Como lidar com meu filho pré-adolescente?

por | jul 5, 2019 | 28 Comentários

Meu filho virou pré-adolescente. E agora?

De uma hora para outra seu pequeno não cumpre mais regras nem combinados? É sempre do contra, tem mania de reclamar e coloca defeito em tudo? Briga o tempo todo com o irmão, tem argumentos na ponta da língua e sempre se sente injustiçado? Só quer saber de celular e computador? É… esses são sinais de que o seu filho já não é mais aquela criancinha que costumava ser. Ele está deixando a infância para trás, para entrar na pré-adolescência. Essa transição começa por volta dos 10 anos de idade, quando a segunda infância termina e a puberdade se inicia, e se estende até os 14 anos, quando começa a adolescência.

Como lidar com filhos na pré-adolescência?

Se você teve que testar sua paciência nos terrible twos, prepare-se para exercitá-la mais uma vez. A fase que antecede a adolescência, é um momento em que os pequenos estão passando por muitas mudanças e lidar com tudo isso não é nada fácil. Deixar de ser criança mas ainda não ser adolescente envolve muitos conflitos, físicos e emocionais. A intensidade e o tempo de duração deste período, difere de criança para criança podendo ser encarado com mais ou menos tranquilidade. Mas, seja como for, não dá para negar que este é um momento importante tanto para a vida do pequeno, quanto para a família como um todo, sendo uma base fundamental para uma adolescência mais tranquila e com menos problemas de relacionamento com a família.

Para ajudar pais e mães que, de repente, se viram com um pequeno pré-adolescente em casa, nós preparamos 5 dicas preciosas de como lidar com filhos na pré-adolescência. Confira:  

1. Esteja próximo e converse

Pode parecer que não, mas nessa fase os pequenos precisam e querem atenção. Por isso, por mais que eles se fechem e se distanciem, é importante que os pais permaneçam próximos e procurem saber sobre seus sentimentos. Aproveite os momentos que passam juntos, como à caminho da escola ou na hora das refeições, para conversar com seu filho. Pergunte sobre o seu dia, seus planos e interesses, estreitando o vínculo entre vocês e dando abertura para que ele conte algo que o está incomodando, se for o caso.  

2. Não minimize os sentimentos

Na pré-adolescência tudo parece enorme, um probleminha vira um problemão. Uma nota ruim na prova, uma viagem que não deu certo, uma briga com um amigo, uma rejeição na escola, um “não” fora de hora… Tudo é vivido intensamente, como se cada momento fosse para sempre. Para você, tudo isso pode parecer bobo e exagerado, mas é importante que você tente compreender que os hormônios do seu pequeno estão à flor da pele. Tente se lembrar dos seus dias de pré-adolescência e tenha um pouco de empatia. Minimizar os sentimentos e acontecimentos da vida do seu filho pode só piorar a situação, fazendo com que ele perca a confiança em você e deixe de contar o que se passa. Por isso, tente ter paciência e converse francamente, de igual para igual. Mostre que entende o que ele está sentindo, mas também explique que logo esse sentimento vai passar e ele vai ver que isso que aconteceu não é o fim do mundo. Afinal, as experiências e frustrações são fundamentais para nosso amadurecimento, nos tornando mais fortes e resilientes.

3. Estabeleçam uma rotina

Ter uma rotina faz com que pequenos e adultos se sintam confortáveis e seguros. Como seu filho já está maior, vocês podem sentar juntos para definir as atividades, obrigações e horários dele. Isso fará com que ele se sinta incluído nas decisões de sua própria vida, estimulando a autonomia e a responsabilidade. Também vale apostar em um cronograma de rotina para vocês se organizarem. Lembrando que existem combinados negociáveis e inegociáveis, e que as regras e os limites são fundamentais para mostrar aos pequenos até onde eles podem ir. Isso colabora para que se sintam mais seguros e confiantes, estimulando o autocontrole e ensinando-os a viver em família e em sociedade.

4. Conheça e se envolva com os interesses do seu pequeno

Seu filho só quer saber de internet, vídeos e jogos, e você já não sabe mais o que fazer? Nessa fase é comum que os pequenos fiquem mais “seletivos” e se distanciem de coisas que antes gostavam. Por isso, desenvolver bons hábitos (de leitura, alimentação e saúde) é fundamental para que os pequenos tenham uma boa base, que vai persistir mesmo após essa fase da pré-adolescência e adolescência. Mas, durante este período, é legal descobrir e se envolver mais com os interesses do seu pequeno. Conheça seus youtubers favoritos, procure livros relacionados aos temas que ele gosta, descubra alguma atividade física ou aula extracurricular que ele se interesse… E lembre-se que simplesmente proibir determinadas coisas não é suficiente, pois nessa idade é muito difícil ter controle sobre tudo que seu filho faz. Por isso, conversar, se aproximar e se envolver é a melhor maneira de garantir a segurança do seu pequeno e, ainda, encontrar brechas para incentivar o contato com bons hábitos e com conteúdos de qualidade nessa fase.

5. Invista em mais tempo junto!

A pré-adolescência é a fase onde tudo é “chato” e “um mico”. Mas não se engane com o jeitinho arredio do seu pequeno, ele pode não ser mais a criança fácil de lidar de outrora, mas, pode apostar, ele ainda adora passar tempo com você! Os momentos juntos são fundamentais nessa fase para fortalecer o vínculo e a relação de confiança entre vocês, por isso, que tal propor um passeio de bicicleta? Ou irem ao cinema para ver o filme favorito dele? Ou assistirem ao futebol juntos? Afinal, os hormônios podem até estar a mil, mas não há quem resista a momentos de carinho e diversão junto de quem se ama, não é?

Leia também:

Categorias:
10+ | Família | Idade | Parentalidade
Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
Como explicar a depressão para crianças?

Como explicar a depressão para crianças?

Infelizmente, a depressão infantil tem se tornado cada vez mais frequente. Apesar do difícil diagnóstico em muitos dos casos, é importante que os pais e responsáveis estejam atentos ao comportamento das crianças e adolescentes. Afinal, quanto mais cedo for feita a...

Como explicar a depressão para crianças?

Como explicar a depressão para crianças?

Infelizmente, a depressão infantil tem se tornado cada vez mais frequente. Apesar do difícil diagnóstico em muitos dos casos, é importante que os pais e responsáveis estejam atentos ao comportamento das crianças e adolescentes. Afinal, quanto mais cedo for feita a...

A Casa dos Pequenos Cientistas: um livro para fazer ciência

A Casa dos Pequenos Cientistas: um livro para fazer ciência

Que tal conhecer um livro que convida as crianças a fazerem suas próprias experiências científicas? É exatamente o que propõe o livro A Casa dos Pequenos Cientistas! Neste livro, que integra ciência e infância, os pequenos e pequenas serão desafiados a fazer ciência....

28 Comentários

  1. Avatar

    Muito bom.

    Responder
  2. Avatar

    Obrigada relamente estava precisando dessas preciosas dicas, parabéns

    Responder
  3. Avatar

    Amei o texto! Irá me ajudar bastante daqui por diante.

    Responder
  4. Avatar

    Parabéns pela brilhante exposição. Estava precisando urgentemente de um direcionamento de como lidar com as mudanças comportamentais do meu filho de 10 anos. Sucesso!

    Responder
  5. Avatar

    Como saber se meu filho precisa de ajuda psicológica
    está difícil demias ele não ouve e não quer entender as coisas.

    Responder
  6. Avatar

    Excelente, muito obrigado. Seu texto me ajudou a entender melhor minha relação com meu sobrinho-afilhado pré-adolescente e como podemos nos aproximar mais.

    Responder
  7. Avatar

    Texto muito bom. Pontual e esclarecedor

    Responder
  8. Avatar

    Era tudo que precisava ouvir.Obrigada por sábias palavras.

    Responder
  9. Avatar

    Tenho uma de 12 e o texto acontece exatamente isso as vezes me sinto perdida mas esse texto me ajudou obrigada

    Responder
  10. Avatar

    Excelente!!! Me ajudou muito!!!

    Responder
  11. Avatar

    aff tenho 3 meninos e uma menina .mas a fase dos pequenos de 9 e 6 anos meu deus .so querem jogar no video game dai nao querem a compania um do outro dai brigao o de 9 anos .fala q so damos atencaobpara o de 6 explico pra ele mas e em vao.ele diz q entao tivesse deixado ele ir com deus .ja q nao gosta dele .q vai fugir de casa morar com a vo .aff nao dou moral pra ele por q sei q e manha .mas ao mesmo tempo tenho medo aff.e dificil

    Responder
  12. Avatar

    A ajuda que eu precisava. Hoo Glória

    Responder
  13. Avatar

    Muito bom!!
    Adorei a orientação.
    Crio minha neta que está com 10 anos agora e o mundo mudou muito rápido desde a época de minhas filhas,apesar de ter ainda 52 anos sinto que o mundo teve grande transformação inclusive na criação de filhos.
    Internet é um grande problema,não admito criança querendo parecer adulto e postando vídeos sensualizando .
    Pais precisam de muito cuidado,disposição ,orientação segura para criar seus pequenos .
    Muito obrigada!🌹

    Responder
  14. Avatar

    Obrigada eu estava prescisando muito dessa leitura.

    Responder
  15. Avatar

    Parabéns!! Excelente texto.

    Responder
  16. Avatar

    Adorei!! Eu estava precisando dessas dicas!! Obrigada <3

    Responder
  17. Avatar

    Obrigada! Muito dicas boas..

    Responder
  18. Avatar

    Obrigada ! estava precisando muito dessas dicas

    Responder
  19. Avatar

    Eu também estava precisando lê algumas palavras de conforto porque é bem assim.

    Responder
  20. Avatar

    Legal, mas se me chamassem de “pequena” com 10 anos, eu iria detestar. Pré-adolescentes e adolescentes se acham moços e moças, e querem ser respeitados como pessoas, não ser vistos como crianças. É o conflito do ser e não ser.

    Responder
  21. Avatar

    Nossa fase muito difícil..essa pra adolescência…Muita paciência…Minha família quase completando 14 anos..tem argumentos pra tudo…e nenhum momento acha q está errada..faz a todo tempo q eu tenho q ouvir seus argumentos q acaba por final ..mostrar que ela Tá certa.
    Nossa tem horas q prefiro largar pra lá do q continuar a discutir com ela.
    Falta muita entender q mãe sempre tem razão…mãe só quer cuidar.

    Responder
  22. Avatar

    Obrigada, vc abriu meus horizontes… até havia esquecido q um dia já fui assim. Tenho um rapaz de dez anos, e estou de cabelo em pé, sempre foi um ótimo menino. Porém, agora é ríspido ao falar e isso me afeta de uma tal forma.
    Vou colocar em prática esses ensinamentos.

    Responder
  23. Avatar

    Muito difícil tenho a impressão que eu sou a errada eu que estou fazendo tudo errad muito difícil lhe dar com isso 🤦🏽‍♀️

    Responder
  24. Avatar

    Muito bom o conteúdo. Parabéns, Leiturinha! Fiz a leitura junto com o meu pequeno. Muito especial esse momento!👏👏👏👏

    Responder
  25. Avatar

    Muito bom o conteúdo, mas muito difícil essa idade meu Deus não sei como lidar com tudo isso sinceramente.

    Responder
  26. Avatar

    obrigada, por essas palavras eu realmente estou precisando de ajuda a minha filha esta com 14 anos e ela não obedece mais sai de casa sem avisar sou mãe solteira isso esta acabando comigo ja não sei o que fazer com isso.

    Responder
  27. Avatar

    Gratidão 🙏

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *