Prêmio Reclame Aqui

“Mãe solteira”: o tabu de namorar depois dos filhos

por | jan 23, 2020 | 4 Comentários

“Ninguém vai querer ficar com você porque você é mãe.” A frase insinuada pelos parentes e amigos. Aquela certeza que sussurra baixinho dentro de si. O medo que faz insistir em uma relação acabada. Por que ainda é um tabu namorar depois dos filhos?

O medo de ficar só

O ato de tornar-se mãe é ferida porque deixa uma cicatriz. Nem sempre no corpo, mas fica a marca. Uma cicatriz fina que simboliza o fim de uma mulher: agora é a mãe. Te entregam um pacote do que deve-se tornar e a mãe agora é o ser evoluído. Sabe cozinhar, limpar, adivinhar se vai chover. Vira a chata e a cansada. E é nesse pedestal que a mãe é inatingível, que “mãe é tudo igual”.

“Ninguém vai querer ficar com você porque você é mãe” 

Quando essa frase me foi dita, eu vi meu receio tomar forma. Esse é o medo que a gente se segura para não ter que lidar, e que muitas vezes, amarra mulheres a relacionamentos violentos, já que ninguém quer uma mãe. Um pai, tudo bem, aliás, é até fofo. O pai não deixa de ser homem. A mãe é mãe e pronto. Quando muito, ainda existe uma frase que também é interessante de ser analisada, e que parece irmã da primeira: você não tem cara de mãe.

Isso porque transpassa o que foi dito no início. A mãe tem uma cara específica. Como se tornar-se mãe fosse perder toda a singularidade e transformar-se em um ser indistinto de outros. Não é cara de mulher, não é desejável. É cansada e sagrada. Mas no sentido de não poder tocar, olhar. É um ser que não deseja nada além da própria cria e de constituir uma família. 

A mãe não namora

Esse é um ponto forte do “porque ninguém quer uma mãe”. Se mãe é tudo igual e mães são as responsáveis por sustentar o vínculo familiar, então é claro que essas “mães solteiras” só podem estar em busca de uma figura para manter o equilíbrio. Para preencher o posto faltante. 

E quando decide namorar, entre as incontáveis dicas que ajudam essas mulheres a voltarem a se relacionar, a mais recorrente talvez seria “não dizer de início que você é mãe”. 

É óbvio que não é algo que eu sinto a necessidade de contar logo na primeira apresentação, como “oi, sou mãe, meu nome é fulana, tudo bem?”, isso por vários motivos. Primeiro, minha cria não irá comigo ao encontro. Eu vou ao encontro. 

Segundo, ser mãe é apenas uma das diversas coisas que eu sou. Quando eu saio com outra pessoa, é claro que essa característica me influencia em certo ponto, mas sobretudo, eu sou mulher. Eu jamais ouviria a frase “ninguém vai ficar com você porque você estuda Psicologia”, ou “porque você é atriz”, apesar de serem características minhas que também dizem muito sobre mim. O ponto aqui é que essas características são apresentadas com o tempo e apenas me singularizam mais enquanto pessoa, já ser mãe, se torna um fator de exclusão. 

Mães solteiras buscam namorados e não pais para seus filhos

Eu realmente não espero que alguém vá ficar comigo por ser mãe, afinal, eu sou mãe apenas da minha filha e ponto. Não tenho a pretensão nenhuma de assumir papel de mãe na vida de adulto já criado, ou de colocar outro homem para substituir o lugar do pai. Esse posto já é preenchido e ainda que exista casos onde o posto não seja atuante, ele já é ocupado pela falta. 

Mulheres mães não precisam de dicas para voltarem a se relacionar. Não há fórmula. Se uma pessoa se afasta por não conseguir enxergar uma mulher incrível junto à figura da mãe, por não se interessar em descobrir as incontáveis outras características e particularidades dessa mulher, azar.

Leia também:

Escrito por Victória Silveira
Sou Victória Silveira, escrevo como convidada para o Blog da Leiturinha e, no amanhecer dos meus 19 anos, acabei por me reconhecer como escritora, amante das Artes e mãe da Helena.
Livros selecionados por faixa etária, todo mês na sua casa. Saiba Mais.
Relacionados
Maternidade Real: A visão de mulheres reais sobre ser mãe

Maternidade Real: A visão de mulheres reais sobre ser mãe

“Viver a maternidade real é me doar a todo momento. É pensar e estar com ele no meu pensamento 24 horas por dia. É me preocupar, é sentir esse medo, acho que até mesmo um medo de perder. É querer aproveitar cada momento como se fosse único e pedir que o tempo pare."...

Qual é a importância da leitura na educação infantil?

Qual é a importância da leitura na educação infantil?

De modo geral, os livros têm a capacidade de formar cidadãos ativos na organização de uma sociedade mais consciente e crítica. Mas qual é a importância da leitura na educação infantil, especificamente? Neste texto, você irá descobrir por que desenvolver o hábito da...

Meu filho dorme mal: 5 dicas para noites mais tranquilas

Meu filho dorme mal: 5 dicas para noites mais tranquilas

Meu filho dorme mal, o que fazer? 😴 Se essa pergunta não sai da sua cabeça, é bom prestar atenção nas informações que temos para você! O sono é importante para que o desenvolvimento mental e físico das crianças ocorra de forma saudável. Como essa fase de crescimento é...

Maternidade Real: A visão de mulheres reais sobre ser mãe

Maternidade Real: A visão de mulheres reais sobre ser mãe

“Viver a maternidade real é me doar a todo momento. É pensar e estar com ele no meu pensamento 24 horas por dia. É me preocupar, é sentir esse medo, acho que até mesmo um medo de perder. É querer aproveitar cada momento como se fosse único e pedir que o tempo pare."...

Qual é a importância da leitura na educação infantil?

Qual é a importância da leitura na educação infantil?

De modo geral, os livros têm a capacidade de formar cidadãos ativos na organização de uma sociedade mais consciente e crítica. Mas qual é a importância da leitura na educação infantil, especificamente? Neste texto, você irá descobrir por que desenvolver o hábito da...

Meu filho dorme mal: 5 dicas para noites mais tranquilas

Meu filho dorme mal: 5 dicas para noites mais tranquilas

Meu filho dorme mal, o que fazer? 😴 Se essa pergunta não sai da sua cabeça, é bom prestar atenção nas informações que temos para você! O sono é importante para que o desenvolvimento mental e físico das crianças ocorra de forma saudável. Como essa fase de crescimento é...

4 Comentários

  1. Claudia

    Você é maravilhosa! Espero que saiba disso o resto da sua vida! Sempre te admirei e a cada dia que passa você se surpreendente! Muito maravilhosa!

    Responder
  2. Rita de cássia magnani

    Olá! Adorei tudo o que escreveu. Me identifiquei… Já passei por várias situações referentes ao fato de ser mãe solteira. A primeira vez aos 19 anos e agora novamente aos 39 anos. Quando descobri amei a certeza que teria outra filha, mas muitas pessoas ao meu redor não, até mesmo minha família. Na minha casa somos “3”, três mulheres e eu não imagino um homem vivendo conosco. Assexuada? Amazona? Feminista? kkkkkk Não sei dizer… Mas é assim. E sigo feliz com minhas duas filhas: Anna Beatriz e Yasmim Vitória <3

    Responder
    • Blog Leiturinha

      Oi, Rita! Obrigada por dividir a sua história conosco! 😍

      Responder
  3. Margrave Dubghlas

    A maioria das mães solteiras estão criando seus filhos com a ajuda de um membro da família (normalmente a sua mãe), um grupo de amigos e outras mães solteiras que elas encontram em grupos de suporte.

    Em algum momento elas vêm com a ideia de ter um “companheiro”. Dando-se conta que elas têm uma desvantagem em ter uma criança e estar no mercado de solteiros, elas usam várias estratégias para conseguir um parceiro.

    Uma das primeiras estratégias é ter como alvo homens que não têm crianças também. Isso permite que elas pintem o quadro de ter uma criança como fácil e que sempre haverá um balanço no relacionamento entre ele e a criança.

    Elas muitas vezes se pintarão como vítimas indefesas, vitimizadas por um cruel e ausente pai – elas precisam de um salvador. Outro esquema popular é fazer com que elas pareçam centradas e bem sucedidas e que está tudo bem com ela e de que ela não precisa de um parceiro realmente.

    Outra estratégia é já envolver rapidamente a criança e o parceiro em potencial para gerar um relacionamento entre ele e seu filho. Isso permite várias táticas em cascata. Permite uma enorme carga de culpa e vergonha se o homem decide terminar o relacionamento. Você irá ouvir frases como “qualquer homem que me ame tem que amar meus filhos!” etc, todas desenhadas para despertar o senso de proteção e cavalheirismo do homem. Isso facilita um senso de pertencer e ajuda a desembocar num casamento.

    Um traço que parece vir a tona na hora para os homens que estão namorando mães solteiras é como elas são maravilhosas mulheres. Muitos homens não conseguem entender como outro homem poderia abandonar alguém como elas. Já foi dito que as mães solteiras são mais carinhosas, compreensivas, ótimas amantes, ótimas cozinheiras, riem de todas as tuas piadas… elas parecem ser parceiras ideais.

