Como identificar a surdez na infância?

por | nov 14, 2019 | 0 Comentários

A audição tem um papel de extrema importância no desenvolvimento da linguagem dos pequenos. Isso porque é ouvindo e aprendendo os sons da fala que a criança começa a reproduzir e assimilar esses sons a seus significados. Por isso, não somente a surdez na infância, mas qualquer grau de privação do sentido da audição pode ser extremamente prejudicial para a aquisição da fala e da linguagem e, também no aprendizado e desenvolvimento escolar.

Surdez na infância: a importância do diagnóstico precoce

Para que não haja prejuízos no desenvolvimento infantil, é fundamental que o diagnóstico do quadro aconteça o quanto antes, até cerca de 6 meses de idade. Para, assim, iniciar um tratamento com equipe multidisciplinar de pediatra, otologista, fonoaudióloga, psicólogo, entre outros. 

Envolver o pequeno e a família no tratamento e amenizar as consequências de deficiências na audição o quanto antes é importante para que os pais já aprendam a lidar logo cedo com a questão, sabendo orientar, acolher e dar apoio à criança. 

O que causa surdez na infância?

A surdez na infância pode ser causada por diferentes motivos, inclusive fatores genéticos. E é importante ressaltar que é possível, sim, inserir essa criança normalmente na vida social e escolar, com algumas devidas adaptações.

Mas como identificar a deficiência auditiva?

Quando o bebê nasce, é submetido a inúmeros teste, um deles é o da orelhinha, feito para identificar quadros de surdez infantil. 

Além disso é importante que os pais sempre fiquem atentos ao comportamento dos pequenos. Por exemplo, até os 6 meses já é esperado que o bebê vire o pescoço e atenda ao chamado quando ouve seu nome. Ou, então, ao chorar durante a noite o pequeno costuma se acalmar ao ouvir a voz da mãe.

Por isso, estar sempre atento aos detalhes e saber o que se espera, dentro das individualidades, é claro, do pequeno de acordo com cada idade ajuda aos pais a identificarem se algo não está dentro dos padrões. Procurar uma avaliação e ajuda profissional o quanto antes pode minimizar, muito, os prejuízos para o desenvolvimento infantil. 

Leia também: 

Categorias:
0 - 3 | 4 - 6 | Idade
Escrito por Flávia Puccini
Fonoaudióloga, mestre em processos e distúrbios da comunicação e especialista em motricidade orofacial. É consultora de amamentação e laserterapeuta. * Flávia é nossa autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Leiturinha.
Relacionados
Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

“Rabo de peixe, cara de gente!” Makolelê é um gorila que todos os dias vai até Marina, uma sereia, para zombar dela. Um dia, Marina resolve falar como se sente quando ouve essas provocações. Essa é uma história sobre empatia, amizade e respeito construído entre seres...

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Meu bebê não dorme: como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o bebê? Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Hoje, prestes a completar um ano de vida, nós já experimentamos fórmulas e incansáveis rituais do sono. Hora em hora,...

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Distúrbios da fala em crianças: quais são?

Em primeiro lugar o processo de aprendizado da linguagem não é nada simples e envolve diversos fatores. Para falar, o pequeno precisa escutar bem, ter um entendimento daquilo que ouve, fazer um raciocínio lógico, escolher palavras. Enfim, são muitos fatores...

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

Marina e Makolelê: livro infantil sobre gentileza e empatia

“Rabo de peixe, cara de gente!” Makolelê é um gorila que todos os dias vai até Marina, uma sereia, para zombar dela. Um dia, Marina resolve falar como se sente quando ouve essas provocações. Essa é uma história sobre empatia, amizade e respeito construído entre seres...

Mas, pode? A importância da leitura na primeira infância

Mas, pode? A importância da leitura na primeira infância

Todas as crianças têm o direito de entrar em contato com os mais variados gêneros literários e tipos de livros. É a partir deste encontro que elas poderão desenvolver o gosto genuíno pelos livros. Além de aproveitar integralmente os benefícios que os livros tem as...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *