Por que temos medo de mudanças?

Existem momentos na nossa vida em que tudo aquilo que parecia tão certo e tão exato já não funciona com a mesma perfeição a que estávamos habituados. O conforto com a situação já não é o mesmo, a segurança antes sentida dá lugar à angústia, surgem questionamentos, dúvidas, incertezas, medos…

As crianças também passam por fases assim, quando se deparam com momentos onde muitas mudanças podem acontecer. Mas por que esses momentos são tão assustadores? Por que mudar nos mobiliza tanto internamente que muitos de nós se sentem paralisados, impedidos de agir, e preferem o “desprazer habitual” já conhecido, a arriscar-se diante do novo?

Como ajudar os pequenos a lidarem com as mudanças?

Em primeiro lugar, é importante conversar com as crianças e explicar que se sentir assim é natural (e compreensível também), pois o novo geralmente desperta ansiedade e insegurança. Mas isso não deve representar sempre algo ruim, assustador.

As mudanças e as novidades trazem consigo oportunidades de reflexão, de criação e de crescimento, dando chances para que “pontos finais” sejam colocados em assuntos pendentes, ciclos sejam encerrados, e novas fases e histórias possam começar.

Aos poucos as crianças podem descobrir que mudar é preciso algumas vezes e exige coragem, confiança, sabedoria e disposição. Mas o mais importante é saber que o dia de amanhã sempre pode ser melhor… mais colorido, com mais liberdade e mais bonito. Afinal, como diria O Pequeno Príncipe, “É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas.” (Saint-Exupéry)

Leia também:

Profile photo of Flávia Carnielli

Mãe da Maria Clara, mestre em psicologia clínica, especialista em psicologia perinatal e formada em psicoterapia infantil. Carinhosamente, contribui com seu conhecimento aqui no Blog, à convite da Leiturinha.