP, Lúcia também contou algo que nos engrandeceu ainda mais: “Quando criança, meu pai assinava livros que chegavam de longe, vinham embrulhados em papel pardo, amarrados com barbante. Era só ouvir algum som de carro na estrada e eu corria para a porteira e aguardava o pacote.” Este relato nos deixou muito felizes, porque lembramos do nosso pacotinho recheado de livros e de muito amor: o Kit Leiturinha! Que a leitura possa continuar chegando a cada cantinho do Brasil, levando lindas histórias às crianças dos mais diferentes lugares! <3 

Leia mais:

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha. É formada em Psicologia, leitora compulsiva e apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!