4 dicas para estabelecer limites sem sair do sério com as crianças

por | fev 7, 2018 | 1 Comentário

Nós já falamos algumas vezes aqui no Blog sobre o quanto a forma como os pais exercem sua liderança parental e se relacionam com seus filhos, dizem sobre si mesmos. Diferente de um tempo atrás, hoje em dia, pais e mães se preocupam cada vez mais em como educar seus filhos com limites, mas fortalecendo o vínculo de amor e respeito. Dentro desse contexto, surgem termos como Comunicação Não-Violenta, Disciplina Positiva e Criação com Apego, que vêm ganhando cada vez mais popularidade e espaço entre mães e pais. Afinal, é possível estabelecer limites aos pequenos com afeto e respeito?

sarah

Sarah Helena é psicóloga, curadora na Leiturinha e mãe da pequena Cecília

Para Sarah Helena, psicóloga e curadora na Leiturinha, “estabelecer limites está ligado à autoridade dos pais e/ou demais cuidadores sobre os filhos, o que significa que quem estabelece limites é quem cuida, protege, se responsabiliza. Assim, limites e afeto são coisas que se complementam. Quando perdemos o controle, as emoções tomam conta e nossos comportamentos tornam-se reativos, demonstrando que não estamos mais sabendo exatamente como proceder naquela situação.”.

Dicas para estabelecer limites na educação dos filhos

Para ajudar pais e mães a estabelecerem limites sem sair do sério com as crianças, a psicóloga Sarah reuniu 4 dicas possíveis de aplicar no dia a dia, para uma relação mais saudável com os pequenos:

1. Os limites são essenciais à vida e devem ser estabelecidos desde cedo. São eles quem nos dão direcionamento e disciplina necessárias para construir o mundo à nossa volta.  Estabelecê-los de forma afetuosa e tranquila pode contribuir para uma relação igualmente próxima e afetuosa entre vocês. Portanto, por mais difícil que seja, nunca podemos abrir mão de transmiti-los.

2. Os bebês podem nos entender, mesmo antes de adquirir a fala. Use tons de voz diferenciadas e palavras simples para dizer sobre o que ele pode e o que não pode fazer.

3. À medida em que crescem, os pequenos passam a entender melhor sobre regras e limites. Explique sobre os motivos que o levaram a proibir ou a permitir algo, para que as regras façam sentido e seu pequeno passe a compreender a noção de ação-consequência. Este entendimento fará com que, futuramente, ele ou ela sigam as regras ou limites por si só, sem que ninguém os diga o que fazer.

4. Se perceber que a paciência está indo embora no momento de estabelecer algum limite, seja breve e direto, sem dar brechas. Deixe para continuar a conversa quando estiverem calmos, e então vocês poderão falar sobre o porquê dos limites e o que mais desejarem.

Leia também: Como você educa seu filho diz muito sobre quem você é

Categorias:
0 - 3 | 4 - 6 | 7 - 10 | Educação | Família | Idade
Escrito por Ana Clara Oliveira
Jornalista e editora do Blog da Leiturinha, é fascinada por tudo que envolve o mundo da leitura, da educação e da infância. Acredita que as palavras aproximam pessoas, libertam a imaginação e modificam realidades. Gosta de escrever, viajar e aprender sempre.
Relacionados
10 Lançamentos Exclusivos Leiturinha imperdíveis

10 Lançamentos Exclusivos Leiturinha imperdíveis

Desde 2014, a Leiturinha busca o que há de melhor no universo da literatura infantil para oferecer aos pequenos leitores do clube. E foi nessa missão que, há 4 anos, mais do que selecionar livros já publicados, a Equipe de Curadoria passou a selecionar também...

Pesadelo em crianças: como lidar?

Pesadelo em crianças: como lidar?

Antes de tudo é bom dizer que o pesadelo em crianças é muito comum de acontecer! Você já deve ter presenciado algum episódio de pesadelo com o seu pequeno, principalmente a noite. Quando a criança é exposta a um evento estressante, seja ele bom ou ruim, ela entra em...

10 Lançamentos Exclusivos Leiturinha imperdíveis

10 Lançamentos Exclusivos Leiturinha imperdíveis

Desde 2014, a Leiturinha busca o que há de melhor no universo da literatura infantil para oferecer aos pequenos leitores do clube. E foi nessa missão que, há 4 anos, mais do que selecionar livros já publicados, a Equipe de Curadoria passou a selecionar também...

Pesadelo em crianças: como lidar?

Pesadelo em crianças: como lidar?

Antes de tudo é bom dizer que o pesadelo em crianças é muito comum de acontecer! Você já deve ter presenciado algum episódio de pesadelo com o seu pequeno, principalmente a noite. Quando a criança é exposta a um evento estressante, seja ele bom ou ruim, ela entra em...

5 benefícios das cantigas populares para os pequenos

5 benefícios das cantigas populares para os pequenos

Cantigas Populares: um patrimônio cultural da humanidade As cantigas populares são como histórias cantadas que praticamente todo mundo conhece por ter aprendido em algum momento da vida. Bem como um simples trecho é o suficiente para resgatar memórias profundamente...

1 Comentário

  1. Avatar

    Amo ler dicas da leiturinha.

    Tenho um menino de 5 anos chamado João Paulo.
    João aprendeu desde cedo as consequências das atitudes incorretas. sabe muito bem me respeitar e até onde ele pode ir.
    Sou mãe solteira, o pai auxilia na educação brevemente, mas nem por isso deixo de ser firme quando necessário.
    João adora criar coisas, não é muito apegado em brinquedos prontos.
    Essa semana comprei uma caixa cheia de adesivos, miçangas, bolas isopor, gliter, tintas, etc, ele simplesmente “AMOU” (como ele mesmo disse).
    Brinco com ele todos os dias, mesmo que seja 20 minutos ao chegarmos em casa todos os dias.

    Estar junto dele me faz sentir que crescerá com segurança.

    Ser mãe é estar presente e educar com amor e regras!!!!!!

    Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *