Fortnite para crianças: um guia para pais e educadores

Se você convive com crianças e adolescentes, provavelmente já ouviu algum comentário sobre Fortnite. Isso porque o jogo é um fenômeno e vem atraindo cada vez mais jogadores e mais popularidade.  Desde o seu lançamento, há apenas oito anos, o jogo já conquistou mais de 200 milhões de jogadores ativos, e continua em um ascendente processo de popularização. A mecânica consiste em um jogo cooperativo de sobrevivência, dividido em dois modos: Fortnite: Save the World e Fortnite Battle Royale. Mas, afinal, qual a opinião e as recomendações dos especialistas sobre Fortnite para crianças?

Entenda o jogo

Para a melhor compreensão do enredo, Daniel Campioni, membro do Time de Tecnologia da PlayKids e jogador assíduo desde 2017, ressalta: “Cem pessoas pulam de paraquedas numa ilha e quem for o último a sobreviver ganha, que é o gênero de jogo Battle Royale. Há também outros modos de jogo dentro do Fortnite, mas esses não são tão conhecidos/jogados pela comunidade quando comparados com o modo Battle Royale.”.

O jogo pode ser encontrado em formatos para diferentes plataformas como: Windows e Mac, celulares Android e iOs e também para console Xbox One, PS4 e Nintendo Switch. Fortnite, a princípio, é gratuito, no entanto o jogo trabalha com monetização interna, no qual o usuário pode adquirir itens diversos para a personalização. Daniel explica “O Fornite é de graça independente da plataforma, porém ele possui compras dentro do jogo, mas não é necessário comprar nada para jogar indefinidamente, essas compras são apenas para mudar a aparência do seu personagem, dos itens que ele tem, etc. Para obter essas aparências diferentes você precisa comprar as moedas do jogo chamadas de V-bucks. No momento o menor pacote (com 1000 V-bucks) custa US$9,99”. Por esse motivo é importante conversar com o seu filho previamente sobre possíveis compras e acordar valores que serão destinados para essas transações. Esse tipo de conversa, inclusive, abre espaço para ensinar sobre o dinheiro, falar sobre investimentos e economia para planos futuros.

Mas, afinal, Fortnite é um jogo recomendado para crianças?

Com tamanha popularidade, é possível que os pequenos também se interessem em jogar. No entanto, a faixa-etária indicativa é para maiores de 12 anos, por conter cenas de violência leve.O Fortnite tem uma comunidade muito grande, o que significa que lá há pessoas de várias culturas e com diversos objetivos, ainda mais sabendo que no jogo você tem a possibilidade de conversar livremente por voz com outros jogadores é importante ter cuidado com quem você está conversando na internet. Outro aspecto do jogo que é bem interessante é que não há sangue” comenta Daniel. Isso significa que vale aos pais darem uma conferida no teor do chat, e verem se este está, de fato, coerente com a  classificação indicativa ou com a faixa-etária de seu filho. A parte do chat é onde surgem várias reclamações de usuários, inclusive, conforme o nível do jogador, o nível de exigência vai aumentando. Aqui vale redobrar o cuidado frente aos perigos da internet, como bullying ou abuso. Converse com seu filho para que a relação com o jogo seja sempre saudável e agradável, e monitore o linguajar do seu filho em relação aos outros jogadores também.

Fortnite para crianças: o jogo pode colaborar com o aprendizado?

Por conta dos desafios propostos, Fortnite induz o jogador a trabalhar alguns pontos interessantes, como o de raciocínio lógico e estratégia, para que assim, o jogador consiga ganhar a partida. Nisso, vemos o papel e tomada de decisão e execução rumo a um objetivo. Daniel conta um pouco sobre a sensação de dever cumprido: 

“Sem sombra de dúvida, a parte mais legal do jogo é a sensação de ganhar uma partida (quando você é o último a ficar vivo). Outra particularidade do Fortnite é que ele tem uma comunidade gigantesca, uma das maiores existentes, então com certeza você vai achar alguém que será muito divertido jogar com. Também é notável as atualizações constantes no mapa/ilha do Fortnite. Eles sempre buscam fazer eventos novos e alterar partes do mapa para as pessoas sempre procurarem por lugares diferentes e não ficarem sempre na mesma região da ilha. Tanto é que dentro do jogo foi feito um show oficial do DJ Marshmello e durante esse evento as pessoas conseguiam ouvir as músicas enquanto dançavam dentro do próprio jogo.”. Aqui, vale usar alguns dos pontos despertados pela estratégia para ampliar horizontes para outras dificuldades do seu filho, como criar um plano de ação para a resolução de um problema. Acredito usar os interesses dos pequenos para ambientar conversas é ideal para fortalecer vínculos de confiança e amizade, e ainda oportunizar possibilidades de mediação de valores e conceitos.

Fortnite ainda traz à tona diferentes possibilidades de expressão. Existe uma tendência social no mundo dos jogos que é muito particular dessa geração conectada. Daniel explica: “O aspecto mais forte do Fortnite é a customização do seu personagem, pois você pode alterar não apenas a roupa e a cor dos itens dele, mas também as danças, o que fez com que várias crianças gostassem muito mais do jogo, exatamente por ter mais meios de expressão, o que acaba ensinando às crianças que elas não precisam apenas se comunicar pela voz, mas também pelos gestos.”. Aqui vale usar essa personalização para aproximação, e melhor compreensão do mundo dessa geração, que é bastante peculiar. E inclusive abrir espaço para conversar sobre identidade, autoconhecimento e a forma que seu filho se mostra e se expressa enquanto no anonimato de um mundo imaginário. 

E aí, pronto para uma partida de Fortnite com o seu pequeno?

Avaliação da Equipe de Especialistas PlayKids

– Idade recomendada: Maiores de 12 anos | O jogo contém cenas de violência leve
PEGI (Pan European Game Information)

– Violência: Embora o jogo não traga personagens realistas, mas sim com um estilo de desenho animado, ele envolve tiros e uso de outras armas. No entanto, mesmo que o objetivo do jogo seja ser o último jogador vivo, ele não traz imagens violentas ou de sangue.

– Segurança: Jogando no modo Battle Royale é possível que os jogadores se comuniquem entre si. E, ainda que o recomendado é que as conversas girem somente em torno do jogo, nem sempre é o que acontece. Portanto, é um ponto de atenção para quem permitir que as crianças joguem. 

– Pontos positivos: Fortnite permite que seus jogadores vejam sua progressão ao longo do jogo com habilidades como mira e aumento de percepção espacial no cenário do game.

Nós da PlayKids seguimos a recomendação de faixa-etária para maiores de 12 anos.

Leia também: 

Profile photo of Nathalia Pontes

Mestranda em Psicologia da Educação, Psicopedagoga e Escritora, acredita que aprender é uma combinação entre autoconhecimento, troca e curiosidade pelo novo. É apaixonada por educação, desenhos, viagens e literatura.