Slow Parenting: é preciso desacelerar a infância das nossas crianças

por | mar 29, 2019 | 3 Comentários

Slow Parenting: por uma infância sem pressa

Da escola para a natação, da natação para o inglês, do inglês para a aula de música, da aula de música para o espanhol, do espanhol para o judô, do judô para o reforço escolar e por aí vai… Preocupados em oferecer o melhor e possibilitar um futuro de sucesso para nossas crianças, nós, adultos, sobrecarregamos a rotina dos pequenos com atividades e cursos extracurriculares. No entanto, uma agenda cheia não é garantia de sucesso e, pelo contrário, pode interferir no desenvolvimento das crianças, gerando ansiedade e estresse. Se contrapondo a essa rotina atribulada que cerca os pequenos, surgiu o Movimento Slow Parenting ou “Pais sem pressa”, que busca desacelerar a infância das nossas crianças.

O que é o Movimento Slow Parenting?

Tendo, como um de seus precursores, o jornalista e escritor Carl Honoré, o Movimento Slow Parenting (Pais sem pressa” em tradução livre) tem como premissa criar os filhos com menos pressão e mais espaço e incentivo para que as crianças se desenvolvam sem pressa ou antecipação. O objetivo não é ser lento ou devagar, mas “fazer menos”, encontrando tempo certo para realizar determinadas atividades e valorizando cada fase do desenvolvimento dos filhos. Basicamente, é sobre se desvencilhar da ideia de que crianças são pequenos adultos. As crianças são crianças e precisam de tempo para aproveitar, com calma e tranquilidade, sua infância.

Alguns princípios para se tornar um pai ou uma mãe sem pressa

Para educar os filhos sem pressa, em primeiro lugar, os pais precisam refletir e repensar o próprio ritmo de vida. Se sua rotina é acelerada e cheia de compromissos, provavelmente, essa será a forma como você vai criar seu pequeno. Confira alguns pontos importantes para se tornar um pai ou uma mãe sem pressa:

– Possibilite que seu pequeno tenha tempo livre pra brincar e espaço para explorar o mundo dentro de seus próprios pontos de vistas.

– Priorize qualidade ao invés de quantidade e promova conexões humanas, reais e significativas. Ou seja, se importe mais em estar presente e não apenas em “dar presentes”.

– Permita que seu pequeno externe o que ele realmente é e não o que você deseja que ele seja. Tente não projetar suas frustrações ou sonhos em seu filho.

– Entenda que o ócio, o descanso e o não fazer nada não é tempo perdido. Pelo contrário, esse tempo é precioso para o desenvolvimento dos pequenos.

– Cuide e priorize os momentos compartilhados com o seu filho, mesmo quando curtos.

E aí? O que você achou do Slow Parenting? Acha possível aplicar na prática? Conte para a gente como é a rotina do seu pequeno!

Leia também:

Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
Empedramento dos seios: o que fazer?

Empedramento dos seios: o que fazer?

Quem é mãe com certeza sabe o que é ter preocupações e incertezas, desde a gestação. Primeiro as dúvidas sobre o nascimento do bebê. Depois, com o recém-nascido, vêm os problemas de amamentação. Empedramento dos seios e outras dificuldades surgem no desenvolvimento...

Você conhece a síndrome dos pais distraídos?

Você conhece a síndrome dos pais distraídos?

Quando penso em uma pessoa distraída logo me vêm à mente a imagem de alguém desatento. Alguém  que não consegue prestar atenção por muito tempo, que afasta o pensamento com facilidade e perde o foco facilmente com coisas que estão ao seu redor. Você conhece alguém...

Empedramento dos seios: o que fazer?

Empedramento dos seios: o que fazer?

Quem é mãe com certeza sabe o que é ter preocupações e incertezas, desde a gestação. Primeiro as dúvidas sobre o nascimento do bebê. Depois, com o recém-nascido, vêm os problemas de amamentação. Empedramento dos seios e outras dificuldades surgem no desenvolvimento...

Você conhece a síndrome dos pais distraídos?

Você conhece a síndrome dos pais distraídos?

Quando penso em uma pessoa distraída logo me vêm à mente a imagem de alguém desatento. Alguém  que não consegue prestar atenção por muito tempo, que afasta o pensamento com facilidade e perde o foco facilmente com coisas que estão ao seu redor. Você conhece alguém...

3 Comentários

  1. Avatar

    Olá Ana Clara
    Sou Darlene mãe de duas crianças totalmente diferentes, com uma grande diferença de idade.
    A Julia hj com 12 anos e o Lucas com dois.Amamos os livros da Leiturinha e lemos juntos, porém o Lucas ja nasceu agitado e ama sons de instrumentos musicais. Trabalho muito , mas folgo sempre pra viver pra eles.Gostei de seu blog é bem atualizado e foca sempre no bem estar das crianças!
    Criança tem que ser criança sim, e elas não dão trabalho mas sim frutos.
    Por tanto, já comprei uma bateria pra ele descarregar toda essas energia kkkk.
    Agora aguenta o son.
    Bjs

    Responder
    • Ana Clara

      Olá, Darlene, tudo bem? Fico muito feliz de saber que nosso conteúdo ajuda você com seus pequenos. Isso mesmo! Criança precisa de tempo para ser criança. Um grande beijo!

      Responder
  2. Avatar

    Olá, sou a Roseli, mãe da pequena Lorena de 2 anos, a maternidade tardia também despertou a vontade de curtir cada momento, amo levar minha filha em parques, deixa-la brincar com terra, caminhar descalça. Ela é muito ansiosa, cheia de energia, sempre proponho algo novo, porém que lembre minha infância.
    A Lorena ainda não vai à escola, sou a favor deste vinculo. Penso muito nas mães que não tiveram e não tem a oportunidade de estarem com seus filhos nesta fase tão importante do crescimento, nem sempre é uma escolha a maioria precisa trabalhar.
    Agradeço a toda equipe do Leiturinha, por matérias tão propicias e esclarecedoras. Tem me feito uma pessoa melhor uma mãe com outro olhar, ver a vida de forma simples porem cheia de amor.

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *