Muitas são as possibilidades quando falamos de instrumentos musicais e muitas são as dúvidas que surgem quando pensamos em iniciar as crianças na música. Afinal, como escolher um instrumento musical adequado, que tenha a ver com a personalidade do seu pequeno? Quem escolhe? A criança? O adulto? Pode ser qualquer instrumento musical? Bem, esse texto vai te ajudar nesse processo. Confere aqui!

A escolha de um instrumento musical para uma pessoa tem relação com a personalidade dela. 

No caso do adulto, que já tem um autoconhecimento mais desenvolvido fica mais fácil. Geralmente essa pessoa já sabe qual instrumento musical a atrai e o que ela tem vontade de aprender. No caso da criança, é necessário uma ajuda, pois nem sempre ela pensa (ou ainda sabe) o que ela quer

A criança pode ser influenciada por um parente que toca determinado instrumento e então querer aprender o mesmo, ou alguém que ela viu tocando ao vivo ou na TV ou internet. E atenção: crianças muito pequenas aprendem primeiro a batucar, então muitos pais acham que ela quer bateria ou percussão. Mas isso é natural das crianças pequenas.

Qual o instrumento mais adequado à personalidade do meu filho? 

É preciso observar. Qual o temperamento do seu pequeno? É uma criança mais calma? Mais focada? Mais enérgica? Agitada?

Como eu falei no início do texto, o instrumento musical tem a ver com a personalidade da pessoa. Então vamos abordar brevemente alguns temperamentos e os instrumentos que geralmente se adequam mais a eles.

Crianças mais sensíveis e focadas geralmente se atraem por instrumentos de teclas (como o piano e o teclado) ou instrumentos de cordas friccionadas (como o violino ou o violoncelo) ou ainda pelo canto (solo ou coral). 

Crianças mais agitadas, que gostam de mais movimento e aparentam ter mais energia se encantam com instrumentos de percussão (como a bateria, o pandeiro, o tambor) ou instrumento de sopros (flautas, clarinete, trompete).

Isso são colocações gerais, é claro que pode haver uma criança agitada que se interesse pelo piano. Isso acontece e às vezes é até um meio de ela se equilibrar, focar, aprender a se concentrar mais. 

Então é preciso sensibilidade, conversas e também apresentar as possibilidades à criança. 

Como ela vai escolher um instrumento que nunca viu ou ouviu? As aulas de musicalização infantil oferecem isso. Os pais também podem levar os pequenos a shows e concertos mostrando as diferentes possibilidades e assim ampliando o universo sonoro dessa criança. Desde uma banda de rock até uma orquestra sinfônica.

Há também os instrumentos mais comumente utilizados na iniciação musical por apresentarem melhor anatomia para o pequeno aprender.

Entre eles temos o piano (um dos mais recomendados por ser um instrumento harmônico, de postura relativamente fácil), a flauta doce, o violão (em tamanho menor para as crianças), o ukulelê, os xilofones (que são instrumentos de percussão melódica) e outros instrumentos de percussão em geral como os tambores, chocalhos, triângulos e pandeiros, que acabam formando um grupo.

Quando a criança fica um pouco maior, por volta dos oito ou nove anos de idade, já é possível escolher um instrumento de orquestra como o clarinete, o trompete, a viola clássica e outros mais.

Variedade não falta! É um universo muito rico o da música e cheio de possibilidades. E você, se inspirou aqui para ajudar o seu pequeno? Espero que tenha ajudado. Até a próxima!

Leia também: 

Profile photo of Juliana Abra

Professora de música, apaixonada pelo que faz, trabalha ativamente com educação musical e acredita na linguagem da música como ferramenta transformadora na vida das pessoas e como aspecto fundamental na formação das crianças.