Amamentação é sempre um assunto delicado, principalmente para a mãe que está passando por esse fase. Mesmo sem intenção de prejudicar, as pessoas acabam interferindo, contando o que deu certo com elas, o que fizeram, como passaram por esse processo e acreditam que outras mães precisam fazer da mesma maneira. Fora o contato que temos o tempo todo com redes sociais, blogs e grupos de maternidade que podem fornecer informações que nem sempre são verdadeiras ou que não funcionam igualmente para todo mundo. Para tirar algumas dúvidas sobre esse assunto e evitar o sentimento de frustração, confira cinco mitos sobre amamentação que muita gente repassa sem saber:

1. O laser resolve os problemas de amamentação

Na realidade a laserterapia ajuda na cicatrização das fissuras e machucados nos mamilos durante a amamentação, mas não resolvem o que causou, de fato, esse problema. O que gera dores e feridas é o padrão de sucção incorreto do bebê, e se ele não for corrigido, pode machucar novamente e cada vez mais. Portanto o laser trata a ferida e não o que fez com que existisse esse ferimento. 

2. O bebê precisa de livre demanda

O conceito de livre demanda pode ser um pouco confuso para algumas pessoas. O bebê poder mamar sempre que tiver vontade, não significa que ele vá fazer isso o dia inteiro. É preciso ficar atenta porque um bebê que mama bem e se sacia a cada mamada só vai precisar mamar de novo cerca de duas horas depois. Portanto se o pequeno pede leite em um período de tempo menor que esse ou o dia inteiro, pode ser sinal de que ele não está conseguindo sugar leite o suficiente a cada mamada. 

3. A produção de leite é relacionada ao tamanho da mama

Não. Geralmente a produção de leite tem relação com a demanda, raríssimos são os casos em que o problema é de produção da mãe – nesses casos são questões hormonais. Se o pequeno esvazia a mama a cada mamada o corpo entende que precisa continuar produzindo leite. Se o bebê não está conseguindo fazer a sucção certinha e deixa acumular leite, a produção pode diminuir.

4. Amamentar prejudica o seio da mulher

A amamentação sozinha não é responsável pela mudança dos seios. Isso é muito mais relacionado aos hormônios, ganho de peso excessivo e também ao fator idade. 

5. Mulheres com alguns formatos de mamilo não conseguem amamentar

Os formatos de mamilos diferentes podem interferir sim, de alguma forma, na amamentação porque os bicos facilitam na criação da pressão intra oral para retirada do leite e determinam o quanto o bebê precisa abocanhar a aréola para conseguir mamar da melhor maneira. Geralmente os bicos invertidos ou planos acabam gerando algum tipo de problema na amamentação, mas é claro que existe uma solução. Por isso procure um especialista para te ajudar. 

Leia também: 

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento no Blog, à convite da Leiturinha.