Outro dia fui visitar uma amiga e ela estava muito chateada porque a filha de dois anos não sabia dividir os brinquedos com os colegas na escola, no parque com as crianças que brincavam junto e nos encontros de famílias com os primos. Aquilo estava deixando-a angustiada e percebi, pela nossa conversa, que ela se sentia julgada pelas outras mães. Afinal de contas, devemos ensinar as crianças a dividir os brinquedos? 

A descoberta de si 

Nos três primeiros anos de vida, as crianças ainda estão se descobrindo. No começo a criança entende que ela e a mãe são uma única pessoa. Após os dois anos ela começa a se enxergar como indivíduo separado da mãe.

Nesses primeiros anos, ela praticamente não possui memória de longo prazo, por isso gosta de ver repetidamente o mesmo desenho, repete diversas vezes o mesmo ato, ouve várias vezes a mesma música… Nesse sentido, a melhor forma dela aprender algo é através da repetição. 

Dividir para a criança pequena não é importante

Ela não sente necessidade de compartilhar não porque é egoísta, mas simplesmente porque aprende o mundo pela experimentação e repetição. 

Se ela vê algo que lhe chama atenção irá querer pegar, tocar, colocar na boca. Se outras crianças estão juntas, é natural que queiram conhecer aquele objeto também. Por isso acabam todos querendo o mesmo brinquedo, por exemplo. 

Saciada a curiosidade por aquele objeto, ele deixa de ser interessante. Nessa fase, as crianças ainda não estão prontas para compartilhar e brincar juntas (da forma como esperamos). Por isso, não devemos forçar a criança a dividir um brinquedo se ela não quiser. Ela terá tempo para aprender isso mais tarde

E como fica a criança que está chorando porque quer o brinquedo? 

Redirecione! Pergunte a quem tem o brinquedo se ela quer dividir. Se a resposta for não, redirecione a outra criança para outro brinquedo, para fazer algo diferente. Ficamos preocupados que nosso filho não saberá dividir, que estamos criando um pequeno egoísta. Sobretudo, ficamos preocupados com o que irão pensar de nós. E nos esquecemos de olhar para quem realmente importa: a criança!

Se o aprendizado vem por repetição e pelo exemplo, qual a melhor forma de ensinarmos a criança a dividir? Exercitando a arte de compartilhar entre nós, adultos, na frente dela. Divida uma parte da sua comida com alguém quando ela estiver olhando, compartilhe objetos e ofereça, repetidamente, para a criança a possibilidade de ela dividir suas coisas. Quando ela estiver comendo algo, pergunte se ela aceita compartilhar um pedaço com você. Quando ela estiver brincando com algo, pergunte se ela aceita que você brinque junto. Aos poucos ela vai percebendo que o ato de dividir é um padrão de comportamento daquela família

A partir dos cinco anos de idade as crianças passam a brincar juntas. A ter uma ideia estruturada de brincadeira coletiva, ou seja, se divertem compartilhando brincadeiras com outras crianças. Nesse momento, o dividir passa a ser natural para ela

A melhor forma de ensinar algo às crianças é através do exemplo e do respeito ao seu tempo de aprendizado

Vivemos em um mundo acelerado. Queremos que as coisas aconteçam no nosso tempo e acabamos passando por cima de etapas importantes para o desenvolvimento cognitivo da criança. Por isso, se seu filho ainda não aprendeu a dividir e compartilhar suas coisas, respire, está tudo bem! Respeite o tempo dele e vá mostrando à ele através do exemplo e do convite a compartilhar. 

Leia também: 

Profile photo of Gabriela Braun

Consultora educacional, educadora parental e mãe do Rafael. Ajuda mães e pais a lidarem com comportamentos desafiadores dos filhos através da educação consciente, e colabora para o Blog Leiturinha!