Brinquedos existem desde sempre. Ele são companheiros da infância. Eu acredito que eles tenham nascido justamente dessa necessidade de imaginar que a infância nos cobra. Nós, seres humanos, experienciamos a fase mais concreta e abstrata da vida, assim, juntas. São nos primeiros anos de vida que somos obrigados a conviver com tamanha certeza e incerteza de tudo, trazendo aos fatos uma pitada de fantasia. Já adultos, nos vemos tendo que responder perguntas inimagináveis e definições exatas sobre a realidade. 

O importante é sabermos que isso é extremamente necessário para nossos processos cognitivos. É fantasiando que descobrimos a criatividade. É jogando com o concreto que aprendemos sobre operações e coisas reais. 

Brinquedos saem para brincar…

Não é atoa que um dos filmes mais renomados do universo infantil é Toy Story, quando pequenos o que mais desejamos é poder falar com aquele brinquedo preferido. Mesmo que não seja possível conversar com ele diretamente, poder imaginar que ele tenha uma vida já nos leva longe. 

Boa noite, Planeta

Editora: V&R
Autor: Liners

Quando chega a noite e o corpo dessa garotinha não a permite fazer nada além de dormir, começa a longa jornada do seu melhor amigo, o ursinho Planeta. Ele sai por caminhos incertos em direção ao desconhecido. Brinca com um cachorro, conhece um rato e até se aproxima da lua. Mas, o que acontecerá ao amanhecer? Este livro foi direcionado aos nossos pequenos leitores com objetivo de fomentar a imaginação e introduzir a leitura de quadrinhos. 

Os silêncios presentes entre um quadrinho e outro, pedem ao leitor a realização da leitura atenta das imagens. Cada detalhe presente nos desenhos, pode ser decisivo para a compreensão da obra. As pausas ou ausências de texto, funcionam também como um momento de reflexão na leitura, necessário para a captação da mensagem do livro. A obra venceu o Prêmio Eisner em 2018.

Os pequenos e o livro ilustrado

Ler imagens não significa traduzi-las. Ou seja, não significa ver uma imagem e dizer o que ela é, mas dizer sobre os sentidos que ela provoca. E nisso, as crianças são mestres! Não é difícil encontrar adultos surpresos com as associações que os pequenos fazem de determinados livros, se deparando com divertidas e inusitadas histórias inventadas por eles. Quando isso acontece, vemos claramente que a criança se apropriou de tal forma da obra que faz suas próprias leituras da mesma. Situações como esta, corriqueiras quando se introduz o contato com os livros desde cedo, são fundamentais para a construção do prazer pela leitura e seu hábito pela vida toda. Já falamos sobre o livro ilustrado aqui no Blog, se quiser saber mais!

Leia mais:

Profile photo of Caroline Lara

Faz parte da Equipe de Curadoria da Leiturinha, é formada em Psicologia e mãe do Caetano. Leitora compulsiva, é apaixonada em provocar emoção, despertar a fantasia, entreter e alegrar pequenos através da literatura. Acredita que quanto menor nosso tamanho, maior a criatividade!