Já falamos aqui no Blog sobre as habilidades do futuro e como preparar seu filho para esse mundo em constante evolução, que exige cada vez mais habilidades específicas. Profissões como Youtuber, Instagrammer e Influencer Digital, são cada vez mais cobiçadas e os pequenos não ficam de fora. É natural que isso aconteça, afinal, quem nunca teve um ídolo e quis ser como ele? A evolução é constante, de modo que hoje pessoas comuns, de qualquer lugar do mundo, podem se tornar esses ídolos dentro das redes sociais, gerando conteúdo relevante para outras pessoas comuns. Mas, e quando o seu filho quer ser Youtuber, o que fazer?

Os pais que não permitem

Muitos pais acreditam que, mesmo com supervisão, a criança ainda não está preparada para a exposição que a plataforma traz. Defendem que a criança não tem consciência plena do que representa ser um Youtuber e, com o tempo gasto para a produção dos vídeos, poderia fazer outras coisas, como brincar ou fazer alguma atividade extracurricular.

Sendo este o seu caso, a dica aqui é dialogar sobre a questão. Sempre de forma aberta, explicando as razões da não permissão, tomando muito cuidado para não recriminar o pequeno. Seja verdadeiro, entenda as vontades do seu pequeno, leve a sério os sentimentos dele e converse de forma clara, esclarecendo todas as suas dúvidas. Dizer não aos pequenos é uma tarefa delicada, principalmente para não gerar frustração exacerbada. Já falamos sobre a importância do não e como fazê-lo aqui no Blog, caso precise de uma ajudinha.

Os que permitem e incentivam

Por outro lado, há pais que discordam que esta seja uma situação negativa. Eles acreditam que seus pequenos, enquanto supervisionados, são capazes de cumprir e entender os desafios que ser Youtuber proporciona. Não se pode negar que, a produção dos vídeos para a plataforma, estimula habilidades como a criatividade, oratória, dicção, organização dos pensamentos, expressão de sentimentos, capacidade de improviso e noção de construção de um todo a partir de pequenos passos.

Se este é o seu caso e o do seu pequeno, temos algumas dicas importantes:

1. Informe-se

Informação nunca é demais, principalmente quando se trata de criar um canal no Youtube para seu pequeno. É importante saber como fazê-lo, as condições do Youtube, boas práticas e outros detalhes de caráter prático. A plataforma tem uma política rígida para os pequenos e, se tratando de menores de idade, você é o responsável pelo conteúdo disponibilizado. Portanto, preste muita atenção e esteja atento ao que acontece no mundo e nas redes sociais. Não cometa nenhum tipo de plágio, ou produza um conteúdo que possa ter mais de um sentido de interpretação. As redes são abertas ao público e, uma vez o conteúdo disponibilizado, não tem volta. A última coisa que você quer, é a imagem do seu pequeno vinculada à uma situação negativa.

2. Conheça outros Youtubers mirins

É superlegal ver o conteúdo de outras crianças na rede. Ver a forma como se comunicam, sobre o que falam, como se comportam e, principalmente, como a família administra o canal. Afinal, o público que assistirá seu filho será muito parecido, se não o mesmo. Assim, vocês ganham mais experiência e confiança para começar a produção!

3. Diálogo, diálogo e mais diálogo

Como o nome já fala: as redes são sociais. Então, seu filho fala com os telespectadores e eles falam de volta. Curtem, compartilham e comentam. E, como é sabido, é impossível agradar gregos e troianos: más avaliações e comentários vão acontecer. Você precisa saber os riscos para lidar com eles. Nesta hora, você entra em ação. Nunca deixe de conversar com seu pequeno sobre situações assim – e sobre todas as outras -, ajude-o a entender e administrar suas emoções e não minta ou omita. Explique que as pessoas são diferentes e, portanto, opiniões e gostos variam. Que é importante que seja assim e que é preciso respeitá-las. E, principalmente, o ensine a lidar com a frustração de forma inteligente.

4. Aproveitem para usar a criatividade

Este é o momento do seu pequeno criar. Você tem o papel de puramente dar suporte e estimular isso! Assim, você verá que as asas da imaginação do seu filho são maiores do que você sabia. Criem algo único! Esta também é uma forma de fortalecer os laços entre vocês.

5. Estabeleça regras

A tecnologia é positiva para o desenvolvimento dos pequenos, mas mediada e controlada. Saiba o conteúdo que seu pequeno assiste – e produz, claro. Controle, de acordo com as regras da família, o tempo despendido para o “momento Youtuber”. Explique para seu pequeno que as regras são necessárias e têm que ser respeitadas. Nunca deixe que isso interfira nas outras tarefas e atividades da vida dele.

6. É preciso investir?

Inicialmente, vocês precisam do básico: uma câmera, um cenário, um computador e pouco conhecimento em edição de vídeo. Com muita criatividade e vontade, se é capaz de produzir coisas muito legais. Mas, se for o desejo e possibilidade da família, existem vários cursos que ensinam como produzir conteúdo para o Youtube, habilidades audiovisuais e algum marketing.

Seja qual for a sua preferência, permitir ou não que seu pequeno seja um Youtuber Mirim, é importante que você tenha conhecimento do conteúdo disponibilizado para ele – e, talvez, por ele. O virtual já é uma realidade indissociável do real e é benéfica se mediada. Portanto, esteja sempre perto e atento ao seu pequeno, e o aproveite muito estes momentos!

E na sua casa, vocês deixariam ou não seu pequeno ser Youtuber? Conta aqui pra gente!

Leia também:

Profile photo of Paula Piffer

Estudante de Comunicação, faz parte do time de Conteúdo da PlayKids. Acredita que a literatura transforma as pessoas e a educação transforma o mundo!