    O que REALMENTE está rolando é um plano bem feito e uma estratégia orquestrada para garantir um relacionamento com o homem. Perdi a conta de quantos homens reclamam que, após o casamento, eles estavam fazendo a maioria das tarefas de cozinhas, limpar, reparar a casa com nenhum tempo mais de sobra. A mulher carinhosa, apaixonada que ele encontrou agora mudou para uma mulher totalmente diferente, como se tivesse outra personalidade. Em resumo, uma mãe solteira sabe que elas precisam trabalhar duro para ter um homem e ela irá fazê-lo, mas para a maioria isso não durará e a verdadeira mulher então se revela.

    Normalmente isto ocorre depois do casamento.

    Muitos homens arriscam e se envolvem em um casamento com uma mãe solteiras e não sabem realmente quais os problemas irão encontrar. Aqui uma pequena lista de vários problemas comuns que aparecerão:

    Ser um “companheiro” significa pagar pela metade se não mais. Eu percebi que depois do casamento uma mãe solteira trabalha rapidamente para que o nome do marido esteja em todas as contas. Ela também pedirá uma quantia enorme de grana para cobrir os gastos da criança. Isto é também expresso como “amar a ela e mostrar”. Eu já vi homens guardando dinheiro pra faculdade de uma criança que não é dele. Comprando quantias ridículas de roupas de marca, casas caras etc.. Tudo num esforço de pertencer a tão falada “família”.

    E, não importa o que pense, o ex dela sempre estará por perto para esse homem. Parece que mesmo no namoro se ele não aparecia, depois do casamento ele aparece de repente. O pai obviamente irá querer um relacionamento com seu filho. Esse companheiro será dragado em todas as intermináveis briguinhas e bicadas entre eles.

    Todo o tempo que o casal tinha se acabará após o casamento. Se um homem solteiro está pensando no que irá acontecer pergunte a qualquer pai de criança como o seu tempo é gasto… Não seria certamente meus hobbies. A frase “nós somos uma família e é isso o que uma família faz”, será ouvida. Mas é a família DELA e ela que toma todas as decisões.

    A maioria dos homens envolvidos com mães solteiras falam que seu dinheiro parece ter secado. Crianças são caras – caras como nenhum homem faz idéia. Entre material escolar, roupas, remédios, esportes, mantimentos, brinquedos.. bem não sobra nada. Outra tática mesquinha das mães solteiras é que não só você paga por estas coisas mas elas fazem o pai verdadeiro da criança também pagar por estas ou outras coisas. Duplo taxamento, o que faz com a mãe solteira tenha zero despesas já que dois machos estão pagando pelas despesas do Júnior.

    Esse homem nunca será realmente aceito. Depois de colocá-la na escola, dar der comer e um lugar pra viver, dando vários presentes e honestamente se importando com ela, eu continuo ouvindo esta história de novo e de novo. Chega o momento de uma festa de graduação ou casamento, o padrasto acha que ele será homenageado e agradecido pelos sacrifícios mas ao invés disso ele é jogado de lado pra um banco traseiro ou não convidado já que a criança bastarda convida a mãe e o pai para a festa… E agradece estes por todo o amor e trabalho. Normalmente não há nem um reconhecimento pelo esforço.

    Agora que ela casou, ela irá querer impressionar as amigas mamães solteiras com a sua nova felicidade. A felicidade dela normalmente inclui uma nova casa numa boa vizinhança, novas roupas, novos itens pra casa, novo carro, etc.. Se ela casou ela quer mostrar seu novo prestígio.

    Esse homem, no fim ,não terá nada no final pra mostrar. No final de tudo quando a maioria dos homens terão seus PRÓPRIOS filhos, o esforço e trabalho é válido. Como homens eles deram seu melhor em criar uma família, continuaram a linha genética, tiveram netos… Como padrasto você contribuir tanto quanto mas você não tem NADA. Ninguém carrega teu nome e genes e muitos homens se tocam que nunca serão agradecidos pelo seu sacrifício.

    Além disso, a lei pode destruir esse homem. Há vários casos onde uma homem divorciou da mulher deixou uma mãe solteira e descobriu que era responsável financeiramente pela criança dela. Embora não seja o pai, ele será responsável pelo pagamento de pensão, gastos extras, e a universidade. Olhe as leias é um negócio brutal. Junte isso a pensão que tens que pagar pra ela e você se verá sozinho, sem dinheiro pagando por um filho que NÃO É SEU.

    No final de tudo as mulheres queriam liberdade para ter suas próprias escolhas por décadas. Eu aconselharia todos os homens solteiros a deixar as mães solteiras terem sua escolha de ter uma criança e viver com isso. NÃO se envolva com nenhuma dessas mulheres em NENHUMA circunstância. Pode ser em muitos casos a morte de um homem.

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *