Prêmio Reclame Aqui

4 dicas para combater o preconceito infantil

por | set 18, 2020 | 7 Comentários

O preconceito é construído socialmente, a partir das nossas interações com o mundo e com os outros. A cada interação e troca, a criança também vai absorvendo e compreendendo o mundo. Assim, ela vai construindo os seus valores e suas percepções. Nisso, muitas coisas boas aparecem. No entanto, essa construção pode permitir que algumas condutas sociais que permeiam o machismo, o racismo, e as hierarquias passem de geração para geração.

Por isso, se esses comportamentos não forem pensados e ressignificados é possível que eles se prolonguem. Nesse sentido, a cada geração temos a oportunidade de provocar mudanças cada vez mais ágeis em prol de uma sociedade mais respeitosa. Pensando nisso, como podemos combater o preconceito infantil e criar uma criança sem preconceitos?

Como combater o preconceito infantil

1. As crianças notam as diferenças

É esperado que a criança note diferenças, principalmente se é a primeira vez que ela se depara com aquela característica ou comportamento específico. A partir daí, os pais e os educadores podem explicar essas diferenças, sejam elas étnicas, de gênero, deficiências, religiões. Então, podem aproveitar esse momento para expandir as percepções da criança sobre a diversidade que temos no mundo.

Além disso, é possível despertar a curiosidade dessa criança para conhecer novas pessoas, novos lugares e novas crenças. É importante reforçar que cada um é de um jeito, tanto quando falamos de características físicas como de características pessoais e preferências. Afinal, é isso que faz as conversas interessantes, por conta das diferentes opiniões e das diferentes formas de ver o mundo.

2. É importante ser coerente

Ter coerência entre o que você fala para o seu filho e como você age é primordial. As crianças aprendem prioritariamente reproduzindo as nossas atitudes. Então, o primeiro passo para que o pequeno respeite o próximo é você reforçar atitudes respeitosas em casa. É ser um exemplo positivo. Se atente a comentários irônicos e a forma que você fala das outras pessoas na frente dos pequenos. Também, perceba os seus vieses, e se force a mudá-los.

3. Respeito acima de preferências

O diálogo é muito importante. Por vezes, a criança tabula um colega de “chato” ou “diferente”, por exemplo. Aí, você tem uma oportunidade para reforçar que a criança pode escolher seus amigos, de acordo com a afinidade, mas que ela necessariamente deve respeito a todos. Independente da pessoa estar em seu ciclo de amigos ou não. Reforçar que o respeito vem antes de quaisquer preferências, é importantíssimo.

4. Exponha seu filho às diferenças e combata o preconceito infantil

Levar seu filho para lugares frequentados por pessoas diversas, apresentar conteúdos de diferentes países e diferentes idiomas são outras atitudes importantes. Ressaltar como o mundo é grande e como ele possibilita aprendizados infinitos, são boas formas para treinar o olhar a perceber como as diferenças são importantes formas de expressão e de felicidade. Quanto mais seu filho for exposto às diferenças, com mais naturalidade ele irá encará-las.

Então, passeie com o pequeno. Visite exposições, parques e caminhe pela cidade. Não tenha medo de apresentar o mundo para o seu filho e discutir questões importantes. Como, por exemplo, a pobreza, fome, responsabilidade social, economia etc. Claro que sempre adaptando as complexidades para a faixa-etária. Lembre-se que quanto menos resistência tivermos perante os assuntos, mais naturalidade teremos para conversar com os nossos filhos sobre as pluralidades

Conta para a gente, gostou das nossas dicas? O que você faz para criar uma criança sem preconceitos? E como você combate o preconceito infantil na sua casa?

Na Loja Leiturinha, você encontra a melhor seleção de livros infantis para conversar sobre diversidade e inclusão com os pequenos! Acesse a Loja agora mesmo e descubra!

Leia mais:

Escrito por Nathalia Pontes
Mestre em Psicologia da Educação, Educadora e escritora, acredita que aprender é uma combinação entre autoconhecimento, troca e curiosidade pelo novo. É apaixonada por educação, desenhos, viagens e literatura.
Livros selecionados por faixa etária, todo mês na sua casa. Saiba Mais.
Relacionados
8 coisas que você precisa saber para lidar com as birras do seu filho

8 coisas que você precisa saber para lidar com as birras do seu filho

Lidar com as birras da sua criança: Um dos desafios mais marcantes da vida de qualquer tutor. Mesmo que você não seja mãe ou pai, certamente já deve ter presenciado um momento como esse: a criança começa a chorar e em poucos minutos já está gritando, esperneando e se...

Como lidar com meu filho pré-adolescente?

Como lidar com meu filho pré-adolescente?

Afinal, como lidar com meu filho pré-adolescente? Sabemos que quando você pisca, seu filho ou filha já está na pré-adolescência. Podem surgir, então, acordos não cumpridos. Eles parecem mais irritados e tendem a reclamar de tudo, não é mesmo? Pois tenha calma. É sim...

8 coisas que você precisa saber para lidar com as birras do seu filho

8 coisas que você precisa saber para lidar com as birras do seu filho

Lidar com as birras da sua criança: Um dos desafios mais marcantes da vida de qualquer tutor. Mesmo que você não seja mãe ou pai, certamente já deve ter presenciado um momento como esse: a criança começa a chorar e em poucos minutos já está gritando, esperneando e se...

Como lidar com meu filho pré-adolescente?

Como lidar com meu filho pré-adolescente?

Afinal, como lidar com meu filho pré-adolescente? Sabemos que quando você pisca, seu filho ou filha já está na pré-adolescência. Podem surgir, então, acordos não cumpridos. Eles parecem mais irritados e tendem a reclamar de tudo, não é mesmo? Pois tenha calma. É sim...

A Jacaré: a curiosa amizade de um homem e seu pet peculiar

A Jacaré: a curiosa amizade de um homem e seu pet peculiar

O livro A Jacaré conta a linda história de amizade entre Faoro e Negro, um jacaré. Isso mesmo! Um jacaré! 🐊 Esse Inédito Leiturinha é um livro infantojuvenil estrangeiro ultra premiado, e seu título original é La Caimana. Chegou ao Brasil em primeira mão aos...

7 Comentários

  1. RÚBIA CORSO LONGHI

    Parabéns pelo texto Nathalia, muito importante a parte que você fala que é através do exemplo que nossos filhos aprendem, e realmente não há fórmula mais eficaz, meus pais me ensinaram respeito pela conduta deles, nunca precisaram me dizer que somos todos iguais, independente de raça, cor, religião e afins…. precisamos nos educar pra deixar pro mundo pessoas de conduta admirável! 👏👏👏👏

    Responder
  2. Neidimar Pereira

    Gostei 😍

    Responder
  3. Neidimar Pereira

    Eu sou apaixonada por leitura e achei a dica para educação da minha neta excelente! 😊😊😘

    Responder
  4. Rosana

    Verdadeiramente lindo o seu texto.
    A base para uma sociedade igualitária.Parabéns Natália

    Responder
  5. Luciana Gioli Pereira

    Texto excelente. Adoro esse blog do Leiturinha. 😍

    Responder
  6. Sandra Amarante Souza

    Adorei, sempre pensei em comer educar da melhor forma, e um dos pontos que tinha dúvidas era exatamente o preconceito, muito obrigada pelas maravilhosas dicas 🥰😘

    Responder
  7. evelinejeanmary536@gmail.com

    Gostei

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *