Educar nossos filhos não diz respeito apenas a questões do desenvolvimento intelectual, estamos ajudando a formar  pessoas com valores e crenças que constituirão um caráter que vai impactar na vida de muitas outras pessoas. Mas a pergunta que martela na cabeça de muitos pais é: que cidadão estamos formando para o mundo?

A resposta não é tão óbvia, mas existem exemplos de condutas e comportamentos que podem ajudar nessa questão. Por exemplo, faça o exercício de pensar na sua infância. Quais são as melhores memórias que você tem dessa fase? O que te ajudou a moldar algumas de suas ações hoje como adulto? Um palpite: poucas ou nenhuma dessas memórias está relacionada a bens financeiros. Crianças gostam de coisas simples e são essas as coisas que acabam marcando suas memórias afetivas e as ajudam a assimilar coisas durante seu desenvolvimento. E essa simplicidade pode ser relacionada com a gratidão.

Leia também: Entrevista com Mario Sergio Cortella

Ser grato é um exercício diário para adultos e crianças. E você pode fazer isso na sua casa, incorporando a gratidão na rotina da sua família. Vocês podem agradecer uns aos outros, você pode deixar um bilhetinho para o pequeno agradecendo por ele ter te ajudado quando você precisou ou simplesmente dizendo “obrigado” quando ele fizer algo.

Educação pelo exemplo

As crianças imitam gestos e posturas dos adultos, especialmente dos mais próximos. Por isso, se você quer ter um filho grato, seja grato também. Muitas vezes, a perspectiva negativa sobre alguns fatos recebe mais destaque, que tal olhar aquilo sob uma nova perspectiva?  Vocês podem agradecer, por exemplo, o dia de sol que permitiu que vocês pudessem sair para passear; ou à chuva que fez a família se reunir em casa por mais tempo.

Além disso, muitas vezes não damos atenção nem mesmo para as coisas boas que acontecem conosco. Se olhar sob uma perspectiva positiva para fatos considerados ruins está difícil, então tente outro exercício, dê atenção às coisas boas. Você vai ver quantas coisas boas acontecem na sua família e que geralmente vocês nem prestaram atenção e deixaram passar.

Mudar a perspectiva sobre as coisas vai deixar até o clima na casa mais leve. Depois de um tempo agradecendo pelas refeições, a criança começa a questionar por si mesma quando deixa muita comida no prato ou quando reclama porque não ganhou determinado brinquedo. Essa consciência vem aos poucos e fica mais clara à medida em que ela vai crescendo e entendendo mais sobre seu entorno. Nunca é cedo ou tarde demais para começar essa prática na sua família. Que tal agora?

Leia mais:

Profile photo of Ariane Donegati

Jornalista e entusiasta do desenvolvimento infantil, acredita que brincar é sinônimo de aprendizado e felicidade para as crianças.