4 dicas para combater o preconceito infantil

por | set 18, 2020 | 6 Comentários

O preconceito é construído socialmente, a partir das nossas interações com o mundo e com os outros. A cada interação e troca, a criança vai absorvendo e compreendendo o mundo. Assim, ela vai construindo os seus valores e suas percepções. Nisso, muitas coisas boas aparecem. No entanto, essa construção permite que algumas condutas sociais que permeiam o machismo, o racismo, e as hierarquias passem de geração para geração. Se esses comportamentos não forem pensados e ressignificados é esperado que eles se prolonguem. Porém, a cada geração temos a oportunidade de provocar mudanças cada vez mais ágeis em prol de uma sociedade mais respeitosa. Pensando nisso, como podemos combater o preconceito infantil e criar uma criança sem preconceitos?

Como combater o preconceito infantil

1. As crianças notam as diferenças

É esperado que a criança note diferenças, principalmente se é a primeira vez que ela se depara com aquela característica específica. A partir daí, o pai e educador pode ressaltar essas diferenças, sejam elas étnicas, de gênero, deficiências, religiões. Então, pode aproveitar esse momento para expandir as percepções da criança sobre a diversidade que temos no mundo.

Além disso, despertar a curiosidade dessa criança para conhecer novas pessoas, novos lugares e novas crenças. É importante reforçar que cada um é de um jeito, tanto de características físicas como características pessoais e preferências. É isso que faz as conversas interessantes, por conta das diferentes opiniões e das diferentes formas de ver o mundo.

2. É importante ser coerente

Ter coerência entre o que você fala para o seu filho e como você age é primordial. As crianças aprendem prioritariamente reproduzindo as nossas atitudes. Então, o primeiro passo para que o pequeno respeite o próximo é você reforçar atitudes respeitosas em casa. É ser um exemplo positivo. Se atente a comentários irônicos e a forma que você fala das outras pessoas na frente dos pequenos. Também, perceba os seus vieses, e se force a mudá-los.

3. Respeito acima de preferências

Diálogo é muito importante. Algumas vezes a criança tabula um colega de “chato” ou “diferente”. Aí, você tem uma oportunidade para reforçar que a criança pode escolher seus amigos, de acordo com a afinidade, mas que ela necessariamente deve respeito a todos. Independente da pessoa estar em seu ciclo de amigos ou não. Reforçar que o respeito vem antes de quaisquer preferências, é importantíssimo.

4. Exponha seu filho às diferenças e combata o preconceito infantil

Levar seu filho para lugares frequentados por pessoas diversas, apresentar conteúdo de diferentes países e diferentes idiomas é importante. Ressaltar como o mundo é grande e como ele possibilita aprendizados infinitos, são boas formas para treinar o olhar a perceber como as diferenças são importantes formas de expressão e de felicidade. Quanto mais seu filho for exposto às coisas, com mais naturalidade ele vai encará-las.

Então passeie com o pequeno. Visite exposições, parques, caminhe pela cidade, não tenha medo de apresentar o mundo para o seu filho e discutir questões importantes. Como por exemplo pobreza, fome, responsabilidade social, economia, etc. Claro que adaptando as complexidades para a faixa-etária. Quanto menos resistência tivermos perante os assuntos, mais naturalidade teremos para conversar com os nossos filhos sobre as pluralidades. 

Conta para a gente, gostou das nossas dicas? O que você faz para criar uma criança sem preconceitos? E como você combate o preconceito infantil na sua casa? 

Leia mais:

Escrito por Nathalia Pontes
Mestranda em Psicologia da Educação, Psicopedagoga e Escritora, acredita que aprender é uma combinação entre autoconhecimento, troca e curiosidade pelo novo. É apaixonada por educação, desenhos, viagens e literatura.
Relacionados
Como ensinar sobre eleições para crianças?

Como ensinar sobre eleições para crianças?

“Criança não tem que se meter em assunto de adulto.” Você já ouviu essa frase? Ou talvez já tenha falado ela? Meu pai sempre esteve no mundo da política. A casa costumava estar sempre cheia de adultos falando sobre política. E quando algum pequeno queria intervir no...

Você conhece a depressão pós-parto masculina?

Você conhece a depressão pós-parto masculina?

Quando falamos em depressão pós-parto, é natural associarmos a mulher que acabou de ter o bebê. No entanto, existem muitos casos de depressão pós-parto masculina, que é pouco falada, estudada, diagnosticada e tratada.  O que é a depressão pós-parto masculina? Essa...

5 receitas de tinta comestível para fazer em casa

5 receitas de tinta comestível para fazer em casa

Toda criança adora uma boa folia, seja brincando, cantando, dançando… E na cozinha então? A folia é mais gostosa ainda. Que tal unir a brincadeira com seu pequeno com a cozinha, ou seja, o útil e o agradável? As tintas comestíveis são extremamente populares entre as...

Como ensinar sobre eleições para crianças?

Como ensinar sobre eleições para crianças?

“Criança não tem que se meter em assunto de adulto.” Você já ouviu essa frase? Ou talvez já tenha falado ela? Meu pai sempre esteve no mundo da política. A casa costumava estar sempre cheia de adultos falando sobre política. E quando algum pequeno queria intervir no...

Você conhece a depressão pós-parto masculina?

Você conhece a depressão pós-parto masculina?

Quando falamos em depressão pós-parto, é natural associarmos a mulher que acabou de ter o bebê. No entanto, existem muitos casos de depressão pós-parto masculina, que é pouco falada, estudada, diagnosticada e tratada.  O que é a depressão pós-parto masculina? Essa...

5 receitas de tinta comestível para fazer em casa

5 receitas de tinta comestível para fazer em casa

Toda criança adora uma boa folia, seja brincando, cantando, dançando… E na cozinha então? A folia é mais gostosa ainda. Que tal unir a brincadeira com seu pequeno com a cozinha, ou seja, o útil e o agradável? As tintas comestíveis são extremamente populares entre as...

A importância de escutar as crianças

A importância de escutar as crianças

Que as crianças se manifestam o tempo todo, nós já sabemos. Porém, este tema se amplia e os olhares se voltam para a maneira e situações em que os adultos se dedicam a ouvir tais manifestações. E acredite, escutar as crianças vai muito além de emprestar os ouvidos....

6 Comentários

  1. Avatar

    Parabéns pelo texto Nathalia, muito importante a parte que você fala que é através do exemplo que nossos filhos aprendem, e realmente não há fórmula mais eficaz, meus pais me ensinaram respeito pela conduta deles, nunca precisaram me dizer que somos todos iguais, independente de raça, cor, religião e afins…. precisamos nos educar pra deixar pro mundo pessoas de conduta admirável! 👏👏👏👏

    Responder
  2. Avatar

    Gostei 😍

    Responder
  3. Avatar

    Eu sou apaixonada por leitura e achei a dica para educação da minha neta excelente! 😊😊😘

    Responder
  4. Avatar

    Verdadeiramente lindo o seu texto.
    A base para uma sociedade igualitária.Parabéns Natália

    Responder
  5. Avatar

    Texto excelente. Adoro esse blog do Leiturinha. 😍

    Responder
  6. Avatar

    Adorei, sempre pensei em comer educar da melhor forma, e um dos pontos que tinha dúvidas era exatamente o preconceito, muito obrigada pelas maravilhosas dicas 🥰😘

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *