Não adianta, se você tem um pequeno em casa, principalmente na fase da pré-adolescência, sabe o quanto é difícil disputar sua atenção com celulares, tablets, computadores e jogos. Não à toa, pais e educadores estão sempre preocupados em mediar e estar próximos para que o uso da tecnologia não seja prejudicial à saúde e à vida social das crianças. Pensando nisso, a equipe de especialistas em desenvolvimento infantil da PlayKids reuniu tudo o que você precisa saber sobre League of Legends, o jogo LOL, que vem conquistando pequenos e adultos e se tornando um verdadeiro fenômeno no mundo dos games, deixando a dúvida para muitos pais e educadores: Afinal, LOL é jogo de criança?

Entenda o jogo LOL

Para entender o que é e como funciona o jogo LOL, ninguém melhor do que um jogador assíduo para nos ajudar! Por isso, conversamos com Augusto Miranda Garcia, Developer na PlayKids, que acompanha os mundiais de League of Legends desde o início. “League of Legends começou em 2009, e sua base de jogadores cresceu até 2016, onde alcançou 100 milhões de jogadores ativos mensalmente, de acordo com a Forbes.”, nos conta.

LOL é um jogo no formato de partidas que se estendem de 20 a 50 minutos, e é considerado um MOBA, sigla do inglês para Multiplayer Online Battle Arena, que é Arena de Batalha Online para Vários Jogadores. Cada partida se adequa ao nível do jogador, que segue uma escala progressiva de acordo com a experiência alcançada, que aqui são as fases ganhas e jogadas. Augusto explica que trata-se de um jogo de estratégia cooperativo, em que os jogadores dividem-se em times para combinar as características dos personagens escolhidos com as posições selecionadas e a estratégia ideal para partida. Ele ainda conta que “League of Legends passou a se apresentar como um e-sport, um esporte eletrônico com campeonatos mundiais financiados pela própria desenvolvedora do jogo, Riot Games, desde 2011. No ano passado, o prêmio para o melhor time do mundo chegou ao valor de U$ 2.544.815,00. Comparando com o futebol, que é um esporte que, de acordo com a FIFA tinha 265 milhões de jogadores em 2007”. Com esse cenário podemos classificar o jogo como um fenômeno de sucesso e interesse.

Mas, afinal, LOL é jogo de criança?

Com a popularidade em alta, o jogo LOL aparece constantemente em pautas de inovações, entretenimento, tecnologia e comunidades. E consequentemente, as dúvidas dos pais quanto às indicações e temática se somam na mesma velocidade. Afinal, é importante conhecer sobre o jogo que permeia a rotina dos adolescentes.

Bom, em primeiro lugar é importante ressaltar que o jogo LOL possui classificação etária mínima de 12 anos, de acordo com o IGBD. Mas é importante ressaltar que ainda que seu pequeno já tenha atingido essa idade, é fundamental o acompanhamento próximo de um adulto, principalmente por se tratar de um jogo em que é possível se conectar e jogar com pessoas de diferentes partes do mundo. 

Embora, como ressalta Augusto, por sua natureza cooperativa, se crie um senso de comunidade dentro do jogo, essa mesma premissa deve ser um ponto de atenção aos pais. Por tratar-se de um jogo cooperativo, é importante ter consciência de que a criança estará em contato com pessoas desconhecidas e de diferentes idades

O Jogo tem uma estrutura para reportar as más condutas, mas não totalmente estruturada de forma preventiva. Então, aqui há um ponto de cuidado aos pais sobre as possíveis interações que seu filho pode ter ao jogar. “O próprio jogo possui ferramentas anti-toxicidade, onde se pode “mutar” as pessoas que tenham má conduta, e até mesmo reportar o jogador tóxico, onde ele pode ser punido pelo jogo até mesmo tendo sua conta banida”, afirma Augusto.

Outro ponto importante é definir o tempo adequado para que seu filho dispensa ao jogo. Posto que adolescentes e pré-adolescentes precisam equilibrar as atividades da rotina visando saudabilidade. As partidas de até 50 minutos estão relativamente dentro do esperado em frente às telas, no entanto, quando o seu filho passa horas a fio em partidas consecutivas, é importante acompanhar e ressaltar outras possíveis atividades que seu filho está preterindo. Quanto à parte monetária, o jogo é gratuito, mas conta com possíveis compras (não obrigatórias) que ficam à critério do jogador. Por isso, converse com seu filho e deixe claro o que é e o que não é permitido nessa questão.   

Por fim, o recomendável é seguir com as orientações da distribuidora e acompanhar para garantir que o tempo dedicado ao jogo não prejudique a saúde ou a vida do seu filho. 

Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre Fortnite

Profile photo of Nathalia Pontes

Mestranda em Psicologia da Educação, Psicopedagoga e Escritora, acredita que aprender é uma combinação entre autoconhecimento, troca e curiosidade pelo novo. É apaixonada por educação, desenhos, viagens e literatura.