Há quem diga que a amamentação é o vínculo mais precioso entre a mãe e seu bebê. E se não é o mais, com certeza é um dos principais. Mas, diferentemente do que podemos pensar antes de termos contato com esse momento, amamentar não é fácil e podem aparecer muitas e muitas dificuldades pelo caminho. Podem aparecer fissuras, o pequeno pode não ganhar peso, a produção do leite pode cair, o bebê pode demorar demais a cada mamada ou querer mamar a todo momento. Estas e outras questões podem mães inseguras e preocupadas na fase de amamentação.

Agora, como saber se é necessário procurar ajuda ou se é só uma dificuldade passageira que será naturalmente corrigida? Pensando nisso, reunimos 5 das principais dúvidas na amamentação e como agir para resolver o problema:

1. Continuo sentindo muita dor, mas a pega do bebê está correta. O problema sou eu?

A culpa não é da mãe e, em alguns casos, a pega estar correta pode enganar. Não necessariamente quando a pega está certa, significa que a sucção do bebê também está correta. É importante avaliar a sucção e entender o que o bebê está fazendo de errado. A mãe tem que entender que se está machucando e doendo, é porque tem alguma coisa errada acontecendo na sucção do bebê. Não é normal. A não ser em casos específicos como no fenômeno de raynaud, por exemplo. Mas, mesmo assim, a intensidade da dor pode ser melhorada com a sucção do bebê. Se ele estiver sugando corretamente fica mais fácil de suportar, inclusive quando há o fenômeno de raynaud.

2. Meu bebê não quer mais ficar no peito. Ele pega e larga, pega e larga… Isso quer dizer que a pega dele está errada?

Não necessariamente. Pode ser que a produção de leite da mãe esteja baixa, ou que o bebê não esteja conseguindo extrair esse leite de maneira eficiente. Depende de quanto tempo o bebê tem e em que fase ele está. É necessário sempre avaliar os dois e ver o que está acontecendo.

3. Meu bebê mama muito bem, mas meu leite está secando. É normal?

Dificilmente isso acontece. Nesse caso a mãe precisa se perguntar: quanto tempo duram as mamadas? O que seria mamar bem? Se a resposta for “ele fica meia hora, uma hora mamando no peito” é sinal de que tem algo de errado. A produção de leite está diretamente ligada à sucção do bebê, se ele não esvazia a mama, ela para de produzir tanto leite.

4. O meu bebê tem linguinha presa, mas ele mama direitinho. Tem algum problema?

Não necessariamente, mas é sempre bom procurar um especialista para avaliar como está essa sucção. Aos 3 meses, o bebê tem um pico muito importante no desenvolvimento e, muitas vezes, nessa fase ele precisa extrair mais leite do que o normal. Por estar com a linguinha limitada pode acontecer do pequeno ir largando o peito, porque ele não consegue esvaziar completamente, então a produção de leite vai diminuindo e ele não consegue se sustentar. Nesse período, se estiver muito difícil fazer a sucção e for necessário entrar com um complemento, a chance dele largar o peito pela mamadeira é maior.

5. O refluxo e problemas alérgicos estão relacionados com a amamentação?

Sim, estão. O refluxo e a alergia podem provocar uma disfunção oral, desorganizar a boquinha do bebê e assim ele não vai conseguir sugar com tanta eficiência. Isso pode causar problemas alimentares lá na introdução alimentar. Então é muito importante acompanhar e entender o desenvolvimento dessa boquinha e o que está relacionado.

Sempre que surgir alguma dúvida, converse com seu médico e fale sobre procurar um profissional de fonoaudiologia especialista em amamentação para avaliar e/ou acompanhar o caso. É sempre melhor prevenir do que esperar o tempo passar. Essa fase de amamentação é muito importante e rica para o desenvolvimento do bebê.

Leia também:

Profile photo of Flávia Puccini

Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento no Blog, à convite da Leiturinha.