Creches Noturnas: E se o seu filho passasse a noite na creche?

por | abr 9, 2018 | 11 Comentários

São 20h, as crianças jantam, escovam os dentes e, após ouvirem uma história, pegam no sono. Nada de muito novo nessa cena, não é? Não fosse pelo fato de que elas estão em uma creche, e não em suas casas. Diante da necessidade de pais que trabalham em diferentes turnos e/ou possuem mais de um emprego para arcar com suas despesas, a demanda por creches noturnas tem crescido cada vez mais. Nesse contexto, surgem diversas questões: Trata-se de educação ou cuidado? Quem deve arcar com os custos dos novos turnos das creches? O quanto isso pode interferir no desenvolvimento dos pequenos? Estamos terceirizando demais a criação de nossas crianças? Ou iniciativas como essas são formas de auxiliar pais e mães que, muitas vezes, não tem outra opção senão trabalhar em diferentes turnos para sustentar a casa e os filhos?

Creches noturnas no Brasil: necessidade, opiniões e embates

Embora, se comparado ao número de crianças em idade pré-escolar no Brasil, a quantidade de crianças em creches noturnas ainda seja pequena, essa demanda só cresce. Nos últimos cinco anos, ao contrário de todas as outras etapas de ensino, que perdem alunos todos os anos, as matrículas em creches noturnas aumentaram 44,5%. Isso mostra que a necessidade não só existe, mas vem aumentando gradativamente.

Com uma oferta de horários variada, como por exemplo de 4h30 à 23h45, a educação infantil noturna tem se espalhado pelo país, dividindo opiniões entre pais, educadores e gestores, quanto aos seus impactos no desenvolvimento infantil e a origem dos recursos financeiros para esse tipo de atividade.

Para driblar o embate quanto a prejudicar o aprendizado das crianças, as creches noturnas têm se atido a oferecer aos pequenos apenas cuidados no período da noite, restringindo as atividades ao dia. Mas aí surge a segunda questão: Se trata-se apenas de cuidados, seu financiamento deveria vir da educação?

Considerando que muitas das creches noturnas são mantidas com recursos municipais, que já não são muitos, aparecem algumas possibilidades para resolver a situação, como responsabilizar as empresas, que poderiam criar espaços onde os pais pudessem deixar os filhos enquanto trabalham, criando assim uma parceria entre municípios e empresários. Ou ainda transferir a demanda para áreas assistenciais dos governos, ao invés da educação.

O cenário em outros países

A procura por creches noturnas não é exclusividade do Brasil. Pelo contrário, países como Estados Unidos e até a Suécia, que é considerada referência em educação infantil, já estão se adaptando a necessidade das famílias por horários alternativos. Nos EUA, inclusive, já existem até mesmo creches 24h, onde os pequenos passam a noite e, no dia seguinte, são levados pelas próprias “cuidadoras” para a creche diurna. Na Suécia, atualmente, das 290 áreas administrativas do país, 123 possuem creches noturnas, que já são frequentadas por quase 5 mil crianças.

Muitas questões e poucas saídas…

Nesse cenário, para algumas crianças, os membros da equipe da creche acabam cumprindo o papel dos pais, servindo o jantar, ajudando com as lições de casa, com a higiene, e na hora de dormir. Isso nos faz refletir sobre até que ponto “terceirizar” a criação dos filhos pode prejudicar os vínculos familiares e o desenvolvimento da criança. No entanto, ainda que preferissem que os seus pequenos estivessem em casa, o alto custo para contratar uma babá, a necessidade de trabalhar – mais e mais – para manter a casa e os filhos, a busca por uma vida melhor, com a dupla jornada entre trabalho e estudos, e, ainda o, cada vez maior, número de pais e mães solteiras(os) que precisam cuidar de tudo, muitas vezes, sem ajuda, faz com que as creches noturnas sejam a melhor e, às vezes, até a única alternativa.

Qual sua opinião sobre essa questão? As creches noturnas são problema ou solução? Compartilhe aqui com a gente!

Leia também: 

Categorias:
0 - 3 | 4 - 6 | Família | Idade | Parentalidade
Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
4 dicas para combater o preconceito infantil

4 dicas para combater o preconceito infantil

O preconceito é construído socialmente, a partir das nossas interações com o mundo e com os outros. A cada interação e troca, a criança vai absorvendo e compreendendo o mundo. Assim, ela vai construindo os seus valores e suas percepções. Nisso, muitas coisas boas...

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

4 dicas para combater o preconceito infantil

4 dicas para combater o preconceito infantil

O preconceito é construído socialmente, a partir das nossas interações com o mundo e com os outros. A cada interação e troca, a criança vai absorvendo e compreendendo o mundo. Assim, ela vai construindo os seus valores e suas percepções. Nisso, muitas coisas boas...

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

11 Comentários

  1. Avatar

    No primeiro momento me pareceu assustador, porque nossa é o aconchego, é o ninho e me parece que esse serviço não me aproxima e sim me afasta do filho. Mas a necessidade da família é que irá ajudar se isso será possitivo para o crescimento da criança!

    Responder
  2. Avatar

    Boa noite,

    Entendo que devido a necessidade da família,alguns podem aderir a esse “meio”,porém a minha opinião é que esse momento da preparação para dormir e até o próprio momento do sono é muito importante,gratificante e aconchegante para as crianças,tenho dois meninos de 3 e 7 anos,temos uma rotina diária,mas não importa como estamos (se cansados),oramos juntos,contamos histórias (cada dia é um),é o momento que eles e eu interagimos de uma maneira muito forte,nos aproximamos,nos alegramos….é bom demais! Não trocaria isso por nada!

    Responder
  3. Avatar

    Eu acho muito bom, desta forma os pais podem trabalhar com mais tranquilidade, e a crianças vão estar mais seguras também

    Responder
  4. Avatar

    BOA TARDE
    EU NÃO SOU MÃE AINDA ,COMO PROFESSORA EU NÃO TINHA MEUS FILHO PARA DEIXAR EM CRECHE NOTURNA, COM ESSA ESCOLA SO VAI FAZER COM QUER MAIS A CRIANÇA SE AFASTE DA FAMÍLIA.

    Responder
  5. Avatar

    Entendo a necessidade, sei das dificuldades, mas nada substitui o aconchego do lar.

    Responder
  6. Avatar

    Concordo com vários comentários dizendo que o ideal é a criança dormir no aconchego do lar, que afasta a criança dos pais e etc… Porém eu como mãe que estou passando por esse problema sei o quanto é importante ter essa alternativa. Minha filha tem 8 anos, é hiperativa, ninguém da minha família se disponibiliza cuidar dela, faço faculdade com bolsa do PROUNI no período da manhã porque a faculdade não aceita entrada de crianças, por isso preciso estudar no mesmo período que ela, mesmo por que na condição especial dela fica inviável levar para a faculdade. O pai sumiu, foi cuidar da vida e não se preocupa com os cuidados dela, só deposita a pensão, diga-se de passagem um micharia, para não ser preso. Estou desempregada e não consigo emprego por que não tenho quem cuide dela para mim. Pensei na hipótese de trabalhar a noite, mas não existe creches noturnas na minha cidade. Muitas pessoas julgam mas não vêem que talvez essa seria a única oportunidade de mães sozinhas como eu de ter condições de trabalhar e não passar fome com os filhos.

    Responder
  7. Avatar

    É muito simples criticar o uso de creches noturnas, mas só como reflexão: existem muitas mães enfermeiras, policiais, médicas e tantas outras que trabalham em plantões noturnos e que talvez não possam se apoiar na família para delegar o cuidado noturno dos seus filhos… Então, na minha opinião, de mãe, enfermeira, trabalhadora noturna, é uma opção sim a creche notuna…

    Responder
  8. Avatar

    Na minha opinião deve ter creche noturna sim, porque os pais estão trabalhando para atender as necessidades do lar e as dos filhos… embora estejam “terceirizando” a criação, porém não literalmente. O trabalho fora é para garantir as necessidades básicas dentro do ambiente familiar, o que não podemos esquecer é de dar carinho e afeto aos nossos pequenos.

    Responder
  9. Avatar

    Concordo com creche noturna sim. Pois, na atualidade em que vivemos há muitas pessoas na informalidade, ou seja cuidando de crianças em casa sem o mínimo de conforto ou segurança. Algumas tem até pessoas usuários de drogas. Temos que tomar cuidado onde deixamos nossos filhos. Enquanto ao tempo preciso não precisamos ter um horário específico, temos que ter qualidade no momento em que estamos com eles, deixando a televisão o celular e tudo aquilo que possa tirar esse tempo de qualidade. A só mais um comentário, conheço pais que ficam o dia todo, noite e são super ausentes na vida dos filhos.

    Responder
  10. Avatar

    Muitas pessoas precisam trabalhar a noite ou estudar,a importância da creche noturna é saber que os filhos estão em segurança.
    Tantos casos de abuso infantil acontecendo que até membros da própria família ta difícil confiar.

    Responder
  11. Avatar

    Sou a favor da creche noturna.
    Se na vida atual as dificuldades para trabalhar são inúmeras, os cuidados com os filhos podem ser amenizados com a creche noturna.
    O importante é a atenção e o amor que transmitimos aos nossos filhos, seja em que horário ou período for.

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *