Ao contrário do que muitos pensam, nunca é cedo demais para introduzir os livros no cotidiano de uma criança, principalmente quando ela ainda não é alfabetizada. O contato com as mais variadas publicações tem o poder de instigar a imaginação dos pequenos. A alfabetização e a educação em casa são desenvolvidas a partir da relação dos pais com os filhos, não só oralmente, mas também usando “utensílios” para isso – e um deles é o livro com histórias infantis.

Como as “histórias de ninar” podem me ajudar na educação e na alfabetização do meu filho?

A história para dormir, a princípio, parece ter somente uma função. Muitos pais introduzem esse tipo de técnica apenas para que a criança adormeça rapidamente, mas eles não conhecem os benefícios que esse hábito é capaz de gerar na vida familiar e educativa.

Ler para a criança durante a noite tem um grande impacto no desenvolvimento dos pequenos, pois é com esse hábito que o interesse pela leitura é aguçado. O universo de faz-de-conta detém o incrível poder de instigar a imaginação das crianças, despertando cada vez mais interesse em compreender as histórias contadas.

A iniciativa possibilita, também, maior interação da família. Essa atividade entre pais e filhos, ao explorar juntos novas histórias, é uma ótima forma de unir laços e desenvolver a ligação afetiva saudável.

Mas não é só dentro dos livros que é despertado o interesse pela leitura. Ao observar seu responsável em contato com as obras, a criança tem mais chances de se interessar, pois muito do que é absorvido pelos pequenos vem de suas referências – ou seja, dos seus responsáveis!

É no momento que a criança se interessa pelas obras que a alfabetização começa a ser desenvolvida de forma gradual e saudável. O contato com os livros despertará o interesse pela leitura, o que tornará a alfabetização da criança muito mais produtiva.

Outra ótima opção que tem ganhado grande visibilidade nos últimos tempos, principalmente pelo crescimento do meio digital, é o livro online, capaz de aguçar a imaginação da criança e gerar mais interesse pela leitura graças ao seu formato interativo, tanto por meio de ilustrações, quanto pelo seu conteúdo.

É importante lembrar que o interesse pelas histórias nem sempre vai acontecer na primeira vez – ou na segunda. Sendo assim, é ideal que seja respeitado o gosto e o tempo da criança, para que aquela atividade seja sempre algo divertido e não um castigo, como pode parecer quando um pai força seu filho a ler.

Leia mais: