Tecnologia, infância e educação

Já falamos aqui no Blog da Leiturinha sobre a relação entre tecnologia e infância. Aliás, este tema tem surgido bastante, com debates e discussões acerca da implacável realidade: nossos pequenos já nasceram conectados (saiba mais sobre o assunto na matéria Geração Alpha). Pensando nisso, cabe a nós, adultos, nos adaptar a esse novo cenário, tanto como pais, quanto como educadores, para dosar o uso da tecnologia e utilizá-la a favor do conhecimento e do desenvolvimento das crianças. No contexto educacional, a Finlândia já é um grande exemplo, aliando tecnologia, conhecimento, inovação e interdisciplinaridade em um modelo de escola que já é considerado um dos melhores do mundo.

O modelo educacional da Finlândia, uma história de sucesso

A história do sucesso da educação finlandesa começou nos anos 70, quando o país implantou o ensino gratuito universal e passou a investir na formação de uma mão de obra qualificada. Essa mudança foi fundamental para o que veio alguns anos depois. Nos anos 90, a indústria de telecomunicações no país deu um salto com o surgimento da Nokia, uma empresa centenária que dominou o mercado de celulares nos anos 2000.

Mas muito antes disso, em 1957, quando a televisão chegou ao país e a produção audiovisual local ainda não existia, o governo optou por, ao invés de dublar os programas estrangeiros, legendá-los, fazendo com que a população tivesse contato com outras línguas e desenvolvesse sua habilidade de leitura. Hoje, o país é uma das campeãs da Europa em índice de leitura. Para se ter uma ideia, em um país com 5 milhões de habitantes, cerca de 70 milhões de livros são emprestados das bibliotecas públicas.

Com laboratórios tecnológicos de alto nível, Finlândia aposta em uma educação inovadora

Não à toa, a Finlândia está entre os cinco países mais inovadores do planeta. Com o objetivo de estimular o interesse pelas ciências, tecnologia, engenharia, design e matemática, os estudantes têm uma rotina dentro do laboratório da escola, onde escolhem e realizam desafios em áreas como robótica, biotecnologia, desenvolvimento de jogos e impressão em 3D. A maioria das atividades vem em kits para ser manipulados pelos próprios alunos. Assim, a Finlândia conseguiu focar na formação de uma mão de obra super qualificada, transformando-se em uma economia menos dependente de recursos naturais e cada vez mais voltada para o conhecimento.

Phenomenon Based Learning: uma aula guiada pela curiosidade

Aprendizagem baseada em fenômenos. É este o significado do termo Phenomenon Based Learning, uma abordagem educacional guiada pela curiosidade e interesse dos alunos. Esta é uma prática antiga nas escolas da Finlândia, sendo indispensável que as escolas adotem a metodologia em pelo menos um curso anual de sua grade. A abordagem Phenomenon Based Learning funciona, basicamente, assim: o professor pergunta aos alunos o que eles desejam aprender. Escolhido o tema, o fenômeno é explorado como um todo, sob o ponto de vista de diferentes matérias escolares, como matemática, história, ciências, geografia, artes. O que melhor couber no tema.

As crianças são curiosas, por natureza, e esta metodologia utiliza isso para que elas possam aprender de maneira mais efetiva, a partir da realidade que as cerca. Dessa forma, o assunto é explorado na prática e relacionado com as vivências dos pequenos, colaborando para que eles internalizem mais facilmente o conhecimento, seu significado e sua aplicação.

Respeito, contato com a natureza e formação cidadã

Com a valorização dos educadores, respeito às diferenças e limitações de cada aluno e prioridade na formação cidadã dos pequenos, a Finlândia construiu um sistema que preza pela qualidade do conhecimento e pelo bem-estar das crianças. Os pequenos começam a ser alfabetizados aos 7 anos. Antes disso, o foco é o brincar, principalmente ao ar livre, nas enormes áreas verdes que cercam as escolas.

Com isso, a Finlândia consegue se destacar, não somente em termos de qualificação de mão de obra, mas também na formação baseada na cidadania e interdisciplinaridade. Todos os benefícios e resultados que têm dado destaque mundial ao modelo educacional finlandês fez com que governos, universidades e iniciativas privadas passassem a ver a o sistema de ensino do país como um produto de exportação a ser vendido para o mundo todo, por meio de cursos e treinamentos para professores de outros países.

Que a Finlândia nos sirva de exemplo e inspiração para que possamos pensar cada vez mais em como unir educação e tecnologia em prol do desenvolvimento dos nossos pequenos!

Informações de Exame

Foto de capa: Reprodução

Leia mais:

Profile photo of Ana Clara

Jornalista e autora no Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, das histórias às poesias. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.